SP tem 2.700 mortos na sua lista de procurados Mais 3.000 são buscados por crimes prescritos; governo não se manifesta Há pelo menos 2.700...

SP tem 2.700 mortos na sua lista de procurados
Mais 3.000 são buscados por crimes prescritos; governo não se manifesta

Há pelo menos 2.700 mortos na lista de 152 mil procurados de São Paulo, de acordo com um levantamento feito pela própria polícia.
Outros 3.000 mandados de prisão perderam validade porque os crimes prescreveram (ocorreram há tanto tempo que a pena foi extinta), informam Rogério Pagnan e Estevão Bertoni. Mesmo encontrado, o criminoso não seria preso.
A Folha descobriu o caso de de um médico. morto em 1968, entre os procurados. Nos arquivos da polícia, há dois mandados de prisão “a cumprir” contra ele.
A justiça diz que o número de madandos com problema é pequeno diante do total e culpa a polícia e a burocracia por mortos constarem da lista. A Secretaria de Segurança Pública não se manifestou. (Págs. 1 e Cotidiano)

Foto legenda: Correria da paz
Vista da corrida realizada entre a Vila Cruzeiro e o Morro do Alemão (RJ) no trecho onde, há seis meses; traficantes em fuga foram filmados (Págs. 1 e Cotidiano C4)

Aécio articula fusão de siglas de oposição para corrida de 2014
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) planeja criar um novo partido para representar a oposição na disputa presidencial de 2014.
A sigla, fruto da fusão de PSDB, DEM e PPS, seria anunciada em 2013, depois das eleições municipais de 2012, informa Catia Seabra. (Págs. 1 e Poder A4)

Oposição e OAB cobram Palocci sobre aumento do patrimônio (Págs. 1 e Poder A8)

Mulheres são a maioria entre os “nomes sujos”
Entre os inadimplentes do comércio, 60% são mulheres, mostra o Serviço de Proteção ao Crédito. Elas também são maioria nos “nomes sujos”: 55%.
As dívidas dos homens, porém, têm valores mais elevados, mostra o estudo do SPC. (Págs. 1 e Folhainvest B3)

Fronteiras de Israel têm 13 mortos no ‘dia da catástrofe’
Milhares de palestinos na Síria, no Líbano e na faixa de Gaza se dirigiram ontem às fronteiras de Israel. Houve tentativas de invasão, e soldados israelenses dispararam contra os manifestantes, deixando 13 mortos.
Os protestos, inspirados pelas revoltas árabes, marcam ‘a “nakba” (catástrofe, como eles se referem à criação de Israel). (Págs. 1 e Mundo A14)

Foto legenda: Manifestantes pró-Palestina feridos na fronteira de Israel com o Líbano, após confrontos

Preso, diretor do FMI nega acusações de ataque sexual
O diretor-gerente do FMI, o francês Dominique Strauss-Kahn, negou ontem ter atacado sexualmente uma camareira de hotel.
Ele foi reconhecido, entretanto, pela suposta vítima quando colocado ao lado de outros cinco homens. O francês foi preso anteontem, acusado de tentativa de estupro, abuso sexual e cárcere privado. (Págs. 1 e Mundo A11)

Maria Inês Dolci
Consumo em alta leva a piora no atendimento (Págs. 1 e Mercado B8)

Editoriais
Leia “O valor do professor”, que comenta o aumento de salários em SP, e “Nem profetas nem vilões”, sobre a disputa entre Google e Facebook. (Págs. 1 e Opinião A2)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *