Dilma muda estratégia e parte para o ataque direto a Serra No primeiro debate do segundo turno, um duelo sobre aborto e privatização Dilma...

Dilma muda estratégia e parte para o ataque direto a Serra
No primeiro debate do segundo turno, um duelo sobre aborto e privatização

Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) partiram para o ataque no primeiro debate entre os candidatos à Presidência no segundo turno das eleições, realizado ontem à noite na TV Bandeirantes. Já na primeira pergunta, a petista acusou a campanha do tucano de tentar atingi-la com questões religiosas. Serra a acusou de ter dito que era a favor e depois mudado de opinião, e afirmou que ela tem duas caras, repetido por ele várias vezes, no que ela repetia que ele tem mil caras. Os dois também trocaram acusações sobre segurança e, principalmente, privatizações, voltando várias vezes à questão do aborto. O debate foi marcado, do começo ao fim, por troca de acusações, com os dois candidatos chegando a se exaltar em alguns momentos. (págs. 1 e 3)

China prende mulher do Nobel da Paz
A poetisa Liu Xia, mulher de Liu Xiaobo, foi colocada ontem em prisão domiciliar, logo após visitar o marido na penitenciária. Pelo Twitter, ela contou que ele chorou de emoção e dedicou o Prêmio Nobel aos dissidentes chineses. (págs. 1 e 22)

Mineiros brigam para ser o último
Com medo da subida de 700 metros num claustrofóbico tubo e querendo demonstrar solidariedade, os 33 homens presos numa mina no Chile agora disputam o último lugar na fila para a liberdade. O revestimento do duto por onde serão içados termina hoje. (págs. 1 e 21)

MEC gasta R$ 2 bilhões e não alfabetiza
Em seu oitavo ano, o programa Brasil Alfabetizado já gastou R$ 2 bilhões, mas teve impacto pequeno na redução do analfabetismo. O índice de iletrados, na faixa de 15 anos ou mais, só caiu de 11,6%, em 2003, para 9,7%, em 2009. (págs. 1 e 11)

Ex-corregedor vê corrupção no Judiciário
Ao encerrar seu período à frente da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça, o ministro Gilson Dipp se mostra surpreso com o grau de corrupção que descobriu em alguns setores do Judiciário. “Os casos não são tão pontuais quanto eu imaginava”, disse, revelando ter afastado inúmeros juizes por irregularidades. Dipp ressalva, no entanto, que a corrupção não é generalizada. (págs. 1 e 10)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *