ANA FLOR Em visita hoje ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP), a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) deu a...

ANA FLOR

Em visita hoje ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP), a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) deu a entender que a doença que enfrentou no ano passado foi o fator que a reaproximou de Deus.

Dilma tem sofrido ataques por ter mudado suas posições religiosas desde que se tornou candidata. Em sabatina à Folha, em 2007, quando era ministra da Casa Civil, afirmou que se “equilibrava nesta questão [existência ou não em Deus]”.

“Eu tive um processo recente e este processo me fez retomar várias coisas que estavam já dentro de mim. Essas questões dizem respeito a mim e eu não autorizo, não legitimo ninguém a julgar minha crença. Acho que isso é o cúmulo do preconceito”, afirmou.

Sobre as insinuações de que não é cristã, afirmou: “ninguém tem o direito de dizer qual é a minha crença, ninguém tem direito de fazer isso. Quem pode julgar sobre crença religiosa é Deus”.

Dilma participou da missa das 9h, mas não comungou. Mais tarde explicou que prefere uma posição “mais recatada”. “A minha religião diz respeito à minha convicção, é uma questão muito pessoal”.

Esta foi a primeira visita de Dilma ao Santuário. Depois da missa, ela deu entrevista à TV Aparecida. Prometeu levar o trem-bala para a região, para que mais romeiros possam ir ao santuário.

Sobre os motivos para ir ao local, Dilma afirmou que desenvolveu “devoção especial por Nossa Senhora Aparecida, por circunstâncias recentes em minha vida”.

Perguntada se tinha sido o câncer linfático que enfrentou no ano passado, ela afirmou que “preferia não falar sobre isso, é uma questão pessoal, privada”.

Clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *