<img class="aligncenter size-full wp-image-5028" src="http://www.pannunzio.com.br/wp-content/uploads/o-globo-logo-principal1.jpg" alt="" width=" cialis canada 238″ height=”46″ /> Governo não protegerá nem 30 de 165 ameaçados de morte Ministra dos...

<img class="aligncenter size-full wp-image-5028" src="http://www.pannunzio.com.br/wp-content/uploads/o-globo-logo-principal1.jpg" alt="" width="

cialis canada

238″ height=”46″ />

Governo não protegerá nem 30 de 165 ameaçados de morte
Ministra dos Direitos Humanos diz que segurança para todos é ‘ilusão’

O governo federal admitiu não ter condições de garantir a segurança de todos os líderes indígenas, quilombolas, sem-terra e ambientalistas que correm risco de vida no país. Nem os 30 nomes considerados mais vulneráveis pela Comissão Pastoral da Terra têm garantia de proteção. A ministra dos direitos Humanos, Maria do Rosário, afirmou: “Seria errôneo e uma ilusão dizer que temos condições para atender a esta lista. Vamos fazer uma avaliação.” A Pastoral entregou ao governo uma lista com 207 nomes que, entre 2000 e 2011, sofreram mais de uma ameaça – 42 foram assassinados. Restam 165. Uma semana após a execução de ambientalistas no Pará, o clima na região é de medo. Sem proteção, parte dos moradores abandonou suas casas. (Págs. 1, 3 e 4)

Zuenir Ventura
A aprovação do “vergonhoso” Código Florestal parece ter virado licença não só para desmatar, mas também para matar. (Págs. 1 e 7)

Garotinho faz nova ameaça a Palocci
‘Temos uma pedra preciosa, um diamante de R$ 20 milhões’, diz ele, pressionando governo

Após ameaçar convocar o ministro Palocci para explicar no Congresso sua evolução patrimonial e conseguir, com isso, fazer a presidente Dilma recuar e proibir o kit do MEC contra a homofobia, ontem o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) fez outra chantagem, desta vez para votar a emenda que eleva o piso de policiais e bombeiros. “O momento político é este. Temos uma pedra preciosa, um diamante que custa R$ 20 milhões, que se chama Antonio Palocci”, disse ele, na instalação da frente parlamentar que defende a emenda, cujo impacto seria de R$ 25 bilhões nas contas dos estados. “A bancada evangélica pressionou e o governo retirou o kit gay. Vamos ver agora quem é da bancada da polícia. Ou vota, ou o Palocci vem aqui”, ameaçou. Líderes do PT já cobram publicamente que Palocci explique sua evolução patrimonial, pois entendem que o silêncio do ministro já causa estragos ao governo. (Págs. 1, 9 a 11 e Merval Pereira)

Roberto DaMatta
O caso Palocci mostra que, no Brasil, direita, centro e esquerda são, todos, viciados em Estado. A estadofilia é o cerne do nosso republicanismo. (Págs. 1 e 7)

Aeroportos: privatização será integral
Em reunião da presidente Dilma com governadores e prefeitos das cidades que sediarão a Copa de 2014, o governo anunciou que privatizará integralmente os aeroportos de Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Brasília (DF), incluindo as operações aeroportuárias e exploração de áreas comerciais. A Infraero participará das Sociedades de Propósito Especifico (SPEs) a serem constituídas por investidores, com 49% do capital. (Págs. 1 e 23)

Energia nuclear põe o Brasil na contramão
Ao contrário de países que estão revendo e até cancelando programas nucleares, o Brasil insiste em fazer novas usinas, até com benefícios fiscais. (Págs. 1 e 21)

Elio Gaspari
STF está para julgar, após 23 anos, o golpe dos Planos Bresser, Verão e Collor na patuleia. (Págs. 1 e 6)

Governo não protegerá nem 30 de 165 ameaçados de morte
Ministra dos Direitos Humanos diz que segurança para todos é ‘ilusão’

O governo federal admitiu não ter condições de garantir a segurança de todos os líderes indígenas, quilombolas, sem-terra e ambientalistas que correm risco de vida no país. Nem os 30 nomes considerados mais vulneráveis pela Comissão Pastoral da Terra têm garantia de proteção. A ministra dos direitos Humanos, Maria do Rosário, afirmou: “Seria errôneo e uma ilusão dizer que temos condições para atender a esta lista. Vamos fazer uma avaliação.” A Pastoral entregou ao governo uma lista com 207 nomes que, entre 2000 e 2011, sofreram mais de uma ameaça – 42 foram assassinados. Restam 165. Uma semana após a execução de ambientalistas no Pará, o clima na região é de medo. Sem proteção, parte dos moradores abandonou suas casas. (Págs. 1, 3 e 4)

Zuenir Ventura

A aprovação do “vergonhoso” Código Florestal parece ter virado licença não só para desmatar, mas também para matar. (Págs. 1 e 7)

Garotinho faz nova ameaça a Palocci

‘Temos uma pedra preciosa, um diamante de R$ 20 milhões’, diz ele, pressionando governo

Após ameaçar convocar o ministro Palocci para explicar no Congresso sua evolução patrimonial e conseguir, com isso, fazer a presidente Dilma recuar e proibir o kit do MEC contra a homofobia, ontem o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) fez outra chantagem, desta vez para votar a emenda que eleva o piso de policiais e bombeiros. “O momento político é este. Temos uma pedra preciosa, um diamante que custa R$ 20 milhões, que se chama Antonio Palocci”, disse ele, na instalação da frente parlamentar que defende a emenda, cujo impacto seria de R$ 25 bilhões nas contas dos estados. “A bancada evangélica pressionou e o governo retirou o kit gay. Vamos ver agora quem é da bancada da polícia. Ou vota, ou o Palocci vem aqui”, ameaçou. Líderes do PT já cobram publicamente que Palocci explique sua evolução patrimonial, pois entendem que o silêncio do ministro já causa estragos ao governo. (Págs. 1, 9 a 11 e Merval Pereira)

Roberto DaMatta

O caso Palocci mostra que, no Brasil, direita, centro e esquerda são, todos, viciados em Estado. A estadofilia é o cerne do nosso republicanismo. (Págs. 1 e 7)

Aeroportos: privatização será integral

Em reunião da presidente Dilma com governadores e prefeitos das cidades que sediarão a Copa de 2014, o governo anunciou que privatizará integralmente os aeroportos de Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Brasília (DF), incluindo as operações aeroportuárias e exploração de áreas comerciais. A Infraero participará das Sociedades de Propósito Especifico (SPEs) a serem constituídas por investidores, com 49% do capital. (Págs. 1 e 23)

Energia nuclear põe o Brasil na contramão

Ao contrário de países que estão revendo e até cancelando programas nucleares, o Brasil insiste em fazer novas usinas, até com benefícios fiscais. (Págs. 1 e 21)

Elio Gaspari

STF está para julgar, após 23 anos, o golpe dos Planos Bresser, Verão e Collor na patuleia. (Págs. 1 e 6)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *