Cristiane Jungblut No último dia de propaganda eleitoral gratuita, os programas de TV dos candidatos do PT e do PSDB à Presidência, Dilma Rousseff... Na TV, Lula diz que votar em Dilma é ‘votar um pouquinho em mim’; Serra pede votos e tenta mostrar otimismo

Cristiane Jungblut

No último dia de propaganda eleitoral gratuita, os programas de TV dos candidatos do PT e do PSDB à Presidência, Dilma Rousseff e José Serra, ganharam um tom mais emocional e de despedida. O programa da petista ressalta que, depois da eleição de um sindicalista como presidente, agora seria a vez de eleger uma mulher para comandar o Brasil. O programa de Dilma se tornou um programa de despedida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que diz que votar em Dilma será “votar um pouquinho em mim”. O locutor repete que, dos 35 presidentes, apenas um “veio do povo”, o sindicalista Luiz Inácio Lula da Silva. “Agora, o Brasil quer avançar com a primeira mulher presidente”, diz o locutor. Lula aparece, em tom de despedida, e pedindo votos para Dilma.

– Deus foi mais do que generoso comigo. Se houve alguém ao meu lado que fez o possível e o impossível para me ajudar, foi a Dilma. Daqui a dois meses, não serei mais presidente. Ficaria muito feliz em ver a companheira Dilma continuar esse trabalho, porque ela é guerreira e competente e meu ajudou muito a chegar até aqui. Pela primeira vez, depois de cinco eleições, que o meu “retratinho” não vai estar lá na urna, mas na hora em que você apertar o 13 e aparecer o “retratinho” da Dilma, vote, vai estar votando na candidata mais preparada e vai estar votando um pouquinho em mim – diz Lula, desejando uma “feliz eleição”.

Já Dilma aparece várias vezes, falando sobre a juventude e a geração de empregos. E diz que vai honrar compromissos com as mulheres brasileiras.

– Hoje a gente está encerrando uma longa caminhada, que renovou meu amor e minha fé por esse Brasil que estamos construindo lado a lado. Meu compromisso é seguir nesse rumo. Muito obrigada e um grande abraço a todos vocês – diz Dilma, sempre sorridente.

Já o programa de Serra procura mostrar otimismo, mesmo bem atrás nas pesquisas de intenção de voto. Serra pede várias vezes o voto no próximo domingo.

– Nunca consegui nada de mão beijada. E venho pedir o seu voto no próximo domingo. Não teria sido eleito e reeleito tantas vezes se não tivesse trabalhado direito, não é mesmo? Por isso, peço o seu voto. Domingo agora, peço seu apoio e seu voto. Muito obrigado e um grande abraço – diz Serra, afirmando que fará um “pacto nacional”.

O locutor ainda diz que o importante é escolher a pessoa que governará o país e “não o padrinho”, numa crítica a Dilma, que seria apenas a indicada por Lula.

O programa apresenta ainda a biografia de Serra do início da campanha eleitoral. “Serra tem 40 anos de vida pública, feita com muito esforço, diferente da Dilma, que só chegou aqui pela mão do seu padrinho político”. O locutor repete que, ao contrário de Serra, o PT foi contra a Constituinte de 1988 e o Plano Real. Criou o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e tirou do papel o seguro-desemprego. Reafirmou salário mínimo de R$ 600 e reajuste de 10% para os aposentados.

Clique aqui para ler a íntegra no site do Globo

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *