Coação, humilhação, perseguição. Saiba como a escrivã V. se tornou a estrela das cenas de nudez da Corregedoria

“Isso é a cena de um estupro. Faltou apenas a conjunção carnal”. Foi assim, com um ar de incredulidade, que um promotor de justiça reagiu ao ver as imagens da violência perpretada por dois delegados de polícia contra uma escrivã neste Blog. O video, que acabara de ser veiculado, selaria os destino de duas mulheres. A escrivã V.F.S.L., humilhada, arrasada, seria expulsa da polícia como uma ladra, no curso de uma investigação eivada de falhas processuais; e  a chefe de seus algozes, a corregedora Maria Inês Trefiglio Valente, que perderia um dos postos mais importantes da Polícia Civil por ocultar e apoiar a truculência de seus agentes.

A história que levou a isso tudo começa no dia 1 de novembro de 2008, às 15 horas, quando o Centro de Operações da Polícia Militar recebeu um chamado para atender a uma ocorrência trivial na Rua Henrique Albertus, 1, em Parelheiros, na Zona Sul da cidade de São Paulo.

Ao chegar ao local, os policiais encontraram o assistente judiciário José Geraldo de Souza, 53 anos de idade, com marcas visíveis de espancamento pelo corpo. A surra fora aplicada pelo filho dele após uma discussão. Descontrolado,  o motoboy Alex Alves de Souza, de 27 anos,  não se contentou em arrancar sangue do pai. Fez-lhe, também, uma ameaça de morte. Com uma caixa de munição nas mãos, gritou “isso é pra você”.

Alex não estava mais em casa quando os PMs chegaram. Com autorização do pai agredido, fizeram uma busca e encontraram a caixa de munição dentro em uma armário da área de serviço. Eram 27 cápsulas de cartuchos calibre .30 marca CBC. José Geraldo não quis representar contra o filho pelas agressões sofridas. Mas motoboy passou a ser investigado pela posse ilegal da munição.

No dia 5 de junho de 2009, pela primeira vez, Alex e V.F.S.L. se encontraram no cartório do Vigésimo-quinto Distrito Policial. Ela na condição de escrivã, ele, na de depoente. Alex, como todo frequentador habitual de delegacias de polícia, inventou uma história qualquer para justificar a posse da munição. Ela já havia sido preso em flagrante três anos antes pelo mesmo crime, porte ilegal de arma.

Contou ao delegado que encontrou os cartuchos no fundo do quintal de sua casa quando capinava o mato. Alguém teria perdido a caixa e ele a guardou por oito longos meses, sempre pretendendo se livrar dela. Explicou que brigou com o pai quando este agrediu sua filha. Quanto ao ferimento no rosto de José Geraldo, teria sido produzido por acidente — o pai, na versão do agressor, se desequilibrou quando ele o agarrou pelo braço e bateu a cabeça num beliche.

Quatro dias depois, o motoboy procurou o Grupo de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público para denunciar a escrivã. No dia seguinte, foi encaminhado à Corregedoria da Polícia Civil, onde prestou declarações afirmando que a policial “foi logo dizendo que o declarante ‘estava enrolado’, ‘estaca complicado’, e que poderia ajudá-lo mediante o pagamento de R$ 1 mil; que o declarante disse que não tinha a referida quantia, (…) sendo dito pela escrivã que o acordo ficaria em R$ 600, caso contrário ela acabaria com a vida do declarante”.

Começava aí a produção de uma das peças mais insólitas da crônica policial.  Alex tinha uma mãos uma gravação feita com seu telefone celular que supostamente registraria o momento em que V. lhe exigiria o dinheiro. Eramentira — pelo menos em relação à afirmação de que havia, na gravação, o registro de uma exigência de propina feita pela escrivã.Ao contrário do que afirmou aos delegados, não havia seuqer uma insinuação, uma menção a dinheiro.

O diálogo gravado, cuja transcrição pode ser lida na íntegra aqui, refere-se apenas a questões de praxe na tomada de um depoimento. Todas as respostas foram formalmente assentadas.

Preparação do flagrante: "declarante deve seguir todas as orientação" para pegar a escrivã

Apesar de estarem cientes disso, os delegados incumbidos de apurar a denúncia trazida por Alex decidiram iniciar uma investigação tortuosa. No mesmo dia em que tomaram seu depoimento, passaram a ele instruções precisas de como  deveria agir dali em diante para produzir, armar o flagrante. E o mais impressionante é que tudo isso ficou registrado no termo de declarações resultante do primeiro depoimento do motoboy à Corregedoria.

O documento, que o Blog do Pannunzio revela em primeira mão (veja fac-símile à esquerda), detalha as instruções para a montagem do flagrante:

“Que nesta oportunidade, o declarante esta sendo orientado de que devera seguir totalmente as
orientações que ora lhe estão sendo passadas, no sentido de que devera comparecer ao 25.0 Distrito Policial no período da tarde, sob vigilância de Policiais Corregedores, ocasião na qual ira adentrar no cartório da referida Escrivã, conforme combinado pela própria, anteriormente, sendo que irá cumprir com a exigência imposta pela Escrivã, realizando efetivamente a entrega de R$200,00 (Duzentos reais), sendo esta a quantia
levantada pelo declarante; Que, após, efetivamente entregar a aludida quantia, o declarante iFáefetuar uma ligação telefônica, do seu próprio telefone (O 11-6780-9726), ao telefone (O 11-7817 -7296), sinalizando ao policiais para que possam adentrar as dependências da aludida Unidade Policial, para efetuar a prisão em flagrante da Escrivã “Vanessa”, Que o pagamento será efetuado com quatro notas de–R$50,OO (Cinqüenta- reais), as – quais foram previamente apresentadas pelo declarante nesta Divisão e xerocopiadas, e instruem o presente  procedimento”.

Qualquer estudante  de direito sabe que induzir ao cometimento do crime produz provas viciadas. Para os delegados da Corregedoria, no entanto, bastaram as declarações de um homem com passado criminal, munido de uma gravação que não dizia nada, para dar início a um procedimento completamente irregular. E que tinha por objetivo incriminar, por meios espúrios, uma servidora contra quem não havia nada além da palavra do denunciante.

A falta de provas responde a pergunta que ninguém fez à ex-corregedora-geral Maria Inês Trefiglio quando ela afirmou que o procedimento vexatório de seus agentes era “necessário”. Na verdade, eles não tinham a prova da concussão, e sem o vale-tudo circense armado nas dependências de Parelheiros não seria possível execrar a funcionária. Inadmissível num ambiente acostumado à coação e aos julgamentos sumários, acostumado ao arbítrio e imbuído de uma caça às bruxas que, em nome de “limpar a polícia”,  justificava todo tipo de abuso e desrespeito.

Outra lição que todo candidato ao bacharelado em direito sabe: a concussão é um crime formal, que se consuma no momento em que o servidor público exige dinheiro. Todo o restante da cena montada é inútil do ponto-de-vista da instrução do inquérito. Ou seja: não é necessário comprovar que houve o pagamento, como no crime de corrupção. A isso se chama exaurimento — não agrava a pena, não altera o tipo penal, é simplesmente inócuo.

A partir daí, Alex passa a agir como um títere dos delegados. Nas conversas seguintes, ele tenta, sem sucesso, insinuar-se para a escrivã, que rechaça as investidas. Mas isso será assunto da próxima reportagem, amanhã, aqui no Blog.

Comentários

69 thoughts on “Coação, humilhação, perseguição. Saiba como a escrivã V. se tornou a estrela das cenas de nudez da Corregedoria

  1. Caro jornalista Fábio Pannunzio, não vou e não posso me identificar, sinto medo de ser perseguida e prejudicada e por este motivo vou me manter no anonimato.
    Eu gostaria que você investigasse um caso ocorrido em Ilhabela em dezembro de 2009, quando uma equipe da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo, comandada por um Delegado de Polícia chamado Mario Aidar que chegou em Ilhabela como se fosse o último dos JUSTICEIROS, BLINDADO pelo apoio do GAECO, e com toda sua “inteligência” e soberba, foi à casa de um cidadão que procurava e veja só: tomou “pinote”,”comeu poeira”,rsrsrsrs. Indignado, tratou a esposa do rapaz como se fosse uma bandida, a constrangeu (só não chegou a tirar a calça como o covarde coleda da corró), mandou seus tiras sujos perseguirem o filho do rapaz, menor de idade, em seu trabalho, ameaçando o menino para capturar o pai. Se qualquer policial fizesse isso com a família de qualquer bandido, seria exonerado, mas os corregedores não, eles podem tudo, estão acima da lei e de todos!! Seu insucesso o descontrolou e então passou a cometer um abuso atrás do outro. Agrediu, junto com seus tiras, cidadãos inocentes que apenas foram contratados para fazer uma mudança, invadiu a residência de um cidadão envolvido em litígio possessório, sem que essa pessoa estivesse em estado de flagrante deto, pois sequer se tratava de uma ocorrência policial, apenas no entendimento do SER SUPREMO. Violou o domicílio sem ordem judicial, colocou todos deitados no chão, seus tiras chegaram a pisar na cabeça dos funcionários da empresa de mudanças. Não contente, humilhou o rapaz perante sua família, vizinhos.
    Este fato, que aconteceu em dezembro de 2009, mudou a vida de várias pessoas, policiais foram transferidos, pessoas que foram envolvidas pela Corregedoria tiveram que mudar-se para outra cidade para não passar por mais humilhações, outros, que permaneceram ali, até hoje sofrem com comentários maldosos.
    Por favor, dê a devida atenção para estes fatos, nós, os que assistimos aquilo sem poder fazer nada, nos sentimos ultrajados até hoje.
    obrigado pela atenção

  2. para quem frequenta esse blog e nao eh do universo policial eh claro que estranha essa noticias, parece inclusive que tais coisas acontecem somente agora e somente esse caso, porem nos policiais ja estamos acostumados e eh quaze que normal nos vermos a palavra de um traficante ou de um ladrao valer mais que a nosssa na corregedoria, sem provas a palavra deles coloca na cadeia policiais que nada devem, pode parecer historia mas somente nos sabemos o que se passa aqui…..

    • A corregedoria de sp é pra ingles ver os verdadeiros corruptos eles nao investiga ,porque recebe sua cota tambem…só pega quem tá se fudendo de ttrabalha nas periferias sem condiçao minima de dar uma boa resposta ao povo (vitima) e a maioria das canas deles é armaçao pra enganar a sociedade, dizendo que esta acabando com os maus policiais, eles tem que levantar é os patrimonios milionario de alguns policiais do alto escalao. AI O SERVIÇO VAI SER SERIO.

  3. Caros colegas, boa noite!!!! Bom, se a "lei é igual para todos",certamente o assunto em tele ñ terminará aquí!!!! Há que acontecer o conserto e, por conseguinte tb a punição correta e justa para àqueles que a mereçam….seja qdo no exercicio do estagio probatório, bem como mesmo sendo uma classe especial, ñ importa.

  4. ENGRAÇADO…..MUITO ENGRAÇADO… PORQUE A PODEROSA REDE GLOBO (P.S.D.B), NAO COMENTOU NADA SOBRE O ASSUNTO?$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

  5. Parabéns Jornalista Fábio Pannunzio.Você está mostrando que esse grupo que atuo nesse caso são INCONPETENTES, COVARDES, Etc.. O Motoboy sem calcular seu risco, jogou, sevou e eles engoliram. O medo do GAECO, a falta de tirocínio somado com sonho de medalhas desse grupo de Corregedores ajudou o pescador a melhorar sua isca. Lamentável que uma Escrivã de Polícia tenha sofrido barbárie, foi a vítima da prepotência e incompetência desses Policias. E depois, seus superiores tentando esconder o caso para não prejudicar ainda mais a imagem da Polícia Civil sacrificarão essa Escrivã. Novamente parabéns e muito, e muito sucesso nas suas matérias jornalísticas. Que Deus continue te iluminando com esse destemor suas ricas matéria jornalisticas, ajudando o País a melhorar, combatendo o ESPURGO e a PREPOTÊNCIA.

    • Parabens colega lindo comentario, ao jornalista Fabio Pannunzio tambem meus parabens.

    • Parabens pelo comentario e ao Fabio Pannunzio pelo seu trabalho.

  6. as delegacias estao sem delegados e demais funcionario e enquanto isso apenas 3 delegados sao transferidos para a dgpad sem que qualquer delegado saia de la….o que demonstra que eles estao na nasa chique da policia civil, enquanto isso no decapo tem um monte de delegado respondendo por 2 delegacias, por que sera que estao com mdedo de ir para o decap????????????

  7. Vocês não sabem como estão os Distritos por aí, tanto da Capital, quanto do interior, em sua grande maioria estão completamente avacalhados, sem funcionários, sem principalmente escrivães, hoje moeda rara, e tem delegados de seccionais ainda que tiram, ao seu bel-prazer, um Escrivão de uma Delegacia e leva para seccional pra trabalhar no setor administrativo, muito vezes ao arrepio do mesmo, e não coloca outro no lugar, aí fica aquele buraco na Delegacia, e todo aquele acervo que era do cara, passa por outros Escrivães que já estão assoberbados de trabalho, colocando seriamente em risco o bom funcionamento das Delegacias…deveriam também ser responsabilizados por isso esses insensatos…

  8. Aliás, o sr. Secretário de Segurança(????) Pública, é o maior responsável, pois alem de passar a mão na cabeça de sua queria PM (e fazer presão para que IP's no DHPP, onde constassem pm's, fossem encobertados ou levados a banho maria…), fez uma campanha para destruir a Polícia Civil, que tanto odeia, pois era oficial da PM e membro do MP (que sempre seonhou tomar as rédeas do IP e colocar a policia judiciária a seus serviços para escolher os inquéritos e aparecer na TV jornais, enquanto outros com gente simples a PC cuidaria sem maiores probelmas e com a desculpa que o problema é dela, quando muitas vezes, eles (MP) simplesmente esquece alguns IP nas gavetas, ou protelam suas denuncias, esperando laudos inúteis e demorados, só para não 'meter a mão na sujeira')
    esquecendo-se que inclusive que os oficiais da PM ganham mais que os delegados da PC, com uma gratificação que para nos da PC e os sd, cb e sgt da PM é diferente e menor. A PC tem seus problemas, ams ela enfraquecida e sem estrutura, é o pior dos mundos para o povo (Já pensou a PM pegar o sujeito levá-lo para sua companhia, "trabalhar" o indivíduo e levá-lo a seu superior dizendo o que quer e "produzindo" provas contra esse sujeito…que terror….)

  9. Pannunzio, quero desde já dar-lhe os parabéns por essa sua investida contra a Instituição que, desde a posse da Inquisidora Mor, tornou-se uma casa de arbítrio e desmandos!
    Sou policial civil e esse acaso é apenas a ponta de um Ice-berg, que tem histórias de tortura (física e moral), abuso de autoridade e desmandos comandado pela Sra. Maria Inez e sesu asseclas!
    Se vocẽ quiser se aprofundar é so procurar por alguns dos presos no PEPC (nclusive de polciiais presos em "flagrante") que vocẽ e a população de S. Paulo, ficarão estarrecidos!
    Como integrante da pobre (em todos os sentidos) e convalescente Polícia Civil, fiquei com a alma lavada pelo o que ocorreu.
    Agora peço que fique atento pois tenho quase certeza que vão querer passar a mão na cabeça dessa senhora e de seus subordinados "estupradores" (palavras do Promotor) travestidos de delegados de polícia.
    alías um deles, o sr Eduardo, já tinha um histórico terrível quando ainda era investigador de polícia! Além disso, existe uma denúncia de que esse delegado teria agredido uma esposa de um policial, na residencia deste durante sua prisão, e nada foi feito para se apurar o caso pela sra. Maria Inez…investigue isso…
    Parabéns! Nós, os policiais civis honestos e trabalhadores, temos muito o que lhe agradecer! A Polícia Civil, está em débito com o sr. Mas por vfavor, aprofunde mais suas investigações! Vai descobrir coisas terríveis….Existem outros psicopatas ali na Correg, que precisam ser desmascarados…Caetano Paulo Fº e etc…

  10. CARACAS IRMÃO! SE ESTAS SÃO AS PEÇAS QUE DERAM ORIGEM AO "FRAGRANTE", SIM, "FRAGRANTE" MESMO PORQUE DELEGADOS ASSIM NA POLICIA CIVIL SÃO "BAITAS" ANALFABETOS, INCLUINDO A CORREGEDORIA, AUMENTA A SUSPEITA DE QUE ESTA ESCRIVÃ NÃO CORRESPONDEU A ALGUMA "CANTADA" NO PASSADO E AGORA PAGOU O PREÇO. INFELIZMENTE AINDA QUEM MANDA É O PSDB E SÓ DEUS PARA PUNÍ-LOS PQ AQUI O JUDICIÁRIO É TODO CONIVENTE.

  11. Esse tipo de funcinário é que macula a Instituição onde rabalham, misturando-se com funcionários honesto e de carácter que constituem a Polícia Civil de São Paulo. Ação Proposital, melimetrada, pois no video que caiu no Youtube ouvimos do CORREGEDOR EU TENHO QUE ASSISTIR, VOCê PREVARICOU DUAS VEZES UMA Não dando voz de prisão, E DEPOIS A PARTE MAIS IMPORTANDE DO VIDEO O Hábil " CINEASTA " MOVE A CAMERA COM CLOSE FECHADO NAS COSTAS DE UM UNIFORME AZUL ESCURO, E DEIXA DE MOSTRAR O INSTANTANEO DE ONDE foram tiradas e onde ESTAVAM AS QUATRO NOTAS QUESTIONADAS. O funcionário pode receber presentes não pode pedir, exigir, intimar etc. E quando a ação é forjada, premeditada, com os recursos téc Publico nicos de hoje pode se ilustrar um sonho louco, macabro. Sempre as ações tem que ter um motivo, está difícil de se saber o que houve, o que é real, porque dessa humilhação. Mas com os esclarecimentos que você está trazendo, ja se está visualisando um motivo para esta ação encenada, e com certeza aparecerá a VERDADE. PARABÉNS, PARABÉNS e que DEUZ te ilumine cada vez mais.

  12. Pannuzio, PARABÉNS pelo trabalho jornalísco sobre este lamentável episódio (Escrivã de Polícia). É só com o destemor da imprensa e trabalho investigativo como o Teu, Nobre Jornalista,é que se consegue evitar descalabro como esses. CASO que muito se assemelha ao Tito de Alencar Lima (Frei TITO), que fôra quebrado por dentro. Essa Senhora (Escrivã de Polícia) com certeza está quebrada por dentro também e não se esquecerá jamais por todo o sempre os momentos ultrajantes.Casos diferentes resultados iguais. Com certeza parecerá a VERDADE. Na degravação, mostrada por você, em momento algum se vê ESCRITO a palavra valores R$s,tanto dito pela escrivã como por quem intencionalmente fez uma gravação do propio celular ter perguntado a escrivã QUANTO é O VALOR? ou coisa que se assemelhe a valores em reais. Seus levantamentos jornalístico está mostrando ao Brasil a realidade que estavam ocultando e que não é a que perpetraram.
    PARABÉNS, PARABÉNS e que DEUZ te ilumine cada vez mais.

  13. Prezados Leitores,

    A Generalização é uma precipitada e injusta agressão à maioria dos Delegados de Polícia Honestos e Trabalhadores, merecedora de repúdio e descrédito!

    As "disputas" institucionais ocorridas em São Paulo são realidade odiosas e que só trazem prejuízo à Sociedade!

    Assim como não funciona uma "mula sem cabeça", será que aprendemos a lição de que não funciona uma Corregedoria "Externa", fora dos quadros da Polícia Civil?
    Pior ainda é saber que essa manobra se deu por DECRETO, ao arrepio da Lei e da Constituição Estadual de São Paulo.

    Respeitosamente,

    Frederico Miguel.

    "Luciano Prado · 14 hours ago
    Secretário de Segurança está maduro. Caso não caia agora vai apodrecer (a corporação) no cargo."

  14. Muito esclarecedor. Só acho que o nome dela deveria ter sido riscado para preservar o pouco de privacidade que lhe resta..

  15. Ahahahaha… boa! Esse caso está igualzinho ao do promotor Thales. Isso se chama "estouro da boiada" na Medicina Legal. No final, quando a poeira baixar, os corregedores serão inocentados e recuperarão seus cargos, pois apenas cumpriram a lei. Mas é preciso dar um basta nessa irresponsabilidade da imprensa. No Brasil não existe pena de morte. Mas li comentários de supostos policiais falando até em matar o colega corregedor por "fogo amigo". Além disso estão o acusando de estupro e até de tortura. E a corrupta foi transformada em santa. Liberdade de expressão deve implicar responsabilidade pelo que se expressa. Lá na frente, quando esses corregedores forem inocentados, terão o dever de buscar as devidas indenizações contra quem moveu esse "estouro da boiada" contra eles. Por enquanto a corregedoria segue "dominada".

    • Caro Urso RX180

      Vc está confundindo as coisas, uma coisa é o suposto crime praticado pela escrivã, que foi exonerada e ainda não teve tempo de se defender, outra é o crime praticado pelos policiais, que agiram com abuso de poder, contra uma pessoa que não tinha como se defender, não é possível que em um pais que diz viver sob o "Estado Democrático de Direito" este tipo de coisa venha a ocorrer, essa atitude destes policiais é típica dos anos de chumbo (1968-1979) em que o não havia limites ao "poder de policia", portanto ainda que esta policial tenha cometido uma ilegalidade, seus direitos básicos foram desrespeitados pois ela não poderia em nenhuma hipótese ser obrigada a ficar nua na frente de 6 (seis) homens. Pare para pensar um pouquinho se fosse alguém da sua familia como vc reagiria. Não se pode sob o pretexto de realizar "diligencia policial" cometer um outro crime tão ou mais grave quanto. Assim como a lei impõe limites ao cidadão comum impõe também as autoridades públicas. Pense nisso.

  16. Estranhm decreto do Governo do Estado de São Paulo, publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (26), transfere a estrutura básica da Corregedoria da Polícia Civil para o gabinete do secretário da Segurança Pública.

    Na prática, a Corregedoria passa a ser diretamente subordinada ao secretário da Segurança Pública, que deve ser informado sobre o andamento de todas as atividades da unidade. Antes, quem recebia essas informações era a própria Polícia Civil.

    A remoção de integrantes de algumas carreiras, por exemplo, deverá ser previamente comunicada ao secretário. As decisões de penas de remoção compulsórias também passarão a ser submetidas ao titular da pasta.

    Assessoria de Imprensa da Secretaria da Segurança Pública
    http://www.ssp.sp.gov.br/noticia/lenoticia.aspx?i… atitude do Governador.Leiam-

  17. NOSSA PANNUNZIO COMO VC É BURRO… CONCUSSÃO É CRIME FORMAL, DE CONSUMAÇÃO INSTANTÂNEA.. ELE SE CONSUMA QUANDO O AGENTE PEDE OU ACEITA RECEBER A PROPINA…

    MAS A FORMALIDADE DEPREENDE ALGUNS ASPECTOS…

    MESMO QUE NÃO RECEBA O DINHEIRO, O CRIME É CONSUMADO NO ATO DE PEDIR OU ACEITAR.. O MOMENTO DA ENTREGA DO DINHEIRO AINDA CONFIGURA ATO DE PEDIR OU ACEITAR, SE VC ESTUDA DIREITO SE MATE…. E AINDA SERVE DE PROVA DE QUE HOUVE O PEDIDO ANTERIOR… OU SEJA, SE UM POLICIAL TE MANDAR IR EM CASA E TRAZER O DINHEIRO, QUANDO VC VOLTA COM O DINHEIRO A EXIGÊNCIA AINDA ESTÁ DE PÉ.. BASTA PROVÁ-LA, NOOB. E QUANDO ELE ACEITA O DINHEIRO O CRIME SE CONSUMA NOVAMENTE.. É COMO CRIME DE AMEAÇA, A CONSUMAÇÃO É INSTANTÂNEA MAS NÃO ACABA NA PRIMEIRA FRASE DE AMEAÇA, NOOB.

    • Burro é vc, Maioral… O que o PANNUNZIO quis dizer é que não há prova nenhuma da concussão. A suposta prova apresentada pela vítima à Corregedoria é a gravação de uma conversa com a escrivã. Só que a na degravação de tal conversa em momento algum a escrivão exige alguma quantia da suposta vítima. Ou seja, não havia prova nenhuma contra a escrivão da prática da concussão.
      E, eu concordo com vc que concussão é crime formal, que se consuma com a mera exigência de uma quantia.
      Mas não havia nenhuma prova de que a escrivã praticou tal concussão. Na degravação da conversa da escrivã com a suposta vítima não há nada de errado.
      Portanto, isto explica o desespero dos policiais naquele flagrante preparado. Sabiam que não tinham nada contra a escrivã, mas queriam incriminá-la de qualquer jeito. Por isto agiram com abuso naquele flagrante preparado.
      Logo a escrivão deve ser absolvida no processo criminal, pois não há nenhuma prova de que ela exigiu alguma quantia para beneficiar a vítima, e o vídeo que provaria que ela estava com o dinheiro foi feito de forma ilegal.

  18. Que HORROR! A conduta dos Policiais."" Ser revistada" por Policiais Homens, PM, e Guarda Municipal…isso é um ABSURDO! Perceberam que a "Calça Jeans" da humilhada é " tão apertada" e o Grana já aparece no vídeo quase NOVA, sem AMASSO, Estranho! Agiram ao ARREPIO da LEI. Essa Cidadã foi exposta de forma VIL e INACEITÁVEL, partindo de quem deveriam ZELAR pela Aplicação da LEI. Esse epsódio é um Corolário de abusos do Início ao FIM. Quanto DESMANDO! Parabéns pelo " FURO Jornalístico, em trazer á baila esse ABUSO e AGRESSÃO á Cidadania por parte dos Policiais Civis em tela. Um HORROR!

  19. Não sou da área do Direito, portanto, me corrijam se estiver errado…um detalhe que ninguém comentou até agora e que passou desapercebido por todos (inclusive pelos juristas chamados a comentar) é que, segundou soube, o domicílio de um funcionário público é o lugar onde exerce permanentemente suas funções…ora, o lugar onde o Escrivão de Polícia exerce permanentemente suas funções é o seu Cartório, e por extensão, o prédio do Distrito Policial onde trabalha, portanto, os Delegados machões e caterva, não poderiam, naquele momento, em hipótese nenhuma, "invadir" o Cartório da Escrivã, nem mesmo o prédio do Distrito ( a não ser que ela autorizasse, ela sim, e não o Delegado Titular, porque era ela o alvo dos Delegados machões e caterva)…se for assim, mais um crime funcional eles cometeram….para discussão.

  20. Pois é Pannunzio, é por estas e tantas outras que muita gente tem medo da polícia. Se os próprios membros da Corregedoria dão credibilidade à versões de bandidos e não se cercam de cuidados para apurar a veracidade dos fatos, a coisa realmente está perdida. Antes de julgar e condenar a investigadora, deveriam ter sido transparentes e sérios na condução da investigação. Devemos partir da premissa de que todos são inocentes até que se prove o contrário. Isso é princípio básico do Direito. A barbárie foi algo realmente de filme. O pior é que esse filme foi protagonizado por uma pessoa que, mesmo conhecedora dos seus direitos, nada pôde fazer. Foi humilhada, teve desrespeitada sua dignidade, foi refém de policiais arrogantes, brutos, que se julgam acima da lei. Lei esta que deveriam respeitar com muito mais acuidade, pela própria profissão que exercem.
    Será que eles não sabem que os porões da ditadura foram exterminados? Ahhh, esqueci… eles agora torturam às claras nos DP's … e ainda filmam tudo!!!

  21. A leitura da desgravação mostrra claramente que o fato foi criado. Tenho alguma experiencia de MP e acredito até que a Vanessa foi excessivamente delicada com o cidadão, mas em nenhum momento houve pedido de dinheiro. Interessante ler o documento que foi postado aqui. Das respostas do cidadão se percebe um certo "quero ser seu amigo" ou coisa parecida. Provavelmente tramou tudo isso para ficar livre do proprio processo. O que eu não consigo entender e espero que apareça logo é a razão que moveu a corregedoria a agir dessa forma. Será que não houve alguma outra motivação,? O delegado da revista pelada, teve contato antes com a escrivã?

  22. Se fizeram isso com uma policial, imagina o que fazem com nós professores quando entramos em estado de greve e vamos para a paulista. É pura humilhação. É preciso, com urgência, reformular a polícia em todo o Brasil. Acabar com a existência de duas polícias. Polícia Civil e Militar! Pra quê?

  23. Agora que eu li a degravação, defendo mais ainda a prisão dos policiais que cometeram esse crime contra a moça. A coitada teve que conviver sozinha com isso durante quase dois anos. Armaram uma cilada para ela por causa do depoimento de um acusado e essa gravação? E o MP, a Secretaria e a Corregedoria blindaram esses sujeitos? É assim que se faz carreira na polícia?

  24. Entrei nos sites policiais e notei que usam apelidos,medo de serem punidos?
    Se for aqui fica um lembrete-portaria Interministerial nº 02 de 16/12/2010, os policiais de todo território nacional, podem, têm o direito de se expressarem nos sites, blogs, internet, nos termos da CF. Ou São Paulo não toma conhecimento nem dos direitos e garantais individuais???s

    • O problema não é saber a lei, mas a persseguição e a repressão interna, onde usam o termo conforme determinação e necessidade da administração, então fica difícil comentar alguma notícia ou ter a liberdade de comentar algum fato ou notícia

  25. Estou acompanhando este caso, desde o principio, neste blog. Só tenho a dizer uma coisa: Parabens Sr. Pannunzio! É um excelente blog. Recomendo a todos, sem excessão. Parabéns!!!!

  26. Em tempo:
    Essa atrocidade nos remete aos tempos DoiCodi,ao DOPS., e tudo em nome do orgulho do Sr.Governador em dizer que criou a "via rápida"para demitir policiais,mas deste jeito?
    Quem vai cobrar providências do Governo? Afinal secretários ocupam cargos de confiança dos Governadores.Estou chocadacom os direitos humanos,com o governador que apenas se dignou a dizer que iria mandar apurar e ressaltou a gravidade, não do fato mas do vazamento da fita.Não estamos num estado de Direito democrático,no meu entender,isso é caso de intervenção federal.Dez dias e três gatos pingados afastados?Tenha dó Sr. Governador.

  27. Lamentável.
    E pactuando com esta barbaridade,estavam os superiores hierárquicos,ou seja a Corregedora,o Secretário,e inclusive os
    governadores,já que que o Presidente da OAB-SP,indignado enviou ofício a todos eles.Terá enviado à OAB-Brasil,aMinistra quer a punição exemplar , de quem, de quantos?
    Esse país vai a banca rota.Estou enojada.

  28. Pensei que casos como o do promotor Thales nunca mais iriam ocorrer, mas pelo que vejo a imprensa continua a mesma. Estou curioso para saber como exatamente o dinheiro foi parar na "periquita" da santa. Será que foi obra do Espírito Santo?

    • Urso RX 180
      Ninguém a defende da corrupção. Mas um crime não justifica outro ainda pior. Pense nisso.

  29. ALINE, são atitudes como essa que dão combustivel para essa inquisição, hoje o policial não pode sequer discutir como um cidadão qualquer que ja confundem com abuso, E DAÍ QUE O CARA É POLICIAL???? SE FOSSE UM MÉDICO VC IRIA AO CRM (CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA) ? Pare de ser chorona e aguente suas divergências como uma pessoa adulta!!!! Parece aquela irmãzinha mimada que fala: MAMÃE OLHA O QUE O JUNINHO TA FALANDO PRA MIM,,, BUAAAAA

  30. A MAIOR VERGONHA JÁ PASSADA PELA CARREIRA DE DELEGADO DE POLÍCIA.

    CARREIRA JURÍDICA ????

    NUNCA SERÃO……NUNCA.

    ADEU PEC 549……VCS NÃO MERECEM

  31. Só regredimos a fase do DOPS por causa do atual SSP e da DD Ex-Corregedora, que vão contra a moral e os direitos da dignidade humana… Será que a OAB vai deixar por isso mesmo??? DD Sr. Dr. D´urso… siga a regra do SSP seu lema é: "PAU QUE DÁ EM CHICO… TBM DÁ EM FRANCISCO" afinal a propria corregedora ("ex", graças à Deus) disse que ele sabia de tudo… Não foi??? Será que ele é do tipo "FAÇA O QUE EU MANDO, MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO"???

    PARABÉNS PANUZZIO… EM NOME DA POLICIA CIVIL, AGRADEÇO E PEÇO QUE NÃO DEIXE NOSSA DIGNIDADE SEM RESPÓSTA… JÁ BASTOU APANHARMOS FEITO LIXO NO CONFRONTO COM A PM.
    FIQUE COM DEUS E QUE O ABENÇOE! SOCORRO… POR FAVOR NOS AJUDE!

  32. pannunzio, parabens vc é fantástico, até o papa bento xvi já falou no assunto da escrivã, pq vc não mostra essa reportagem do jornal da band?

  33. Pessoal, OBSERVEM BEM no final da filmagem, ou seja, no momento em que estão tentando tirar a roupa dela, que ele mantém uma das mãoes sempre fechada. O que segura na mão que não pode abrí-la? E mais, em dado momento o agressor usa inclusive somente os dedos indicador e polegar – matendo os demais fechado – isso é no mínimo estranho…

  34. Que coisa absurda – inacreditável! Este caso é emblemático e merece toda cobertura da mídia. Onde estão os demais programas de TV do gênero, que não divulgam e cobram justiça??? – Onde?, "me ajuda aí, ôôô!"…
    Tudo deve ser apurado com urgência e seriedade – e com a cobertura da imprensa e acompanhamento das instituições de direitos humanos do país. A sociedade brasileira [de bem] exige.
    Parabéns ao Blog do Pannunzio!

  35. Não estou conseguindo ler a degravação da conversa da escrivã com a suposta vítima…
    Quando clico no link q vc postou sou remetido à página inicial do blog… O que está acontecendo?

    • O problema já foi corrigido. Pode tentar de novo para baixar o documento em PDF. Obrigado.

  36. Secretário de Segurança está maduro. Caso não caia agora vai apodrecer (a corporação) no cargo.

  37. PANNUNZIO, SE ESSES MOMENTOS DE HORROR PELO QUAL PASSOU ESSA ESCRIVÃ NÃO VIESSEM À TONA, MUITOS OUTROS POLICIAIS IRIAM SER VÍTIMAS DE ABUSOS POR PARTE DESSE ORGÃO CORREGEDOR, QUE DEVERIA DAR EXEMPLO DE LEGALIDADE; ALIÁS, IMAGINE QUANTOS OUTROS ABUSOS PODEM TER SIDO COMETIDOS E QUE NÃO VIERAM AO CONHECIMENTO PÚBLICO!

    • Caro Edison,

      Acredito que muitos outros o tenham sido.E outros tantos beneficiados, tudo que foi feito por essa gestão deveria ser revisto,não acham?
      Li agora no G1 coisas ainda mais horripilantes, que Deus dê forças para essa moça, que agora sabemos não ser culpada de nada.

  38. uma coisa que ninguém se deu conta o Delgado Eduardo tinha acabdo de passar no concurso ele estava no Estágio Purbatório isso é ruaaaaaaaaaa na hora sem lagrimas

    ninguém fala disso

  39. Srs. Delegados de Polícia: antes de pensar em autuar alguém em flagrante, e para que essa prisão não seja desastrosa (como foi no presente caso), dêem uma olhada, mesmo que "en passant", no Código Penal Brasileiro, no Código de Processo Penal Brasileiro, no Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo e no Estatuto dos Políciais Civis do Estado de São Paulo…assim, na marra, evitarão todo esse vexame pelo qual a classe está passando agora.

    • Ou seja, para evitar vexame à classe evitem cumprir a LEI.

  40. Esse assunto roda a net e divide as opiniões. Estou enfrentando problemas com um policial sobre esse assunto num site que acesso, inclusive ele até usou palavras de baixo calão para me ofender. Um servidor público deve ter conduta ilibada (pelo menos que finja tê-la) até mesmo na sua rotina fora do âmbito profissional, o que não ocorre referente a esse rapaz. Como faço para que isso seja analisado?

    • Isso, coloque lá. Melhor incluir a Band como coautora, pois talvez daqui alguns anos a indenização aos corregedores seja grande.

    • Lamentavelmente essa parte da selvageria não saiu no Jornal da Band.

      E o Secretário de Segurança continua no cargo.

      Ou seja, caso algo igualmente abominável venha à tona (e certamente virá, porque o estilo do Secretário é este) a culpa será exclusiva do governador porque está abonando seu subordinado, seu “homem de confiança”.

  41. Que furo, Pannunzio!!!! Que história inacreditável, cara!!! Eu não conhecia o seu blog, mas de agora em diante ele entrou na minha lista de leitura diária obrigatória!!!

    • Pois é, jornalistas fazem tudo pela audiência, mesmo que isso custe a vida de pessoas. Estão acusando o delegado de tortura, estupro e falando em matá-lo por "fogo amigo".

    • Que é isso!!! Estão acusando o delegado de tortura, estupro…”

      As imagens valem mais que mil palavras…

      Eu conheci o delegado na Faculdade.

      Já dava para perceber que não tinha, preparo intelectual e moral para estar na Corregedoria.

      Parabéns Pannunzio!!!

  42. Lembro-me agora o que meu professor de Direito sempre dizia em sala de aula: "As "otoridades" vão sempre na frente fazendo as besteiras (com raríssimas exceções), e alguns poucos policiais abenegados vão atrás tentando consertar".

  43. Deixa ver se eu entendi (parece filme); eles forjaram a prova, no video realmente eu não vi o delegado pegar o dinheiro da calcinha, como pode puxar a calça e a calcinha e o dinheiro aparecer o dinheiro na mão do delegado, justo esse que mais fazia terrorismo com ela, e a cena realmente parecia mais como estupro! E a você Fabio Pannunzio parabéns pelo seu blog.
    Blog sério, digno de leitura! Recomendo aos meus amigos.

    • Assista o vídeo parando quadro a quadro que você verá o delegado pegando o dinheiro nas vestes da corrupta.

  44. Deus do Céu!

    Alguém imaginada que a polícia civil de São Paulo ainda estivesse nessa fase, ou seja, na idade da pedra lascada?

    Causa estarrecimento o fato de a selvageria ter sido tratada pela Corregedoria, pelo Ministério Público estadual e pela justiça paulista como coisa normal, corriqueira.

    Agrava ainda mais o fato dos ofícios da OAB/SP encaminhados aos órgãos de governo e ao próprio governo paulista não terem provocado qualquer providência das autoridades.

    Não recordo de fato tão grave nos últimos tempos. É de arrepiar.

    • Polícia Civil NÃO (!!!), pois a CORREGEDORIA foi RETIRADA da POLÍCIA CIVIL pelo secretário da segurança pública, o procurador do ministério público ANTONIO FERREIRA PINTO e subordinada diretamente à sua pasta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *