Inflação faz governo pressionar Petrobras a baixar a gasolina Ministro Lobão diz que BR será usada para forçar a queda dos preços Para segurar...

Inflação faz governo pressionar Petrobras a baixar a gasolina
Ministro Lobão diz que BR será usada para forçar a queda dos preços

Para segurar a inflação, o governo decidiu usar a BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, para forçar a queda dos preços dos combustíveis aos consumidores. O ministro Edison Lobão disse que a pressão sobre a BR, que tem 7 mil postos no Brasil (18% do total) e controla 47,8% do volume de combustíveis vendidos, tem como objetivo acirrar a competição, em um setor que, para ele, vive um processo de cartelização. “O governo vai pressionar a BR para baixar o custo. Se os outros (revendedores) não seguirem a queda, a BR vai vender mais”, disse Lobão. Entre janeiro e abril, o álcool subiu 31 % e a gasolina, 9,58%. A federação que representa os donos de postos classificou as declarações de Lobão de “irresponsáveis e infundadas”. Nas usinas, os preços de álcool hidratado e anidro (misturado à gasolina) caíram na semana passada, pela segunda vez consecutiva, mas a queda ainda não chegou ao consumidor. (Págs. 1 e 19)

Metade dos brasileiros já gasta mais do que ganha
Com a ampla oferta de crédito, 53% dos brasileiros gastaram mais do que receberam no ano passado. O gasto médio mensal do consumidor foi de R$ 2.171, enquanto a renda não passou de R$ 2.146. A situação não era registrada desde 2005. Nos primeiros quatro meses de 2011, os consumidores pagaram R$ 54 bi só com juros de financiamentos. (Págs. 1 e 20)

Na companhia de Uruguai, Argentina e Venezuela…
Enquanto a inflação no Brasil já estourou o teto da meta fixada, de 6,5%, em países da América Latina, como México, Chile, Colômbia e Peru, a variação de preços em 12 meses ainda não chegou a 4%. O Brasil só perde na região para Argentina, Venezuela e Uruguai. Especialistas culpam a demora do governo de elevar os juros e corte de gastos insuficiente. (Págs. 1 e 21)

Homicídios dolosos tem queda de 17,7% no Rio em um ano (Págs. 1 e 17)

Mais 2 ministros recebiam diárias indevidamente
Além da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, Paulo Bernardo (Comunicações) e Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário) receberam diárias por folgas em suas cidades. A CGU decidiu que Ana terá de devolver o dinheiro. Os outros devem fazer o mesmo. (Págs. 1 e 5)

Ministério cede mais para aprovar o Código Florestal
O Ministério do Meio Ambiente já aceita abrir mão do reflorestamento de 23 milhões de hectares de reserva legal desmatados ilegalmente no país, dentro de um acordo para votar o projeto do Código Florestal na Câmara dos Deputados, hoje ou amanhã. A área corresponde a cinco vezes o tamanho do Estado do Rio. O texto autoriza os produtores a somar a Área de Preservação Permanente (APP) com a reserva legal. (Págs. 1 e 4)

Clínica da Família não acha médicos
Uma das Organizações Sociais que asumiram unidades de saúde municipais está oferecendo até R$ 15 mil para médicos dispostos a atuar nas Clínicas da Família. O sindicato da categoria diz que há desinteresse devido à necessidade de dedicação exclusiva (Págs. 1 e 15)

As revelações de Mano para 2014
A seleção já tem esquema tático para a Copa de 2014. Sob aplausos de Carlos Alberto Parreira e Zagallo, o técnico Mano Menezes garantiu que o Brasil atuará no 4-3-3. Os três participaram do seminário sobre o Mundial, promovido pelos jornais o GLOBO e “Extra”, Mano disse ainda que a lista para a Copa América terá “pouquíssimas surpresas”, Zagallo afirmou que Ronaldinho não tem condições de jogar na seleção. (Págs. 1 e Caderno Esportes)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *