Destaques dos jornais de hoje – O Estado de S. Paulo

Ficha Limpa só vale a partir de 2012
Decisão do Supremo permite que candidatos barrados que tiveram votos suficientes para se eleger em 2010 assumam o mandato

O Supremo Tribunal Federal concluiu ontem que a Lei da Ficha Limpa não valeu para as eleições do ano passado. Recém-empossado no tribunal, o ministro Luiz Fux deu o voto decisivo para liberar os candidatos fichas-sujas que disputaram cargos em outubro do ano passado. Pela decisão de ontem, todos os candidatos barrados pela Lei da Ficha Limpa que tiveram votos suficientes para se eleger devem tomar posse nas próximas semanas, entre eles Jader Barbalho (PMDB-PA), João Capiberibe (PSB-AP) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). Para precisar quantos deputados terão de deixar os mandatos para dar lugar a fichas-sujas, será necessário recalcular a quociente eleitoral. A decisão é uma derrota para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que sempre defendeu a aplicação imediata da lei. O TSE informou ontem que não dispõe da relação de políticos que deverão assumir vagas no Congresso. (Págs. 1 e Nacional A4)

Voto decisivo
Luiz Fux, ministro do STF
“A tentação de aplicação imediata da lei é muito grande até para quem vota contra” (Pág. 1)

Coalizão volta a bombardear palácio de Kadafi
Aviões da coalizão internacional bombardearam ontem o palácio do ditador líbio, Muamar Kadafi, no complexo militar de Bab el-Aziza, ao sul de Trípoli, informou a TV Al-Arabiya. As forças aliadas lançaram vários ataques ontem contra alvos militares em Trípoli, informa o enviado especial Lourival Sant'Anna. Divergências adiaram a aprovação do acordo para passar a liderança militar à Otan. (Págs. 1 e Internacional A14 a A18)

Atentado em Jerusalém
Uma pessoa morreu e 38 ficaram feridas em explosão de bomba diante de uma rodoviária. Havia ao menos oito anos não ocorria esse tipo de ataque em Jerusalém. (Págs. 1 e Internacional A18)

Sabão contra radiação
Marinheiros americanos descontaminam porta-aviões na costa japonesa: nível de radiação acima do considerado seguro para bebês foi detectado ontem na água encanada de Tóquio. (Págs. 1 e Internacional A21)

ONU: Brasil deve mudar em relação a Irã
Uma votação hoje no Conselho de Direitos Humanos da ONU poderá marcar a mudança da postura brasileira em relação ao Irã. O envio de um relator especial ao país para avaliar denúncias de violações de direitos humanos deverá ser apoiado pelo Brasil, seja em votação regular, seja em consenso que ainda está sendo negociado no conselho. A resolução não é condenação, o que facilita a posição brasileira. Ainda assim, o apoio pode ser considerado o primeiro sinal de ajuste na resposta do País a problemas na área de direitos humanos no Irã. (Págs. 1 e Internacional A19)

Rio confirma dois casos de dengue tipo 4 (Págs. 1 e Vida A23)

Veríssimo
O porrete e a Líbia
Obama fala suavemente, como se viu na sua visita ao Brasil, mas não descartou o porrete como arma política que herdou dos seus antecessores. (Págs. 1 e Caderno 2, D10)

Notas & Informações
O relógio da crise andou
A obstinação de Kadafi esvazia a tese brasileira da “transição benigna”. (Págs. 1 e A3)

Crise em Portugal derruba premiê
José Sócrates não conseguiu aprovar nova lei de austeridade e renunciou. O país deve negociar pacote de resgate de até 70 bilhões com União Europeia e FMI. (Págs. 1 e Economia B1)

zp8497586rq
Comentários