Com informações do Jornal O Estado de S.Paulo. O líder do PSDB no Senado e integrante do Conselho de Ética, Arthur Virgílio (AM), vai...

Com informações do Jornal O Estado de S.Paulo.

O líder do PSDB no Senado e integrante do Conselho de Ética, Arthur Virgílio (AM), vai ter que devolver mais de R$ 200 mil aos cofres públicos. No início da semana, o parlamentar depositou uma primeira parcela, no valor de R$ 60 mil. Esse dinheiro é referente ao que o Senado pagou em salários a um funcionário dele enquanto o servidor morava na Espanha, cursando teatro.

A primeira parte já paga foi feita a partir da venda de um terreno da mulher de Virgílio. Ele deve pagar o restante da dívida em mais três parcelas de R$ 50 mil, cada, e já anunciou que vai pegar um empréstimo para quitar todos os débitos.

O valor foi apresentado pela diretora de Recursos Humanos da Casa, Doris Peixoto, que justificou como sendo a soma de salários e recolhimento de impostos que saíram das contas do Senado durante 18 meses para custer as despesas com o assessor de Virgílio na folha de pagamento.

E Virgílio não foi o único a prestar contas este ano. O petista Tião Viana (AC) teve que ressarcir R$ 14,7 mil. O valor se referia a uma conta de celular do Senado usada pela filha do parlamentar durante uma viagem ao exterior.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *