Senado vai investigar superaposentadorias Um dia depois de o Correio noticiar que o novo plano de carreira garante a aposentados do Senado o recebimento...

Senado vai investigar superaposentadorias
Um dia depois de o Correio noticiar que o novo plano de carreira garante a aposentados do Senado o recebimento de gratificação por desempenho — um adicional de 60% que deveria ser pago apenas a servidores da ativa —,o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), disse que será feito levantamento para apurar o caso. Segundo ele, a intenção é “verificar se tem excesso e tomar providências”. Excesso? Vem mais por aí. Os repórteres Ana D’Angelo e Fábio Monteiro relatam que o Sindilegis, sindicato que representa os cerca de 3 mil funcionários da Casa, reivindica mais privilégios. Um deles é elevar para 100% a gratificação de desempenho, que hoje é de 60% do maior vencimento básico de cada cargo. No início de carreira, um servidor de nível médio tem salário de R$ 13.833. E o de nível superior, R$ 18.440. Sem contar o adicional por função e outras vantagens. (Págs. 1, 16 e Visão do Correio, 26)

Correios, o concurso de R$ 96 milhões (Págs. 1 e 20)

Justiça desrespeitada e vidas em jogo
Mesmo amparada por uma decisão judicial que obriga o GDF a fornecer o remédio, Thaíssa da Silva não recebe o medicamento que pode salvar André Luiz Júnior, de 11 meses. Portador de uma doença rara, ele é alérgico a proteína e corre risco de morrer por desnutrição. Diversos pacientes também procuraram a Justiça para realização de cirurgias e outros tratamentos, mas nem isso garante o atendimento. A Secretaria de Saúde diz que o novo governo tenta resolver todos esses casos. (Págs. 1 e 34)

Polêmica: Pastores condenam a união estável para gays
Depois da CNBB, que se posicionou em nome dos católicos, os evangélicos também rejeitaram a decisão do STF de reconhecer os direitos das uniões homossexuais. Segundo o Conselho de Pastores do DF, a família deve ser constituída apenas por um casal de homem e mulher. Já a Igreja Anglicana do Brasil se manifestou favorável à posição do Supremo. (Págs. 1 e 38)

Ônibus: Empresas usavam piratas e lesavam o sistema
A Polícia Civil apreendeu ontem 168 veículos irregulares nas garagens do Grupo Amaral, da Viplan e da Planeta. Esses coletivos circulavam pela cidade sem licitação ou autorização do GDF e a fraude pode ter provocado um rombo de R$ 14 milhões no transporte público. Três empresários foram indiciados e os carros estão lacrados. (Págs. 1 e 33)

Golpe no IR
PF detém prefeito e servidores em Goiás por fraudar declarações. (Págs 1 e 12)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *