Vamos partir do princípio de que a PETROBRAS, uma empresa vital para o país, é correta com os impostos, distribui royalties corretamente, paga o...

Vamos partir do princípio de que a PETROBRAS, uma empresa vital para o país, é correta com os impostos, distribui royalties corretamente, paga o justo aos fornecedores e respeita a legislação federal do que concerne à lei 8666. Considerado isto, vem a pergunta: o que o governo tanto teme nessa CPI ?

Poucas vezes na história se viu um esforço de mobilização tão grande numa investigação parlamentar. O Ministro José Múcio ficou dois dias inteiros encastelado no Planalto tentando em vão convencer senadores democratas a retirar assinaturas. O presidente Lula vocifera sempre que pode contra a empreitada tucana. Ontem, em Riad, ele afirmou que a CPI é coisa de quem não tem “outra coisa pra fazer” — como se fiscalizar o Executivo não fosse uma obrigação precípua do Legislativo. Uma semana atrás, em Mato Grosso do Sul, Lula disse que “de vez em quando eles (os senadores) têm que justificar o mandato” e, por esta razão, estariam armando a CPI.

O fato é que nem o presidente, com todo o seu pragmatismo, tem conseguido evitar alusões a problemas que podem vir à baila no curso desse processo. Ele mesmo qualificou os interesses que movem o PSDB como “possivelmente menores”. Por que não foi mais assertivo ? Por que não cravou um “interesses completamente eleitoreiros” ou coisa que o valha ?

Ao que tudo indica, a julgar pelas últimas denúncias e pelo discurso oficial, a oposição tem um campo fértil para trabalhar. Mesmo que o governo saia ferido, a CPI será uma excelente oportunidade de sanear a BR que, como asseguram todos, é um patrimônio da história deste país.

Se esse patrimônio estiver sendo conspurcado, o que aparecerá na investigação não são apenas crimes contra a maior empresa pública brasileira. Haverá também o registro de atentados contra algo que pertence ao campo do simbolismo pátrio.

Mas se a PETROBRAS está sendo bem gerenciada, se seus diretores são honestos como se supõe, se o governo respeita o patrimônio simbólico como quer que o povo o respeite, aí então a oposição terá que passar um atestado de lisura do governo petista.

Vai ser o primeiro da história.

 

 

 

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *