Eduardo Bresciani, do Estadão – Mais de 50% dos funcionários subordinados a senadores estão dispensados de bater ponto para registrar frequência no trabalho. Dos...

Eduardo Bresciani, do Estadão –

Mais de 50% dos funcionários subordinados a senadores estão dispensados de bater ponto para registrar frequência no trabalho. Dos 3.082 servidores que trabalham nos gabinetes pessoais dos senadores, das lideranças e da Mesa Diretora, pelo menos 1.618 já foram liberados pelos parlamentares de cumprir a obrigação. Os números foram obtidos pelo Estado em um levantamento no Portal da Transparência do Senado nesta terça-feira, 3.

O dado reforça que os senadores são os principais responsáveis pela baixa efetividade do sistema de ponto eletrônico, implantado na Casa no ano passado e que ganhou neste ano um componente de identificação dos funcionários pela impressão digital. Na estrutura administrativa da Casa, onde trabalham 3.022 servidores, apenas 50 estão dispensados da exigência.

Desde o início, as regras já tinham liberado os servidores lotados nos escritórios dos senadores nos estados do controle mais rígido de frequência. Atualmente, são 962 funcionários que trabalham fora de Brasília e, por isso, estão dispensados do ponto.

Os senadores, porém, seguiram ampliando as “exceções” à regra do ponto. O ato que regula o sistema permitiu que os parlamentares liberassem da exigência os seus funcionários. Até esta terça-feira, já tinham sido dispensados por esta brecha 656 servidores da Casa.

Clique aqui para ler a íntegra no site do Estadão

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *