O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) autorizou o envio de força federal para 46 municípios do país até agora para reforçar a segurança pública durante... TSE autoriza envio da força federal para 46 municípios no 2º turno

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) autorizou o envio de força federal para 46 municípios do país até agora para reforçar a segurança pública durante o segundo turno. São cinco os Estados que vão ter o auxílio da força. O TSE aprovou o envio de reforço para 25 municípios do Piauí, 9 de Alagoas, 1 do Amapá, 10 de Rondônia e 1 da Paraíba.

Segundo o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Amapá, há histórico de incidentes naquela região e o contingente de policiais militares é insuficiente para garantir a ordem, o livre exercício do voto e a apuração dos resultados.

O TSE recebeu pedido de reforço das forças federais para 135 municípios brasileiros durante o segundo turno das eleições que acontecem no próximo domingo. Os municípios estão divididos em oito estados: Alagoas (9); Amazonas (4); Amapá (1); Pará (80); Paraíba (5); Piauí (25); Rondônia (10) e Tocantins (4).

No Piauí poderão contar com auxílio das tropas federais os seguintes municípios: Uruçuí, São João do Piauí, Nova Santa Rita, Pedro Laurentino, Lagoa do Barro do Piauí, Campo Maior, Santa Filomena, Monsenhor Gil, Fronteiras, São Julião, Alegrete do Piauí, Anísio de Abreu, Dirceu, Arcoverde, Regeneração, Curimatá, Júlio Borges, Jardim do Mulato, Joaquim Pires, Murici dos Portelas, Luzilândia, Ribeiro Gonçalves, Baixa Grande do Ribeiro, Oeiras, Picos e Canto do Buriti.

Já em Alagoas o reforço na segurança será para as cidades de São Luís do Quitunde, Roteiro, Jequiá da Praia, Batalha, Jacaré dos Homens, Porto de Pedras, São Miguel dos Milagres, Minador do Negrão e Boca da Mata.

No Amapá o as tropas federais seguirão para o Oiapoque, extremo norte do país. O município faz fronteira com a Guiana Francesa. Na região estão localizadas as aldeias indígenas de Espírito Santo, Santa Isabel, Kumarumã e Kumenê que precisarão contar com reforço na segurança.

Clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *