Operação Pelada: Corregedora-geral é a próxima da lista de exonerações

Trefiglio: se ela não ligar pedindo a conta, o Secretário liga para ela.

A situação da Corregedora-Geral da Polícia São Paulo é crítica. A saída dela deve ser anunciada nas próximas horas, segundo uma fonte da Secretaria de Segurança Pública. Maria Inês Trefiglio causou embaraços ao Palácio dos Bandeirantes e à cúpula da Polícia Civil ao apoiar e elogiar a ação truculenta da turma de delegados que algemou, despiu e humilhou uma escrivã acusada de concussão nas dependências da delegacia de Parelheiros, na Zona Sul de São Paulo. “Ou ela sai a pedido, ou saímos com ela”, afirmou um dos integrantes da cúpula da Segurança no Estado.

A postura de Trefiglio causou revolta e indignação em todas as categorias da Polícia Civil.  Ela chegou a afirmar ao repórter Sandro Barboza, da Rede Bandeirantes, que ” reportagens como essa só servem para desestimular o trabalho sério feito pelos bons policiais”. A censura da Corregedora-Geral tinha como alvo a divulgação das imagens da prisão em flagrante de V.S.L.F., feita em primeira mão pelo Blog do Pannunzio e pela TV Bandeirantes. De acordo com assessores dela, o comportamento dos policiais, afastados no começo da noite desta segunda-feira, foi “honrado e corajoso”.

A opinião diverge frontalmente da que foi manifestada  pelo Secretário de Segurança Antônio Ferreira Pinto. Embora não tenha feito referências diretas à atuação da Corregedora, ele manifestou, em nota oficial, “perplexidade com o requerimento de arquivamento do inquérito policial instaurado por abuso de autoridade pelo representante do Ministério Público oficiante” —  um recado claro do descontentamento do governo paulista com todos os que conspiraram para que os delegados permanecesem impunes.

Sob a coordenação de Maria Inês Trefiglio, a Corregedoria cerceou a defesa da escrivã e impediu que o video com as sevícias contra a escrivã até que fosse divulgado, na última sexta-feira, Blog do Pannunzio e pela Band.

Conhecida como “honesta”, “inflexível” e “durona”, Trefiglio vai cair por seu exacerbado corporativismo. Ela não teria informado seus superiores da existência do video, que circulou abertamente pelos computadores da Corregedoria enquanto seus  funcionários zombavam dos detalhes anatômicos e dos gritos de socorro de V.S.L.F.

Comentários

12 thoughts on “Operação Pelada: Corregedora-geral é a próxima da lista de exonerações

  1. Se fizeram isso na delegacia sem remorsos, presume-se que se especializaram, às escondidas, com tantas outras vítimas. Deixo a minha indignação em : gozapol.blogspot.com

  2. Fique entristecido com o ocorrido. Manifesto toda minha indignação em : gozapol.blogspot.com

  3. GOSTARIA QUE ALGUM REPORTER FIZESSE ESSA PERGUNTA A DR. MARIA INES E AO
    DELEGADO TARADO Eduardo Henrique de Carvalho Filho

    SOU DELEGADO, EU E MAIS CINCO AGENTES, ARMAMOS UM FLAGRANTE CONTRA A DOUTORA MARIA INÊS
    OU CONTRA A ESPOSA DO DELEGADO, ACUSANDO-AS DE ROUBO, FILMAMOS TODA A OPERAÇÃO PARA
    "A SEGURANÇA DE TODOS", DESDE O PRINCIPIO INSISTIMOS NA REVISTA INTIMA E DETERMINANOS QUE ELAS
    FIQUEM PELADAS NA FRENTE DE TODOS OS HOMENS PRESENTES NA SALA.
    NEGAMOS A REVISTA FEMININA CONFORME DETERMINA A LEI.
    NÃO ATENDEMOS A NENHUM APELO.
    PELA FORÇA BRUTA ARRANCAMOS AS ROUPAS DELAS, DEIXANDO NUAS NA FRENTE DE TODOS MUNDO
    E FILMANDO, GRAVADO TUDO.
    DAI TEMOS DUAS OPÇÕES:
    1. PLANTAMOS 4 NOTAS DE 50 REAIS XEROCOPIADAS E DECLARO PRISÃO EM FLAGRANTE E DEPOIS VAMOS RIR
    E FAZER PIADAS DAS PARTES INTIMAS DELAS

    OU

    2. NÃO ENCONTRAMOS NADA, NENHUMA PROVA, E PEDIMOS SINCERAS DESCULPAS PELO "ESFORÇO NECESSÁRIO" E LIBERAMOS ELAS, NÃO SEM ANTES DAR BOAS GARGALHADAS.

    ESTÁ ABERTO O PRECEDENTE OU NÃO ESTÁ?

  4. cONTRA AS IMAGENS NÃO SE TEM COMO NEGAR A S ATROCIDADES , PODE TER SIDO ATE CONTRA A MAIOR TRAFICABTE DO PAIS , NAO JUSTIFICA

  5. Pannuzio a corregedoria não faz parte da Policia Civil ,o sr. secretario impos que ela seja diretamente subordida a sua pasta,entãoi sabia de tudo e foi conivente e deve ser processado por tudo.Agora o Governador esta querendo que o bode tome conta do milho . A corregedoria não pode investigar esste caso.NAO DEIXA VIRAR PIZZA

  6. Nossa entrei nesse site Flit e vi os comentários da época (julho, agosto de 2009) de quem trabalhava lá, é interessante pq pessoal ali tava discutindo o presente, aquilo que estava acontecendo no momento, muitos já condenando.
    Tem um lá que diz que depois do ocorrido a escrivã ainda foi arrastada pelos cabelos pelo delegado até o carro da corregedoria.
    Tem gente falando que zombaram dela, dos gritos no final. Meu Deus nessa corregedoria parece que só tem animais, desde a chefe até os funcionários.
    Que a escrivã ficou em estado de choque quando viu que vídeo tinha vazado na corregedoria.
    Outros comentando que ela estava frequentando pisquiatra e etc..Achei louco por ser os comentários da época dos fatos.
    Quem quiser veja com os próprios olhos: "http://flitparalisante.wordpress.com/2009/08/26/radio-corredoria/#comments" Pannunzio Parabéns!!

  7. Os delegados envolvidos no caso da escrivã foram afastados sob a alegação de responsabilidade direta e conivencia, mas como fica a situação da corregedora, que além de ter conhecimento das arbitrariedades cometidas entende aque o procedimento foi legal ? Segundo informado no jornal da band será instaurado processo administrativo para apurar os fatos e ela será a responsável pela condução do procedimento? Como pode? Ela já deixou claro sua parcialidade e concordancia com o ocorrido.

  8. É uma pena que essa Combativa Corregedora-Geral caia. O mais importante, todavia, é que o Governo perceba a necessidade de uma Corregedoria FORTE E IMPLACÁVEL, porém (e daqui em diante) RESPEITADORA das leis e da Dignidade da Pessoa Humana.

    Corregedoria Forte, sim! A POLÍCIA CIVIL QUER E PRECISA DE UMA CORREGEDORIA FORTE!

    Mas que não seja arbitrária e que não ratifique nem compactue com ATOS DE ESTUPRO, TORTURA e EXECRAÇÃO DA INTIMIDADE DE UM SER HUMANO, muito menos de uma MULHER!

    Enfim, que a lição de que os NOBRES FINS DE COMBATER À CORRUPÇÃO não venham de encontro (contra) AOS MEIOS LEGAIS A SEREM NECESSARIAMENTE EMPREGADORES, onde se observem a ética, a Justiça, a lealidade, enfim, o Direito!

    Frederico Costa Miguel – membro do SINDPESP.

  9. Eu como Delegado de Polícia do estado de São Paulo não sinto vergonha de integrar a Polícia Civil deste estado em face do episódio da escrivã de polícia. E digo isto porque, conforme o Decreto do ex-governador José Serra, o qual é inconstitucional, esta corregedoria que aí está, arbitrária e truculenta, não faz parte mais dos quadros da Polícia Civil. Hoje, segundo o decreto, o órgão censor faz parte do gabinete do secretário de segurança e faz o que faz com aval do chefe, que não é mais o Delegado -geral de polícia. À época que a corregedoria era vinculada a delegacia geral este tipo de ação não ocorria. Disto tudo tirem suas conclusões…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *