Com informações da Folha Os caciques peemedebistas decidiram declarar guerra ao PSDB no Senado Federal. O líder da bancada, Renan Calheiros (AL) decidiu contra-atacar...

Com informações da Folha

Os caciques peemedebistas decidiram declarar guerra ao PSDB no Senado Federal. O líder da bancada, Renan Calheiros (AL) decidiu contra-atacar os tucanos, que protocolaram uma série de requerimentos no Conselho de Ética da Casa, contra o presidente, José Sarney (PMDB-AP).

Calheiros já informou ao presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), que o partido responderá aos ataques na mesma moeda, ou seja, irá protocolar requerimentos contra parlamentares tucanos. O alvo prefencial é Arthur Virgílio (PSDB-AM), responsável pela maior parte dos pedidos de investigação contra Sarney. A tropa de choque peemedebista pretende denunciá-lo por admitir ter recebido empréstimo do então diretor do Senado, Agaciel Maia, além de manter um funcionário fantasma no gabinete.

O outro alvo é Tasso Jereissati (PSDB-CE), que teria utilizado verba destinada a compra de passagens aéreas para fazer manutenção de um avião particular.

Frasista mais “elegante” do Senado, Wellington Salgado (PMDB-MG) definiu bem o clima de guerra aberta contra os tucanos. “O PSDB acaba de arranjar um jeito de se livrar do Arthur porque ele vai ser processado no conselho. As acusações são mais graves do que as que existem contra Sarney. O PMDB não é partido de frouxo”, disparou.

Confira aqui a matéria na íntegra

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *