Eleições 2010: Dilma lançará ‘Carta’ contra o aborto e o casamento gay ‘Não mandarei ao Congresso nenhuma legislação que impacte na religião’ Em encontro...

Eleições 2010: Dilma lançará ‘Carta’ contra o aborto e o casamento gay
‘Não mandarei ao Congresso nenhuma legislação que impacte na religião’

Em encontro com pastores e parlamentares evangélicos, do qual participou Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, confirmou que assinará carta-compromisso contra o aborto e o casamento gay. Alegando que o Estado é laico, Dilma se comprometeu a não enviar ao Congresso projetos de impacto na religião: “Essa legislação não enviarei ao Congresso. Tanto a legalização da lei do aborto como todas as outras.” Sobre o projeto de lei que pune a homofobia, Dilma condenou o preconceito, mas disse que não se pode criminalizar as igrejas e seus preceitos religiosos. (Págs. 1, 3 e editorial “Munição anti-Dilma e do próprio lulismo”)

Ibope: diferença é de 6 pontos
Pesquisa do Ibope mostra disputa acirrada pela Presidência, com a petista Dilma Rousseff com seis pontos de vantagem sobre o tucano José Serra. Dilma tem hoje 49% dos votos, contra 43% de Serra. A margem de erro é de dois pontos. (Págs. 1 e 10)

PF pede mais prazo para investigar caso Erenice Guerra. (Págs. 1 e 13)

Merval Pereira
A julgar pela primeira pesquisa após-debate, o tom mais agressivo de Dilma não surtiu efeito. (Págs. 1 e 4)

PV e Marina devem optar por neutralidade. (Págs. 1 e 14)
Foto legenda: Dilma e Crivella no encontro de evangélicos: “O Estado será laico e não vai interferir nas questões religiosas”. (Pág. 1)

Resgate rápido encerra pesadelo de 70 dias
Em operação bem-sucedida, 33 mineiros retornam a superfície e tem expostos dramas e alegrias da longa ausência

Numa explosão de alegria, com buzinaço, aplausos e gritos, chilenos receberam um a um os 33 mineiros que emergiam bem-dispostos de uma estreita cápsula, em viagens cada vez mais rápidas, encerrando um pesadelo de 70 dias a 622 metros de profundidade. A bem-sucedida operação levou 22 horas, menos tempo do que o previsto. Alçados à condição de heróis, os mineiros tiveram a privacidade exposta e dramas familiares vieram à tona, como o caso de Yonny Barrios, o enfermeiro improvisado no subterrâneo, que deixara duas mulheres na superfície. Foi recebido pela amante, depois de a mulher se recusar a acompanhar o resgate. Já a mulher de Ariel Ticona deu à luz uma menina, batizada de Esperanza. Esteban Rojas, o 18º a ser resgatado, foi pedido em casamento pela mulher, Yessica com quem já vive há 25 anos. Houve quem, já na superfície se ajoelhasse em agradecimento ou festejasse – com embaixadinhas. 0 chefe do grupo, Luis Urzua, foi o último a deixar a mina e comparado a um capitão pelo presidente Sebastian Piñera, que não arredou pé do resgate. (Págs. 1 e 32 a 35)

Miriam Leitão
Com o espetacular e bem-sucedido resgate dos 33 mineiros, o Chile prova, mais uma vez, que é um país que sabe administrar riscos. (Págs. 1 e 26)

Foto legenda: Luis Uurzua, chefe do grupo, o último mineiro a ser resgatado, numa operação acompanhada durante 22 horas por parentes dos 33 e muito festejada pelos chilenos: explosão de alegria põe fim a um drama com final feliz. (Pág. 1)

Foto Legenda: Luis Urzua, chefe do grupo, o último mineiro a ser resgatado, numa operação acompanhada durante 22 horas por parentes dos 33 e muito festejada pelos chilenos: explosão de alegria põe fim a um drama com final feliz

Dólar: governo quer conter especulação
Após subir o Imposto sobre Operações Financeiras (I0F), o governo quer aumentar a exigência para quem opera contratos futuros de câmbio e conter a valorização do real. (Págs. 1 e 25)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *