Com informações da Folha Online. O Conselho de Ética, recentemente reativado para aprurar denúncias sobre a conduta de parlamentares, possui integrantes em situação irregular....

Com informações da Folha Online.

O Conselho de Ética, recentemente reativado para aprurar denúncias sobre a conduta de parlamentares, possui integrantes em situação irregular. Oito senadores, inclusive o presidente do colegiado, Paulo Duque (PMDB-RJ) não entregaram a documentação exigida para comprovar que são idôneos.

Todos são da base de apoio do governo Lula e também não apresentaram registros sobre a evolução do patrimônio compatível com as atividades desempenhadas. São eles: Wellington Salgado (PMDB-MG), Almeida Lima (PMDB-SE), Gilvam Borges (PMDB-AP), Inácio Arruda (PCdoB-CE), Gim Argello (PTB-DF), João Durval (PDT-BA) e Antonio Carlos Valadares (PSB-SE).

Esses parlamentares descumpriram o artigo 6° do regimento do Conselho, que determina aos integrantes a apresentação de declarações de Imposto de Renda, de bens e fontes de renda e passivos, entre outros.

Se não regularizarem a situação, os julgados pelo colegiado poderão argumentar que a decisão não tem legitimidade porque os conselheiros não cumpriram o regimento.

Os suplentes

As irregularidades não param entre os titulares. Ideli Salvatti (PT-SC), suplente de Valadares, e Delcídio Amaral (PT-MS), suplente de João Ribeiro (PT-TO), não apresentaram as devidas documentações.

Valadares e Ribeiro pediram para deixar o colegiado.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *