As imagens da policial civil de São Paulo despida à força pelos membros da Corregedoria são chocantes e inaceitáveis. Não sei se ela é...

Manuela DÁvila: "Não tenho conhecimento de vídeos de homens, policiais ou não, sendo despidos pela polícia" (Foto: agência Câmara)

As imagens da policial civil de São Paulo despida à força pelos membros da Corregedoria são chocantes e inaceitáveis. Não sei se ela é culpada ou inocente das acusações que pesam sobre ela por parte da Corregedoria, mas sei que ela foi vítima de uma arbitrariedade injustificável. Arbitrariedade agravada pela divulgação do vídeo da ação na internet.
Como justificar a negativa dos policiais paulistas ao pedido de sua colega para ser revistada por policiais femininas? Como justificar que o artigo 249 do Código do Processo Penal seja ignorado por policiais que, em tese, investigam outros policiais que não cumprem a Lei?
Só há uma razão para tamanha violência, o fato de ser uma policial mulher. Não tenho conhecimento de vídeos de homens, policiais ou não, sendo despidos pela polícia. Não existe outra razão para o vazamento do vídeo, senão a curiosidade mórbida de assistir uma mulher tendo seus direitos violados e sendo exposta aos olhos do mundo. Não existe razão para a sindicância interna ter alegado que os delegados Eduardo Henrique de Carvalho Filho e Gustavo Henrique Gonçalves usaram “meios moderados” para a obtenção de provas. Em qualquer democracia, deveriam estes delegados ser investigados.
A grande maioria dos nossos policiais são homens e mulheres que lutam pela segurança sem apoio, armamento adequado e, ainda, com salários baixos. Mas ainda persistem aqueles que não se adaptam às leis e normas vigentes na democracia. Para eles, abuso de autoridade e constrangimento ilegal são “meios moderados” para investigar uma colega. Imagine quais os meios moderados que são usados contra a nossa população, e, ainda, contra as mulheres.
Nossa sociedade não aceita que a população fique exposta a este tipo de policiais que ao invés de proteger, ataca os direitos do nosso povo .

Deputada Manuela d’Ávila PCdoB/RS

Comentários

  • Barrosao

    23/02/2011 #1 Author

    Estes maus policiais, incompetentes, despreparados, arrogantes, covardes devem ser penalizados com a perda do cargo, perda do emprego, serem presos e ainda pagar por todo o mal que fizeram com esta escrivã, culpada ou não. Em momento algum mostra o dinheiro sendo retirado de suas vestimentas. estranho que o dinheiro de repente apareceu nas mãos do delegado. Foi plantado ali. Porque ele arrastou a escrivã para fora do alcance da camera e somente depois o dinheiro realmente apareceu? Este delegado é que deve ser investigado. Burro, incompetente e broxa. Estava na cara que ele queria é ve-la nua de qualquer forma.

    Responder

  • Frederico Costa Miguel

    23/02/2011 #2 Author

    Prezada Deputada Manuela D`Àvila,

    Parabéns pela sua manifestação. Porém gostaria de adicioná-la com uma indagação.

    E o promotor de Justiça que pediu o arquivamento do caso, ratificando o ato dos policiais?

    E o juiz que concordou com tal ratificação?

    E o CNJ e o CNMP, não serão acionados?

    E o Governador que se escandalizou com o “vazamento” do vídeo e nada manifestou no tocante à tortura?

    O DELEGADO DE POLÍCIA SP RECEBE O PIOR SALÁRIO DO BRASIL! O POVO SABE DISSO? ISSO É LEVAR

    A SEGURANÇA PÚBLICA A SÉRIO?

    Frederico do SINDPESP – SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DE SP.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *