Consórcios voltam a ganhar espaço na venda de veículos Enquanto as medidas de restrição ao crédito adotadas pelo governo desaceleraram o ritmo de crescimento...

Consórcios voltam a ganhar espaço na venda de veículos
Enquanto as medidas de restrição ao crédito adotadas pelo governo desaceleraram o ritmo de crescimento do financiamento de veículos neste início de ano, os consórcios para compra de carros, motos e veículos pesados continuaram a exibir uma expansão vigorosa, em muitos casos figurando como substituto do crédito. O valor dos contratos fechados em consórcios representou praticamente metade do volume de financiamentos.
No primeiro trimestre, o valor negociado em novos consórcios atingiu R$ 12,8 bilhões, crescimento de 42,4% sobre igual período do ano passado. Enquanto isso, o financiamento de veículos para pessoas físicas cresceu apenas 11,2% e ficou em R$ 23,8 bilhões. No primeiro trimestre de 2010, os financiamentos de veículos haviam crescido 97,4% em relação ao mesmo período de 2009, enquanto os consórcios avançaram 49,5%. (Págs. 1 e C10)

Indústria e sindicatos buscam pacto
Empresários e sindicalistas fecharam um “pacto” para estimular a indústria. O projeto será apresentado na próxima semana ao governo federal e é assinado por Fiesp, CUT, Força Sindical e dois dos maiores sindicatos do país – dos metalúrgicos do ABC e de São Paulo, que representam juntos 505 mil trabalhadores. O pacto inclui uma lista de demandas, da redução dos juros do BNDES – já negativos, em termos reais – à criação de um banco de desenvolvimento para micro e pequenas empresas. “O país está se desindustrializando e o governo precisa prestar muita atenção nisso”, diz um dos formuladores. (Págs. 1 e A4)

IFRS aumenta o número de retardatárias
Neste ano, por conta das exigências do novo padrão internacional de contabilidade (IFRS, na sigla em inglês), a lista de empresas que atrasaram a entrega do balanço do primeiro trimestre não tem apenas as retardatárias de sempre – em geral pequenas empresas em dificuldades financeiras -, mas inclui nomes como as elétricas Eletrobras, Ampla e Coelce, a empresa de investimentos GP, a fabricante de papel Melhoramentos e a indústria do setor de embalagens Dixie Toga. O prazo venceu no dia 16 de maio e a partir de 2012 será reduzido de 45 para 30 dias após o encerramento do período. A multa diária por atraso, conforme a Instrução nº 480 da CVM, é de R$ 500, dez vezes maior que o valor vigente até 2009. (págs. 1 e D1)

Cresce cultivo de commodities
O boom das commodities está ampliando a área cultivada de produtos como arroz, soja, milho e trigo em várias partes do mundo. Dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos mostram que, entre a safra 2007/08 e a prevista para 2011/12, o mundo elevou em 5% a área cultivada dessas commodities. Nas áreas de fronteira agrícola, no entanto, o ritmo de expansão foi, em média, de 11%.
No bloco formado pelas ex-repúblicas soviéticas e o Leste Europeu, o crescimento da área cultivada atingiu 12%. Na Ucrânia, o salto chegou a 26,2%. Entre os principais países africanos, a evolução foi de 9% nas últimas cinco safras. No Brasil, foi de 7%. (Págs. 1 e B11)

Europa rompe acordo verbal para indicar diretor do FMI
Na pressa de substituir Dominique Strauss-Kahn pela ministra da Economia da França, Christine Lagarde, no cargo de diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), a Europa atropela um entendimento informal que tinha com os países-membros da instituição. O próprio Strauss-Kahn chegou a mencionar que ele seria o último europeu a dirigir o Fundo. Paulo Nogueira Batista Junior, diretor-executivo do FMI pelo Brasil e outros oito paises, confirmou ao Valor que “havia esse compromisso verbal”.
Autoridades europeias, no entanto, alegam que a situação agora é diferente, por causa das enormes dificuldades de sua periferia, em países como Grécia, Irlanda e Portugal. Além disso, lembram que os europeus têm 30% dos votos no Fundo, enquanto os Estados Unidos, somente 17%. O Brasil deve apoiar o nome do turco Kemal Dervis, ex-ministro da Fazenda da Turquia e ex-vice-presidente do Banco Mundial, para o cargo. (Págs. 1 e A12)

Importação de celular sobe 240%
A importação de celulares disparou no primeiro quadrimestre e somou US$ 232 milhões, um salto de 148% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em volumes, os aparelhos trazidos de outros países passaram de 853 mil para 2,9 milhões de unidades no período, um aumento de 240%.
O dólar barato e a demanda crescente estão entre as principais razões desse movimento. Aparelhos caros, como o iPhone e o BlackBerry, respondem por pequena parte das importações. O grosso das compras são de celulares mais baratos, trazidos por fabricantes pouco conhecidos, de marcas como ZTE, Huawei, Alcatel, Freecel e NavCity. (Págs. 1 e B3)

Obama apoia fronteiras de 1967 para palestinos (Págs. 1 e A12)

Chineses desafiam estaleiros europeus na construção de iates de luxo (Págs. 1 e D12)

Menos saneamento
Liberação de recursos federais aos municípios, para projetos de saneamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), teve uma queda de 12% nos primeiros quatro meses do ano. (Págs. 1 e A3)

Expansão de Paranaguá
A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, no litoral paranaense, elabora plano de investimentos de R$ 2 bilhões para os próximos quatro anos. Entre as metas está a construção de mais 12 berços de atracação, para um total de 32. (Págs. 1 e B1)

Superbid chega aos EUA
Criada há 12 anos, a brasileira Superbid, especializada na realização de leilões de ativos para empresas como Vale, Votorantim e Ambev, fecha parceria com a Hilco Trading para atuar nos EUA. (Págs. 1 e B2)

Alitalia retoma voo direto ao Rio
A Alitalia retomará, a partir de junho, as ligações diretas entre Roma e o Rio de Janeiro. Os voos para a capital fluminense foram interrompidos em 2001 e retornam agora com três frequências semanais. (Págs. 1 e B4)

Demanda nas alturas
A demanda por voos domésticos continuou aquecida em abril, apesar da baixa temporada. O aumento foi de 31,45% em relação ao mesmo período de 2010, 22º mês consecutivo de crescimento e o maior resultado mensal desde agosto. (Págs. 1 e B4

BO Packaging no Paraná
A chilena BO Packaging, fabricante de embalagens recicláveis como copos de papel para café e refrigerante, vai investir US$ 70 milhões na construção de uma fábrica em Ponta Grossa(PR). (Págs. 1 e B9

Takeda compra Nycomed
A forte presença da farmacêutica suíça Nycomed no Brasil foi decisiva para a decisão da gigante Takeda de comprar a empresa por € 9,6 bilhões. Com foco nos mercados asiático, europeu e americano, a japonesa não tinha operações na América Latina. (Págs. 1 e B9)

Ideias
Claudia Safatle
Governo tenta entender a forte entrada de dólares e há a possibilidade de novas medidas para fechar canais de ingresso. (Págs. 1 e A2)

Ideias
Naercio Menezes Filho
Antes de pensar em elevar ainda mais os gastos públicos com saúde, é necessário racionalizar o sistema. (Págs. 1 e Al5)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *