Com informações do Estadão. A indicação dos senadores PauloDuque (PMDB-RJ) para comandar o Conselho de Ética e João Pedro (PT-AM) para presidir a CPI...

Com informações do Estadão.

A indicação dos senadores PauloDuque (PMDB-RJ) para comandar o Conselho de Ética e João Pedro (PT-AM) para presidir a CPI da Petrobras mostra a estratégia adotada pela base governista. A ideia é impedir que investigações incômodas prosperem na Casa.

Duque é suplente de suplente e não tem planos para eleições no ano que vem. Assim, não sofre consequências ou pressão por parte da opinião pública se decidir por esfriar as investigações contra os colegas José Sarney e Renan Calheiros. E já declarou que não liga muito para o opinião pública que, na opinião dele “é muito volúvel”. Polêmico, chegou para liderar causando indignação nos que querem que as investigações e punições sejam claras.

Já João Pedro, suplente do atual ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, pode se alinhar com os interesses do governo na CPI e impedir que um escândalo maior sobre a estatal venha à tona. Mesmo assim, garantiu que não vai barrar a apuração de nada.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *