A Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República qualificou como  como bárbaro e inaceitável o comportamento dos delegados da Corregedoria da Polícia...

Min. Maria do Rosário: Imagens abomináveis (foto: Agência Brasil)

A Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República qualificou como  como bárbaro e inaceitável o comportamento dos delegados da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo que despiram à força uma escrivã acusada de concussão. As imagens das sevícias foram divulgadas em primeirão mão pelo Blog do Pannunzio e pelo Jornal da Band na última sexta-feira (clique aqui para ver o video).

Na nota, a Ministra Maria do Rosário Nunes afirma que o governo federal irá acompanhar os desdobramentos do caso e pede o afastamento dos outros policiais que participaram da chamada “Operação Pelada”.

Leia a seguir a íntegra do comunicado.

Diante das imagens veiculadas pela imprensa, que mostram uma policial mulher sendo despida à força por policiais homens, no estado de São Paulo, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República vem a público manifestar o seguinte:

1 – As imagens divulgadas demonstram uma grave violação de Direitos Humanos. É inaceitável que num Estado democrático de direito, agentes públicos protagonizem cenas bárbaras como as referidas. Essa situação deve ser repudiada por todos aqueles que defendem a dignidade humana e acreditam que a segurança pública deve estar comprometida com a lei e com os princípios de Direitos Humanos.

2 – A situação mostra que o Estado brasileiro ainda tem um longo caminho a percorrer. Ao governo federal cabe aprofundar a política nacional em curso que, em parceria com os estados e municípios, visa formar policiais para uma atuação voltada à proteção e à cidadania. Somente estreitando os laços positivos entre a população e as forças de segurança, poderemos enfrentar a violência.

3 – O Governo do Estado de São Paulo cumpre seu papel ao afastar dois dos policiais envolvidos no fato. No entanto, é preciso que os demais policiais que participaram da agressão também sejam responsabilizados. Somente uma atitude célere e firme poderá assegurar à sociedade que a impunidade não prevalecerá.

4 – A Secretaria de Direitos Humanos acompanhará os desdobramentos e sempre condenará atitudes que violem os direitos fundamentais, onde quer que ocorram.

Brasília/DF, 22 de fevereiro de 2011

Maria do Rosário Nunes

ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

Comentários

  • francival lima

    05/03/2011 #1 Author

    COM BASE BÍBLICA, EIS UMA RESPOSTA; ATIRE A PRIMEIRA PEDRA AQUELE QUE NÃO TEM PECADO! É MUITO FÁCIL
    JULGAR E CONDENAR! DEVEMOS DÁ GRAÇAS A DEUS QUE ISSO VEIO À TONA. POIS NÃO SABEMOS SE ELA VINHA
    RECEBENDO PROPINA, OU NÃO. MAS QUE AS CENAS NOS LEMBRA AS TORTURAS DO NAZISMO, ISSO É VERDADE.
    AQUILO QUE NÃO É BOM PRÁ NÓS, NÃO PODEMOS SER SIMPATIZANTES DAS MISÉRIAS ALHEIAS! OU VOCÊ NUNCA
    LEU NAS SAGRADAS ESCRITURAS ACERCA DO JUIZO DE DEUS! PORQUE COM A MESMA MEDIDA QUE ESTÁS MEDIN-
    DO, SERÁS MEDIDO! QUEM COM O FERRO FERE, SERÁ FERIDO! OLHO POR OLHO! DENTE POR DENTE!
    RESTA AGORA A JUSTIÇA APLICAR PUNIÇÃO PRÁ TODOS QUE ESTAVAM NA SALA, COM EXCEÇÃO DE NENHUM!
    SOMENTE COM PUNIÇÃO SEVERA, ASSEGURARÁ A TODOS, QUE A IMPUNIDADE NUNCA PREVALECERÁ.

    Responder

  • claudia

    27/02/2011 #2 Author

    é PAULO, gostaria de saber se sua FILHA, sua MULHER, NAMORADA ou até mesmo sua MÃE se estivesse lá o que vc iria dizer__Quem disse que ela tem realmente culpa?__Mesmo assim os policiais não teriam esse direito.
    O que fizeram foi um horror!

    Responder

  • Eudes

    24/02/2011 #3 Author

    Concordo com todos que repudiam a forma desumana com a qual foi tratada aquela escrivã, embora tendo cometido um crime. Não se corrige um erro com outro erro pior ainda. Este tal de Paulo, com certeza, mudará de opinião no memento em que qualquer de sua família for pego transgredindo a lei e levar uns "tapinhas" da polícia. Sou policial também e defendo que a lei deve ser cumprida sim, aplicando-se as penas previstas para cada crime ou contravenção, sem contudo perdermos a capacidade de ver no infrator as características peculiares da dignidade humana.

    Responder

  • Marcio

    23/02/2011 #4 Author

    Que Flagrante, Sr. ? O Crime de concussão materializa-se (ocorre) na exigência da Vantagem indevida…
    Recomendo a leitura da resposta ao post do Sr. Paulo, acima.
    Pois afinal, o Sr. não é obrigado a ter conhecimento jurídico, alem do adquirido por ouvir dizer…
    Meus respeitos.
    Marcos
    (Advogado e Defensor dos Direitos Humanos, sejam eles de quem forem…)

    Responder

  • Marcio

    23/02/2011 #5 Author

    Ela já foi punida . Exonerada. E os demais criminosos que aparecem lá na gravação ? Quantos crimes o Sr. vislumbrou na gravação ? Permaneça assim, Sr. Paulo, em sua Santa Ignorância. Dói menos, vai por mim… E não reclame dos abusos que venham a ser cometidos contra sua esposa, filha ou mãe. A lei não é iguial para todos ? Recomendo-lhe, só para começar, a leitura (atenta) do Art. 5 da Constituição Federal, e seu incisos. O Sr. Ficará surpreso. Policiais não são considerados excessão na lei. Tambem praticam outros crimes. Abuso de autoridade, por exemplo…

    Responder

    • Paulo

      23/02/2011 #6 Author

      Prezado Marcio, apesar de um ignorante no que tange aos meandros jurídicos, dei, e mantenho, a minha opinião como cidadão pois é exatamente nessa linha de pensamento que, para proteger a todas as pessoas de bem, que tais tipos de crime tem que ser rigorosamente combatidos. O relaxamento ou "jeitinho" de livrar alguém por porte ilegal de arma poderia, por exemplo, permitir que o infrator viesse a cometer algum crime contra qualquer pessoa.. Isso é uma bola de neve não há limites, como estamos vivendo, para as consequências da corrupção. De qualquer forma opiniões diversas mesmo que de "ignorantes" fazem e compõe a nossa sociedade que, para tanto, lutamos que torne uma verdadeira democracia.

  • Frederico Costa Miguel

    23/02/2011 #7 Author

    Como o Governo cumpriu seu papel? Ficou provado que Secretário de Segurança sabia de tudo e nada fez em 2009. A OAB o notificou acerca do caso e só agora, depois que o caso vem à tona, ele (Secretário Ferreira Pinto) toma
    providências? E o Governador que externou INDIGNAÇÃO quanto ao vazamento do vídeo e se absteve de comentar os atos dos Delegados? E o MP e juiz? Cade O CNJ e o CNMP?

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *