Com informações do G1 Entre 2006 e 2012, o Brasil pode perder mais de 33 mil jovens assassinados. Os índices estarrecedores de violência contra...

Com informações do G1

Entre 2006 e 2012, o Brasil pode perder mais de 33 mil jovens assassinados. Os índices estarrecedores de violência contra adolescentes de 12 a 18 anos mostram que o número de homicídios entre pessoas dessa faixa etária é de 2,03, para cada mil. Os dados foram divulgados por uma pesquisa integrada, entre a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a organização não governamental Observatório de Favelas.

O levantamento contou com dados de 2006 sobre assassinatos de adolescentes em 267 municípios, com mais de 100 mil habitantes. Em uma sociedade considerada não violenta, o Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) entre jovens deve apresentar valores próximos a zero. A cidade de Foz do Iguaçu (PR) lidera o ranking, com 9,7 assassinatos para cada mil jovens.

Em segundo lugar está Governador Valadares (MG), com índice de 8,5 mortos para cada mil. As capitais mais violentas para adolescentes são Maceió (AL) e Recife (PE), ambas com médias de 6,0 jovens mortos para cada mil. O Rio de Janeiro aparece com índice de 4,9.

A pesquisa indica ainda que os homens têm taxa de homicídios 12 vezes superior à das mulheres. Quando o adolescente é negro, as chances de morrer assassinado são 2,6 vezes maiores do que a de um branco.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *