Destaques dos jornais de hoje – O Globo

Central nuclear de Angra vai rever segurança de encostas
Tragédias no Japão e na Serra levam à contratação de consultoria externa

A Eletronuclear vai contratar uma consultoria externa para reavaliar o risco de desabamento das encostas em torno das usinas atômicas de Angra dos Reis, informam Carla Rocha e Paulo Motta. O monitoramento de deslizamentos é contínuo, bem como os investimentos em obras de contenção. Mas, como admite a empresa, as tragédias do Japão -a tsunami que gerou a crise nuclear- e da Região Serrana do Rio -onde montanhas se desmancharam- ensinaram que o inimaginável acontece. “Essa reavaliação independente é para dar mais tranquilidade. Em todo o mundo, as usinas estão analisando qualquer possível vulnerabilidade”, diz Pedro Figueiredo, diretor de operações da Eletronuclear. O inimaginável já ocorreu em 1985, quando uma avalanche soterrou o Laboratório de Radioecologia, ao lado da usina. (Páginas 1, 16 e 17))

Em 4 anos, R$ 662 mi desviados do SUS
Investigações do Ministério da Saúde de da Controladoria Geral da União atestam que, de 2007 a 2010, pelo menos R$ 662 milhões foram desviados do Fundo Nacional de Saúde, que financia o SUS. Entre as fraudes estão hospitais parados, pagamentos irregulares e superfaturamento. O prejuízo pode ser maior, pois só 2,5% das verbas transferidas para o fundo foram fiscalizados. (Páginas 1, 3 a 10)

Mortes em obras do PAC estão acima dos padrões
Quarenta trabalhadores já morreram em 21 grandes obras do PAC, como hidrelétricas, rodovias e refinarias, nos últimos três anos. Só nas usinas de Jirau e Santo Antônio, em Rondônia, houve seis mortes. Em 2010, a “taxa de mortalidade” nas 21 obras alcançou 19,79 por 100 mil trabalhadores, considerada “altíssima” pelo consultor da OIT no Brasil, Zuher Handa. O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, Paulo Safady Simão, admite que “as obras estão em ritmo muito acelerado, e as companhias não estão treinando pessoal”. (Páginas 1, 35 a 37)

Dúvidas sobre a Copa e as Olimpíadas
Os preparativos para a Copa e as Olimpíadas preocupam setores da sociedade civil, principalmente quanto ao legado que os megaeventos deixarão ao país. O custo dos estádios já cresceu 57,6%. (Página 1, Caderno Esportes)

Sarney, o último a saber
Da biografia autorizada de José Sarney emerge um personagem que não sabia da doença de Tancredo Neves às vésperas da posse, não foi consultado sobre o Ministério que mais tarde herdaria e descobriu o fracasso do Plano Cruzado ao escutar uma conversa no banheiro. Sarney chama Ulysses Guimarães de “político menor”. (Páginas 1, 12)

Ancelmo Gois
Vem aí a primeira UPP no interior do estado. (Páginas 1, 26 e 27)

Elio Gaspari
Na era Agnelli, quem comprou R$ 1.000 em ações da Vale hoje tem R$ 16.830. (páginas 1 e 14)

zp8497586rq
Comentários