Destaques dos jornais de hoje – O Estado de S. Paulo

Caso Palocci põe Lula à frente da articulação política

Diante da crise, ex-presidente traça estratégia para defesa do ministro e lidera diálogo com parlamentares

No auge da crise envolvendo a ministro Antonio Palocci (Casa Civil), o ex-presidente Lula assumiu, na política, a articulação política do governo de Dilma Rousseff. Lula almoçou ontem com senadores do PT, jantou com Dilma, deu voz de comando para a defesa de Palocci e hoje tem café da manhã na casa do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), com todos os líderes da base aliada no Congresso. Segundo senadores, Lula disse que a oposição está testando Dilma e que será um erro demitir Palocci. Preocupado com a prolongamento da crise, Lula traçou ali a estratégia da reação, mas ouviu queixas sobre a falta de articulação política do Planalto. Os petistas disseram a ele que, com Palocci alvejado por denúncias de multiplicação do patrimônio e suspeita de tráfico de influência. A situação só piorou. Eles reclamaram não apenas da lentidão para a montagem do segundo escalão como da ausência de argumentos para defender Palocci. (Págs. 1 e Nacional A6)

Planalto acusa tucanos de vazamento de dados
O secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, acusou a Secretaria de Finanças de São Paulo de quebrar o sigilo fiscal de Palocci. Mauro Ricardo da Costa, ligado ao ex-governador José Serra, é o titular da secretaria, que negou a irregularidade. (Págs. 1 e Nacional A4)

Consórcio de Belo Monte sofre mais desistências
O consórcio Norte Energia, dona da concessão da Hidrelétrica de Belo Monte, deve sofrer novas baixas nas próximas semanas. De sexta-feira até ontem, três empresas privadas fizeram pedido formal para deixar o grupo investidor: Galvão Engenharia, Servenge Cetenco. A Contern, do Grupo Bertin, far

á comunicado nos próximos dias. A construtora Mendes Júnior também deve deixar o consórcio. A J. Malucelli está disposta a se desfazer de sua participação se houver interessado. (Págs. 1 e Economia B1)

6,25% é quanto Mendes Júnior, Galvão, Cetenco, Serveng e Contern têm em Belo Monte.

Pimenta Neves é preso 11 anos depois de assassinato
Após quase 11 anos do crime, o Supremo Tribunal Federal ordenou que o jornalista Antonio Pimenta Neves cumpre a pena de 15 anos de prisão à qual foi condenado pelo assassinato da jornalista Sandra Gomide. Em liberdade graças a recursos judiciais, ele se entregou aos policiais que foram à sua casa ontem à noite, na Chácara Santo Antônio, zona sul de São Paulo. “É chegado o momento de cumprir a pena”, afirmou o ministro Celso de Mello. (Págs. 1 e Cidades C1)

Ellen Gracie
Ministra do STF
“Como justificar que, em um delito cometido em 2000, até hoje não cumpre pena o acusado?”

Celso de Mello
Ministro do STF
“Realmente se esgotaram todos os meios recursais”

Israel diz que só negocia com palestinos sem o Hamas
Aplaudido por republicanos e democratas em discurso no Congresso dos EUA, o premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, descartou negociar com um governo palestino integrado pelo Hamas. Ele rejeitou também um Estado palestino nas fronteiras pré-1967, como propôs o presidente Barack Obama. Netanyahu disse que Jerusalém não será dividida e que a solução para os refugiados está fora das fronteiras de Israel. Para os palestinos, o discurso foi uma “declaração de guerra”. (Págs. 1 e Internacional A16)

Casal de ambientalistas é assassinado no Pará (Págs. 1 e Nacional A15)

Dora Kramer
Mera maquiagem
É de praxe: sempre que surge uma desconfiança envolvendo políticos, defende-se a reforma política como a solução de todos os males. (Págs. 1 e Nacional A6)

Notas & Informações
As explicações terão de vir
À falta de boas explicações, perde força o princípio da presunção de inocência de Palocci. (Págs. 1 e A3)

zp8497586rq
Comentários