Gabriela Guerreiro, da Folha – O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), prometeu nesta quinta-feira agilizar a tramitação do projeto que proíbe o uso...

Gabriela Guerreiro, da Folha –

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), prometeu nesta quinta-feira agilizar a tramitação do projeto que proíbe o uso de castigos corporais nas crianças quando o texto chegar à análise do Senado. O senador se reuniu com a com a apresentadora Xuxa Meneghel esta manhã –que fez um apelo pela aprovação do texto, que tramita há mais de um ano na Câmara.

“A gente não quer se meter na família nem na vida dos outros, e sim fazer com que a criança tenha o direito de ser humano de ser respeitado, ouvido, amado. Não em nome do amor apanhar e está tudo bem”, disse Xuxa.

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) vai relatar o projeto quando chegar ao Senado. De autoria do Executivo, o texto causou polêmica no ano passado depois que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o encaminhou ao Congresso. Críticos à proposta afirmam que o governo não tem poderes para interferir na educação de pais e filhos.

Marta afirmou que o texto não prevê nenhuma intervenção dentro das famílias, mas sim orientar os pais a não maltratarem crianças.

“Quando você bate em alguém do seu tamanho, você vai para a cadeia. Quando você bate em uma criança não acontece nada, a não ser quando a criança é muito maltratada e vai parar no pronto-socorro ou que você mate a criança. O parlamento tem condição de acelerar esse projeto e proteger as nossas crianças”, disse a senadora.

Além de Xuxa, a rainha Sílvia, da Suécia, também defendeu leis mais duras no Brasil para combater a violência infantil. A rainha reuniu-se com Sarney nesta manhã, pouco antes de Xuxa.

O projeto de lei do governo inclui “castigo corporal” e “tratamento cruel e degradante” como violações dos direitos na infância e adolescência. Hoje, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) fala em “maus tratos”, mas não especifica os castigos que não podem ser aplicados por pais, mães e responsáveis.

Xuxa afirmou que o país precisa mudar a “cultura” de que bater nas crianças faz parte do processo educacional. “As pessoas ofendem, castigam a criança e ela cresce já com isso na cabeça, fora que as pessoas acham que bater é a única forma de ensinar. É um costume errado. Isso é uma das coisas que têm que mudar.”

TUMULTO
A passagem de Xuxa pelo Congresso mudou a rotina do Legislativo nesta quinta-feira. Depois de participar de um seminário na Câmara, a apresentadora se reuniu com Sarney no Senado –e foi cercada por servidores da Casa que se aglomeraram em frente ao gabinete do presidente para ver a apresentadora.

Clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *