Com informações do Estadão. Um assessor do presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), foi tranferido do gabinete do parlamentar para...

Com informações do Estadão.

Um assessor do presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), foi tranferido do gabinete do parlamentar para o Conselho de Ética. A migração aconteceu há oito meses e o funcionário foi para ganhar um salário mensal de R$ 5 mil. O detalhe é que o advogado Luiz Eustáquio Diniz Martins mora no Rio de Janeiro e não cumpre expediente em Brasília. Na sala do colegiado, ninguém sabe quem é o empregado, mais um “fantasma” da Casa.

Na época da transferência, Duque não integrava o Conselho que investiga a conduta de parlamentares. A chefia de gabinete do senador admite que Martins é assessor de Duque há muitos anos, e não do colegiado, e que teria ido ao Conselho para resolver um problema de falta de vaga existente na sala do parlamentar.

Localizado, Luiz Eustáquio martins confirmou que assessora Paulo Duque desde 2007. Ao ser confrontado com a informação de que trabalharia no Conselho, ele se irritou, dizendo que exerce funções que “não dizem respeito aos jornalistas”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *