Com informações do Estadão. O Ministério Público Estadual do Maranhão reprovou as contas apresentadas pela Fundação Sarney entre 2004 e 2007 e decidiu intervir...

Com informações do Estadão.

O Ministério Público Estadual do Maranhão reprovou as contas apresentadas pela Fundação Sarney entre 2004 e 2007 e decidiu intervir na entidade.

Auditoria nas prestações de contas indica também que parte da verba repassada à fundação pela Petrobras acabou virando investimento e foi parar em aplicações bancárias.

Agora, o MPE vai indicar representantes para o conselho curador e para a diretoria executiva da Fundação que tem como presidente vitalício o presidente do Senado, José Sarney, supostamente envolvido numa série de outras irregularidades.

Durante quase um mês auditores trabalharam na análise da documentação apresentada pela entidade. O relatório aponta desvio de finalidade na aplicação dos recursos que a Fundação Sarney recebeu de vários órgãos públicos e empresas privadas.

O relatório também fala na triangulação de recursos entre a fundação e outra entidade comandada por aliados da família Sarney, a Associação do Bom Menino das Mercês. A Abom havia recebido patrocínio da Vale para o custeio de um festival de quadrilha. O dinheiro entrou na conta da associação, mas em seguida foi repassado para a associação. O mesmo movimento acontecia de forma inversa.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *