Destaques dos jornais de hoje – O Estado de S. Paulo

Coalizão articula dar armas aos rebeldes contra Kadafi

Objetivo declarado é derrubar o ditador; para Washington, a medida não extrapolaria resolução da ONU

Chanceleres de mais de 40 países, reunidos ontem, em Londres, discutiram formas de armar os rebeldes líbios para que eles possam derrubar o regime de Muamar Kadafi – agora, um dos objetivos declarados da coalizão. A discussão, ainda travada nos bastidores, foi admitida por representantes dos EUA e da França, dois países líderes da operação militar iniciada no dia 19. Segundo americanos e franceses, os insurgentes provavelmente não conseguirão derrubar o ditador líbio por conta própria. Para Washington, o fornecimento de armas não extrapola a resolução da ONU que autorizou a operação militar. O enviado especial à Líbia, Lourival Sant'Anna, relata que as tropas leais a Kadafi conseguiram retomar duas cidades em poder dos rebeldes. (Pàgs. 1 e Internacional A13 a A16)

Sob pressão, gabinete sírio se demite
O gabinete ministerial da Síria apresentou ontem a sua renúncia ao presidente Bashar Assad. Buscando conter a crise após protestos de opositores, o líder sírio deve dar mais um passo hoje ao anunciar o fim do estado de emergência em discurso para a nação. Assad deve oferecer “significantes concessões políticas”, segundo autoridades do país. (Págs. 1 e Internacional A17)

José Alencar: Morre um lutador
A longa guerra de José Alencar contra o câncer terminou ontem. O ex-vice-presidente morreu aos 79 anos, após sensibilizar o País por sua resistência, sempre com bom humor. Empresário, Alencar foi fiador da aliança que elegeu Lula em 2002. (Págs. 1 e Nacional A10 a A12)

Crítico dos juros, vice foi um aliado fiel no governo (Págs. 1 e Nacional A12)

Lula, ex-presidente da República
“Eu acho que o Brasil perde um homem de dimensão excepcional. É muito fácil a gente falar das pessoas depois que morrem, porque todo mundo fica bom depois que morre, mas o José Alencar era bom em vida”.(Pág. 1)

Parlamentares criticam juízes após desafio ao Congresso
Parlamentares consideraram fora de propósito a tentativa de juízes de aumentar os próprios salários à revelia do Congresso – os magistrados entraram no Supremo Tribunal Federal acusando o Legislativo de omissão por não ter aprovado ainda o reajuste da categoria. “Não cabe fazer nenhum tipo de comentário. A Constituição é clara em relação às prerrogativas de cada Poder”, afirmou o presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). (Págs. 1 e Nacional A4)

Deputado ataca negros e gays na TV
O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) declarou em entrevista à TV que seria “promiscuidade” se um filho seu se apaixonasse por uma negra. Ele também atacou as cotas raciais e os homossexuais. A cantora Preta Gil, que participou do programa, prometeu processá-lo. A OAB-RJ anunciou pedido de processo na Câmara por quebra de decoro. (Págs. 1 e Nacional A8)

Corte emperra Minha Casa, Minha Vida
Bandeira de campanha, o programa Minha Casa, Minha Vida está parcialmente estagnado desde o início do ano. Nenhum projeto voltado para famílias que recebem até três salários mínimos foi assinado com a Caixa – reflexo do contingenciamento de gastos imposto pelo governo. “Faltou dinheiro”, diz Paulo Simão, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção. (Págs. 1 e Economia B1 e B3)

Juiz põe alunos do 2º grau na faculdade (Págs. 1 e Vida A22)

Justiça impede 'Caras' de publicar carta (Págs. 1 e Vida A24)

Notas & Informações
O teste diplomático de Dilma
A presidente vai à China, país muito mais lúcido que o Brasil na defesa de seus interesses nacionais. (Págs. 1 e A3)

zp8497586rq
Comentários