Rombo de partidos será coberto com verba pública Manobra legislativa que elevou repasses ao Fundo Partidário vai zerar déficit de PT e PSDB após...

Rombo de partidos será coberto com verba pública
Manobra legislativa que elevou repasses ao Fundo Partidário vai zerar déficit de PT e PSDB após eleição

O rombo que o ano eleitoral de 2010 deixou nas contas de PT e PSDB será coberto por recursos públicos em 2011, graças à manobra do Congresso que, em janeiro, elevou em R$ 100 milhões os repasses da União para o Fundo Partidário, relata Daniel Bramatti. Depois de bancar parte da campanha de Dilma Rousseff, além de candidatos a governos estaduais e ao Congresso, o PT chegou ao fim de 2010 com déficit de quase R$ 16 milhões. Mas receberá R$ 16,8 milhões extras neste ano graças ao incremento do Fundo Partidário, aprovado sem ser debatido em plenário. No caso dos tucanos, a receita extra será exatamente igual ao déficit nas contas de 2010: R$ 11,4 milhões.

Como o PSDB tem uma dívida pequena de eleições anteriores, de cerca de R$ 500 mil, poderá até encerrar o ano com superávit, com a ajuda dos cofres públicos. (Págs. 1 e Nacional A4)

‘Legislar em causa própria’
Para especialistas, a ampliação do Fundo Partidário é forma disfarçada de financiamento público de campanhas. “É legislar em causa própria”, diz Aldo Fornazieri. (Págs. 1 e Nacional A4)

Emergentes devem reduzir inflação, cobram países ricos
Em reunião de bancos centrais na Suíça, os países ricos cobraram das economias em desenvolvimento, entre elas o Brasil, que abandonem as políticas de estímulo ao crescimento, elevem juros e cortem gastos.
O objetivo é evitar que a inflação dos emergentes “contamine” os desenvolvidos – isso já estaria ocorrendo por causa da demanda por commodities. (Págs. 1 e Economia B1)

Governo arrecada R$ 16 bi com taxas na conta de luz
O pacote de dez encargos embutidos na conta de luz rendeu R$ 16,3 bilhões ao governo no ano passado. É dinheiro para fiscalização e geração de energia em pontos isolados. A carga de impostos representa 45,6% da despesa com luz. (Págs. 1 e Economia B5)

Educação: Na finalíssima de prova em mandarim
O carioca Tomaz Mefano, de 21 anos, venceu a preliminar da 10ª edição Chinese Bridge, concurso de proficiência em mandarim, que oferece bolsas de estudo. Em julho, ele disputa a prova com jovens de 140 países. (Págs. 1 e Vida A16)

Fábrica chinesa de PCs quer avançar no Brasil (Págs. 1 e Negócios)

Finanças Pessoais
Saldo residual ainda assusta mutuários. (Págs. 1 e Economia B10)

Obama suspeita de elo do Paquistão com Bin Laden (Págs. 1 e Internacional A8)

TV dos EUA mostra imagens do menino Sean (Págs. 1 e Cidades C4)

Socorro da ANS a plano de saúde tem baixo retorno (Págs. 1 e Vida A14)

Carlos A. Sardenberg
Alta de preços e crescimento
O governo topava um pouco mais de inflação para garantir um pouco mais de crescimento. Está colhendo mais inflação e menos crescimento. (Págs. 1 e Economia B2)

Notas & Informações
A Argentina se aproveita
O governo argentino continua a impor restrições crescentes à entrada produtos do Brasil. (Págs. 1 e A3)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *