Censurados por razões diversas, dois blogs brasileiros fizeram uma inusitada “permuta de censura”  para impedir que seus leitores fossem privados da publicação de notícias...

Censurados por razões diversas, dois blogs brasileiros fizeram uma inusitada “permuta de censura”  para impedir que seus leitores fossem privados da publicação de notícias de interesse público cuja veiculação foi proibida por juízes estaduais.

O Blog do Pannunzio foi proibido de denunciar uma quadrilha de traficantes de pessoas que  atuava no Paraná e em países como a República Dominicana, Equador e Estados Unidos.

O Prosa e Política foi impedido de noticiar a escandalosa gestão do deputado estadual matogrossense José Geraldo Riva à frente da Assembléia Legislativa daquele Estado. Os editores das páginas eletrônicas decidiram, então, trocar o material censurado, e cada qual passou a publicar aquilo que o outro estava impedido. A experiência, inédita como tática de enfrentamento da censura de natureza judicial, repercutiu no mundo todo.

As restrições contra o Blog do Pannunzio foram levantadas meses depois pelo Tribunal de Justiça do Paraná. Mas o Prosa e Política permanece até hoje privado de  publicar posts sobre o deputado Riva, embora este tenha sido impedido de assinar cheques e assumir outras responsabilidades inerentes ao cargo de presidente do parlamento de MT.

Riva  não pode concluir seu último mandato porque foi duas vezes cassado pela justiçca eleitoral por compra de votos e fraude eleitoral. Ainda assim, a censura permaneceu. Posteriormente, foi reeleito com a maior votação a alcançada por um deputado estadual na história de Mato Grosso — a despeito de sua enorme folha corrida, adornada por quase 170 ações civis públicas e processos criminais.

Mas a estratégia de coação judicial não cessou. O deputado ficha-suja processa cicil e criminalmente os editores de ambos os blogs, pedindo a aplicação de penas que chegam a 26 anos de prisão, no caso do blogueiro Fábio Pannunzio, do Blog do Pannunzio, e 11 anos para Adriana Vandoni, do Prosa e Política.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *