O candidato do PSDB, José Serra, perde mais com a abstenção de eleitores do que sua rival, Dilma Roussef, do PT. A conclusão é... Abstenção prejudica mais Serra do que Dilma

O candidato do PSDB, José Serra, perde mais com a abstenção de eleitores do que sua rival, Dilma Roussef, do PT. A conclusão é do Instituto Análise, do sociólogo Alberto Almeida, que testou em pesquisas de opinião os efeitos do absenteísmo no segundo turno ds eleiões. O fenômeno não se restringe aos eleitores mais ricos e está disperso por todas as regiões do País.

De acordo com pesquia, que acaba de ser tabulada, quem mais se desloca em feriados prolongados como o do próximo fim-de-semana são os moradores do interior de São Paulo, que têm como destino as praias do Estado. Foi justamente onde Serra alcançou seu maior percentual de votos no primeiro turno.

Para testar os efeitos da abstenção, os pesquisadores do Instituto Análise pediram aos entrevistados que, numa escala de 1 a 10, apontassem um número que representa sua convicção de que irá comparecer às urnas no próximo dia 31. O número 1 representava a certeza de que o eleitor não irá votar. O 10, a certeza de que irá votar.

A convicção de comparecimento foi maior entre os eleitores de Dilma do que entre os de Serra em todas as classes sociais e em todas as regiões brasileiras. “Entre os mais pobres, o Bolsa Família representa um grande incentivo ao comparecimento”, diz o sociólogo.

De acordo com Alberto Almeida, o eleitor de José Serra posicionado nas camadas de  renda  tende a se abster mais do que o de Dilma Roussef , o que favoreceria novamente a candidata petista. Em contrapartida, votos brancos e nulos tendem a favorecer José Serra, o que poderia criar um mecanismo de compensação.Almeida prevê um índice de abstenção entre 21% e 23% — bem maior do que os 19% registrados no primeiro turno das eleições.

O diretor do Instituto Análise diz, ainda, que se as margens apontadas pelas pesquisas estiverem corretas, a importância dos indecisos, dos votos nulos e brancos tende a produzir pouco impacto eleitoral, uma vez que as diferenças entre as duas candidaturas apontadas pelos principais institutos são muito amplas.

Almeida arrisca um prognóstico: “Quem quiser antecipar o que sairá das urnas deve pegar os resultados das pesquisas do próximo sábado, acrescentar dois pontos para Serra e reduzir dois pontos da média de a Dilma”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *