Com informações da Folha Online O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, admitiu renunciar ao posto, desde que o presidente deposto, Manuel Zelaya, não...

Com informações da Folha Online

O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, admitiu renunciar ao posto, desde que o presidente deposto, Manuel Zelaya, não retorne ao cargo.

O secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), José Miguel Insulza, pediu ontem que se mantenha a pressão sobre o governo interino de Honduras, para obter o retorno de Zelaya, que foi deposto por um golpe perpetrado pelo Congresso, Suprema Corte e Exército hondurenho em 28 de junho. A atitude irritou a comunidade internacional e isolou o país diplomaticamente.

Pesquisa da CID Gallup, em Honduras, mostra ainda que a maior parte da população reprova o golpe. Zelaya é mais popular que Micheletti. Ele tem aprovação de 46%, contra 30% de Micheletti, que era presidente do Congresso antes do golpe. A enquete apontou ainda que Zelaya tem 44% de desaprovação contra 49% do presidente interino.

Diante da pressão internacional, pela primeira vez, Micheletti acenou com a possibilidade de renúncia. “Se em algum momento a decisão [de renunciar] favorecer a paz e a tranquilidade no país, sem o retorno, que conste, sem o retorno do ex-presidente Zelaya, estou disposto a fazê-lo”, disse a jornalistas.

Leia a matéria na íntegra

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *