André Caramente – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, decidiram ontem afastar do...

André Caramente – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, decidiram ontem afastar do cargo três delegados da Corregedoria da Polícia Civil suspeitos de cometer abuso de autoridade contra a então escrivã V.F.S.L.

Em junho de 2009, V. foi alvo de uma ação da corregedoria dentro do 25º DP (Parelheiros). Ela teve sua calça e calcinha tiradas à força pela equipe de policiais da corregedoria, que a acusou de cobrar R$ 200 de propina para favorecer um homem suspeito de portar munição em um inquérito policial.

À época da suposta cobrança de propina, V. cursava o 5º ano de direito. Ela chegou a ser presa, foi expulsa da polícia em outubro de 2010 e, agora, seus advogados tentam reverter a sua exoneração da Polícia Civil.

Nos bastidores da Segurança Pública, segundo apurou a Folha, a justificativa para o afastamento dos delegados foi a de que a situação política ficou insustentável para os policiais da corregedoria depois de o caso tomar proporções nacionais.

No fim de semana, um vídeo sobre a investigação contra a escrivã, gravado pela própria corregedoria e no qual ela aparece sendo despida, foi divulgado pelo blog do jornalista Fábio Pannunzio (pannunzio.com.br).

Ontem, Alckmin classificou o vazamento do vídeo como “grave”. Até antes da divulgação do vídeo, a cúpula da Segurança Pública apoiava os delegados da corregedoria que despiram V.

Um inquérito que investigou dois dos três delegados afastados ontem -Eduardo Henrique de Carvalho Filho e Gustavo Henrique Gonçalves- por suposto abuso contra V. havia sido arquivado.

Outros dois delegados envolvidos no caso, Emílio Antonio Pascoal e Renzo Santo Barbin, também serão investigados novamente por suposto abuso. Barbin havia sido sacado da corregedoria antes de o vídeo vazar.

Em entrevista ao portal G1, a ex-escrivã afirmou que o caso “é uma dupla humilhação, no dia e agora”, referindo-se à divulgação do vídeo.

via Folha de S.Paulo – 3 delegados são afastados acusados de despir escrivã – 22/02/2011.

Comentários

  • renata

    26/02/2011 #1 Author

    o mundo é machista, pronto e ponto.
    mas o que me enoja é saber que a chefona, a tal da dna. inês, não só alegou que seus meninos "agiram dentro da lei", como também deu uma forcinha para que o caso fosse arquivado.
    dá vontade de meter a mão na cara dela! velha sem vergonha!

    Responder

  • Marcio

    26/02/2011 #2 Author

    Deixa ver se eu entendi…. O Delegado Renzo Santo Barbin, não foi destituido de seu cargo pois à época do VAZAMENTO DO VIDEO,não estava mais na Corregedoria.
    Afinal , o que eles estão investigando? O mero vazamento do video ou os CRIMES perpetrados por esses delegados?

    Responder

  • Cleide

    25/02/2011 #3 Author

    Nossa! Esses senhores passaram realmente em concurso ou compraram o diploma? Mas é permitido analfabeto e bamdido ocuparem um cargo desses?por gentileza magistrados tomem as medidas cabiveis. imagino que deva ter uma gaiola na proporção do cérebro deles. Como podem ter ignorado tamanha vergonha, violência.e permitido que esses jumentos ficassem em seus cargos.? Fica claro que havia um interesse a passar por cima da lei para ver aquela mulher sem roupas. Seria um mal amado…. Como definir isso??????????????????

    Responder

  • Elisabete

    24/02/2011 #4 Author

    No Brasil fala-se tanto em combater a violência contra a mulher e acontece uma barbaridade dessas dentro de uma delegacia. O caso mais absurdo q ja vi. Quem esses delegados pensam q são querendo fazer justiça com as próprias mãos? Eles se acham acima da Lei e no vídeo percebe-se o total desequilibrio desse delegado. Era simplesmente fazer cumprir o que determina a Lei e com bom senso. Ele transformou a criminosa em vítima e se transformou em criminoso. Totalmente despreparado para exercer a função. E o pior é q a corregedora disse que esses policiais são corajosos e destemidos. Despir uma mulher algemada? Isso é coragem? Deus nos defenda de pessoas com esse tipo de pensamento.

    Responder

  • Tiago

    24/02/2011 #5 Author

    Tinha plobema em chama 2 policiais femininas pra despi-la ? isso é abuso esses policiais e esse delegado são um pervetidos, corvades , vagabundos ,tarados ,estúpidos esses sem-vergonha erá quem deveria ir pra cadeira e fica la pro resto da vida bando de vagabundo !

    Responder

  • mistério

    23/02/2011 #6 Author

    Infelizmente, também fui vitima deste Delegado da Corregedoria, Dr. Eduardo, que não respeita a Lei, a intimidade, nem a dignidade da pessoa humana, ele simplesmente se acha Deus, só que se esqueceu que acima dele há um DEUS verdadeiro, que com certeza, pesou suas mãos sobre ele.
    No momento oportuno, virá a tona minha estória, vocês poderão acompanhá-la pela internet e/ou imprensa.
    Por enquanto, aguardo JUSTIÇA, e sei que ela será feita.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *