Vera Magalhães, da Folha – O ex-vice-presidente e ex-senador Marco Maciel (DEM-PE) foi nomeado pelo prefeito Gilberto Kassab para os conselhos administrativos de duas...

Vera Magalhães, da Folha –

O ex-vice-presidente e ex-senador Marco Maciel (DEM-PE) foi nomeado pelo prefeito Gilberto Kassab para os conselhos administrativos de duas empresas municipais: a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e da SPTuris (São Paulo Turismo).

Ele passou a receber salário de R$ 12 mil mensais para participar de uma reunião mensal em cada órgão. Maciel é presidente do Conselho Político do DEM, partido ao qual Kassab era filiado antes de abrir uma grande dissidência e articular a criação do PSD (Partido Social Democrático).

Os convites demonstram que, apesar de ter ficado no partido, ele mantém ligação política com o prefeito.

A nomeação na SPTuris foi publicada no último dia 27 no Diário Oficial. Maciel foi instalado na vaga de um conselheiro cujo mandato terminaria dois dias depois.
No entanto, o estatuto da empresa prevê a reeleição para novo período de dois anos, o que garante os rendimentos ao ex-senador até depois das eleições de 2012.

Maciel vive entre Brasília e Recife, cidade em que nasceu e mantém base eleitoral.
A prática de instalar aliados derrotados nas urnas em conselhos de empresas públicas é recorrente.

O ex-deputado Raul Jungmann (PPS-PE), assim como Maciel, derrotado na eleição para o Senado por Pernambuco, também integra o conselho da CET, com salário de R$ 6.000 mensais. A proximidade de Maciel e Kassab incomoda parte do DEM, que vê o ex-senador com um “infiltrado” do prefeito e do ex-senador Jorge Bornhausen na sigla que ambos ajudaram a enfraquecer.
O partido já perdeu dois senadores, um governador e ao menos 13 deputados federais para a nova legenda.

Maciel foi procurado, mas informou que só falaria hoje com a reportagem.
Kassab disse que a escolha do antigo correligionário para ter assento em duas empresas públicas municipais se deve à “experiência” acumulada por Maciel em décadas de vida pública.

“Ele deixou de ter cargo eletivo, mas é uma pessoa com vasta experiência, que pode contribuir muito para as empresas”, disse.
O prefeito afirmou que relacionar a nomeação de Maciel para os cargos a uma tentativa de manter aliados influentes no DEM é “uma bobagem”. “Não tem questão partidária nenhuma.”

Se você é assinante da Folha/UOL, clique aqui para ler a íntegra

Comentários

  • PEdrino

    09/05/2011 #1 Author

    Isso mesmo kassab, arrebenta com o resto…

    Responder

  • PELEGRINI

    09/05/2011 #2 Author

    kassab está implodindo e se explodindo!

    Responder

  • Luciano Prado

    09/05/2011 #3 Author

    O blog está negligenciando no que se refere aos comentários aos posts.

    Melhor fechar os comentários, cuja publicação só se dá duas semanas após seu envio.

    Se enviar via carroça chega primeiro?

    "Quem não pode com o pote não segura na rocilha".

    Responder

  • Luciano Prado

    09/05/2011 #4 Author

    Primeiro foi Roberto Freire – o comunista arrependido -, depois Raul Jungmann – defensor incondicional de Daniel Dantas, agora, Marco Maciel.

    E os paulistas ainda reclamam da migração de nordestino para o Estado.

    Caso São Paulo tivesse ministério público estadual essas nomeações imorais e inúteis – flagrantemente consumindo a grana do povo paulista -, certamente receberiam tratamento adequado.

    O partido de Kassab reedita todas as práticas velhas e repugnantes dos Demo/tucanos

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *