Do Blog do Zé Dirceu Assim estamos, todos nós, petistas ou não, que apoiamos Dilma Rousseff para presidente da República e queremos dar continuidade...

Do Blog do Zé Dirceu

Assim estamos, todos nós, petistas ou não, que apoiamos Dilma Rousseff para presidente da República e queremos dar continuidade às mudanças que o presidente Lula fez em seu governo junto com o povo que, por isso, reconhece e o apoia. Nesta eleição – principalmente neste 2º turno – o que estava e continua em jogo não é o PT ou nossa participação no governo, é o Brasil. O que está em causa é o Brasil e seu presente – que já é seu futuro. São os programas sociais e a distribuição de renda, o crescimento da economia e principalmente do emprego, o prestigio do Brasil no mundo e a política de integração na América do Sul, nossa presença soberana e autônoma nas organizações internacionais, o desenvolvimento do país e o bem estar de seu povo.

Assim estamos, todos nós, petistas ou não, que apoiamos Dilma Rousseff para presidente da República e queremos dar continuidade às mudanças que o presidente Lula fez em seu governo junto com o povo que, por isso, reconhece e o apoia. Nesta eleição – principalmente neste 2º turno – o que estava e continua em jogo não é o PT ou nossa participação no governo, é o Brasil.

O que está em causa é o Brasil e seu presente – que já é seu futuro. São os programas sociais e a distribuição de renda, o crescimento da economia e principalmente do emprego, o prestigio do Brasil no mundo e a política de integração na América do Sul, nossa presença soberana e autônoma nas organizações internacionais, o desenvolvimento do país e o bem estar de seu povo.

Daí nossa alma lavada, nossa alegria pelo debate de ontem na Rede Bandeirantes de Rádio e TV – o 1º da campanha do 2º turno – no qual nossa candidata colocou a direita e seu candidato a presidente da República, Jose Serra (PSDB-DEM-PPS) em seu lugar. (Clique aqui e veja)

Volta do atraso, do passado, nunca mais

Começou ao enquadrá-lo, ao denunciar sua campanha sórdida e covarde de boatos. Prosseguiu mostrando que o candidato conservador procura ganhar votos daqueles que apoiam o presidente Lula e Dilma, explorando a questão religiosa e da família, apelando para a baixaria, e inoculando em nossa sociedade o vírus da intolerância e do ódio político e religioso.

Sem propostas, a não ser suas promessas demagógicas e eleitoreiras, José Serra vinha escondendo seu passado e a política de privatização (ou privatarias, como a chamam os jornalistas) e de ausência de crescimento e distribuição de renda.

Aquele passado que marcou de ponta a ponta seu governo – o de FHC/Serra – um passado de crises, estagnação, desemprego, arrocho salarial e de renda, e abandono das políticas sociais. Do qual os brasileiros não querem a volta, não querem nunca mais ouvir falar.

Comentar

via Blog do Zé

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *