Consultoria ‘não atuou junto a órgãos públicos’, diz Palocci Em entrevista à TV Globo, ministro nega irregularidades, mas diz que dados sobre clientes são...

Consultoria ‘não atuou junto a órgãos públicos’, diz Palocci
Em entrevista à TV Globo, ministro nega irregularidades, mas diz que dados sobre clientes são sigilosos

O ministro Antonio Palocci (Casa Civil) defendeu-se ontem das suspeitas sobre a grande evolução de seu patrimônio por conta das atividades de sua consultoria. “Tudo está registrado”, disse Palocci em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, negando qualquer irregularidade. O ministro disse preferir manter os dados sobre o faturamento em sigilo porque “os números da empresa não dizem respeito ao interesse público”, mas afirmou que os órgãos de controle público receberam todas as informações solicitadas. Palocci reconheceu que o fato de ter sido ministro ajudou sua consultoria, mas disse que sua empresa “jamais faturou junto a órgãos públicos”. Ele disse que atuou nos setores da indústria, dos bancos e de “serviços em geral”. (Págs. 1, A4 e Nacional)

PMDB reclama de ‘monólogo’ do Planalto
Independentemente da tentativa do ministro Antonio Palocci (Casa Civil) de se explicar, a base aliada cobra mudanças no relacionamento político com o governo. Para dirigentes do PMDB, nunca houve diálogo de verdade, só um “monólogo”. Os aliados reclamam que não conseguem nem prevenir o Planalto sobre riscos em votações no Congresso. (Págs. 1, A6 e Nacional)

A ‘agenda positiva’ de Dilma
Dilma Rousseff cumprimenta funcionários da Petrobrás durante cerimônia de inauguração da plataforma P-56, construída no Brasil, em evento que serviu à “agenda positiva” da presidente em meio à crise do caso Palocci; Dilma também anunciou a nova etapa do Minha Casa Minha Vida, e enalteceu o Brasil sem Miséria. (Págs. 1 e Nacional A7)

PIB trimestral cresce 1,3% mas consumo desacelera
O PIB cresceu 1,3% no primeiro trimestre em relação ao trimestre anterior, ou 5,3% anualizados. O consumo das famílias, porém, cresceu 0,6% (2,4% anualizados), ante 2,3% no último trimestre de 2010. Foi o pior desempenho desde o quarto trimestre de 2008, em meio à crise global, mas sinaliza redução da pressão inflacionária. Já os investimentos tiveram expansão de 1,2% no primeiro trimestre – três vezes mais do que o resultado no trimestre final de 2010, de 0,4%. (Págs. 1 e Economia B1, B4, B8, B10, B11)

Análise
Armando Castelar Pinheiro

Sem surpresas
Os indicadores para o segundo trimestre sinalizam desaceleração já em abril. É provável que neste trimestre o PIB cresça mais devagar. (Págs. 1 e Economia B4)

Livro pago pelo MEC ensina que 10 – 7 = 4
O Ministério da Educação distribuiu no ano passado 200 mil exemplares de um livro didático com erros tão graves que uma comissão a serviço do MEC concluiu que não basta fazer uma errata, informam Marta Salomon e Denise Madueño. Em matemática, o livro diz que 10 menos 7 é igual a 4 e 16 menos 8 é igual a 6. O MEC pediu uma sindicância para apurar o caso. (Págs. 1 e Vida A26)

‘Vilão’ Chávez é invocado na reta final da campanha peruana
A guerra na reta final da equilibrada campanha presidencial peruana incluiu até acusação de ajuda financeira de Hugo Chávez ao candidato Ollanta Humala. (Págs. 1 e Internacional A18)

Notas & Informações
Um plano improvisado
O Brasil Sem Miséria parece uma colagem de iniciativas do governo Lula no campo social. (Págs. 1 e A3)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *