Jailton de Carvalho, do Globo – A desembargadora Carmelita Brasil determinou o desbloqueio dos bens do ex-governador José Roberto Arruda, acusado de chefiar o...

Jailton de Carvalho, do Globo –

A desembargadora Carmelita Brasil determinou o desbloqueio dos bens do ex-governador José Roberto Arruda, acusado de chefiar o mensalão do DEM no Distrito Federal. Em resposta, o Ministério Público pediu que a desembargadora se declare suspeita para apreciar o caso. Carmelita teve o nome citado numa conversa entre Durval Barbosa, o delator do mensalão, e José Geraldo Maciel, ex-secretário de Governo de Arruda, também um dos investigados na chamada Operação Caixa de Pandora. Nos diálogos, gravados com autorização judicial, os dois mencionam os nomes de seis desembargadores que poderiam ajudar Barbosa.

Carmelita assinou o despacho de liberação dos bens de Arruda em 19 de abril. Dez dias depois, cinco promotores do Núcleo de Combate ao Crime Organizado do Distrito Federal pediram que ela se declarasse suspeita. No recurso, dirigido diretamente à desembargadora, os promotores argumentam que ela foi “expressamente citada pelo ex-secretário de Governo do DF José Geraldo Maciel em conversa captada com o ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa”.

Segundo os promotores, no diálogo “os interlocutores discutem uma estratégia para beneficiar Durval Barbosa no julgamento e, nesse contexto, mencionam os nomes de alguns desembargadores com os quais poderiam contar”.

Clique aqui para ler a íntegra no site do Globo

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *