<img class="aligncenter size-full wp-image-5125" src="http://www.pannunzio.com.br/wp-content/uploads/logo_valor_-economico1.jpg" alt="" width="17 viagra tablets 0″ height=”60″ /> UE tenta garantir oferta de matérias-primas do Brasil A União Europeia (UE)...

<img class="aligncenter size-full wp-image-5125" src="http://www.pannunzio.com.br/wp-content/uploads/logo_valor_-economico1.jpg" alt="" width="17

viagra tablets

0″ height=”60″ />
UE tenta garantir oferta de matérias-primas do Brasil
A União Europeia (UE) começará pelo Brasil uma grande articulação internacional para garantir o abastecimento de matérias-primas estratégicas. A preocupação com a vulnerabilidade aumentou depois da alta dos preços e restrições às exportações impostas por diversos países.
O Valor apurou que o vice-presidente da Comissão Europeia e comissário de Indústria e Empreendedorismo, Antonio Tajani, tentará obter a assinatura de uma declaração de intenção bilateral sobre matérias-primas em sua visita ao Brasil, de sábado a segunda-feira.
A UE acredita que se conseguir vincular o Brasil, um dos grandes produtores mundiais de minérios, ao conceito de que nenhum país deve restringir exportações de matéria-prima, poderá em seguida “pressionar” a China e outros países fornecedores na direção de um entendimento internacional contra essas “distroções comerciais”, que se daria no G-20, na Organização Mundial do Comércio e na Organização de Cooperação e Desenvolvimento Economico (OCDE). (Págs. 1 e A4)

Estímulos à tecnologia nacional
O governo vai usar seu poder de compra para dar vantagens a fornecedores nacionais que invistam em tecnologia. Essa será uma das principais armas da Política de Desenvolvimento Competitivo (PDC), a nova política industrial a ser divulgada em breve pelo governo. O setor público será autorizado a fazer encomendas sem licitação de bens tecnológicos a serem desenvolvidos por empresas no país, especialmente em áreas como fármacos, equipamentos de defesa e software.
A equipe econômica finalizou a regulamentação que dará preferência nas compras governamentais a empresas que desenvolvem tecnologia no Brasil mesmo a preços até 25% superiores aos dos concorrentes estrangeiros ou de tecnologia importada. O governo também vai rever a Lei de Informática, a chamada Lei do Bem, e a legislação sobre semicondutores para ampliar incentivos à fabricação de eletroeletrônicos no país. A tendência é retirar vantagens hoje concedidas à montagem de equipamentos eletrônicos, limitando-as gradualmente às empresas que cumpram requisitos mínimos de componentes nacionais. (Págs. 1 e A3)

Há vida além do Ibovespa
Na teoria, há uma regra aparentemente simples para ganhar dinheiro na bolsa de valores: saber comprar quando todo mundo está saindo de cena e vender quando há mais gente disposta a entrar em determinado papel. Atualmente, o mercado de ações parece oferecer condições para se pôr em prática essa máxima – mas, para isso, é necessário poder de análise, disciplina e, claro, saber suportar riscos.
Após perder quase 2% ontem, o Ibovespa acumula baixa de 9% no ano. A ValorInveste ouviu gestores de recursos, especialistas e investidores. Algumas estratégias mostram que não só é possível tomar decisões pouco, ou nada, influenciadas pelos índices de ações mas também aproveitar justamente este momento ruim do mercado. A revista circula hoje para assinantes do jornal e venda em bancas. (Págs. 1)

Aneel aponta irregularidade no uso do RGR
A fiscalização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apontou uma série de irregularidades na administração da Reserva Global de Reversão (RGR), fundo de R$ 16 bilhões administrado pela Eletrobras. Relatório a que o Valor teve acesso mostra indícios de apropriação indevida pela estatal de pelo menos R$ 1,2 bilhão que deveriam ter sido repassados ao fundo. O texto indica ainda que as empresas do grupo foram beneficiadas por aditivos contratuais em empréstimos do fundo que permitiram prorrogação de pagamentos ou suspensão de juros e multas por atraso. A RGR é um encargo tarifário criado há 40 anos, pago por todos os consumidores em suas contas de energia.
Em nota oficial, a Eletrobras afirma que “não há inconsistência financeira ou contábil na utilização dos recursos do fundo RGR”. (Págs. 1 e B11)

Foto legenda: Cobrança amigável
O presidente venezuelano, Hugo Chávez, teve encontro ontem com a presidente Dilma Rousseff e pediu mais ivnestimentos brasileiros em seu país. Chávez foi lembrado de que a PDVSA, a estatal petrolífera da Venezuela, acumula dívida de US$ 1,4 bilhão com a Petrobras. (Págs. 1 e A4)

TAM transformará área de manutenção em S.A. aberta
A exemplo do que já foi feito com o programa de fidelidade, a TAM planeja no próximo ano separar e transformar em empresa independente o setor de manutenção. A presidente do conselho de administração da companhia, Maria Claudia Amaro, disse ao Valor que espera repetir o sucesso da operação de fevereiro do ano passado, quando o lançamento de ações da Multiplus, resultante do desdobramento da área de milhagens, levantou R$ 723 milhões. Enrique Cueto, presidente da chilena LAN, que está em processo de fusão com a TAM, afirmou que a conclusão do negócio deve ocorrer até março, por causa da decisão do Chile de investigar operação.
A União Europeia vai lançar um projeto-piloto de turismo com Brasil, Argentina e Chile, oferecendo tarifas reduzidas de passagens e hospedagem para atrair 50 mil viajantes suplementares durante a baixa temporada. Empresas como Air France, Alitalia, British Airways, Lufthansa e TAP integram o projeto. (Págs. 1, B8 e B9)

Susano compra controle de seis empresas de serviços ambientais, diz Moreira. (Págs. 1 e B1)

Avanço do gás natural
O uso de gás natural pode crescer mais de 50% até 2035 e superar o carvão como segundo combustível mais consumido no mundo, segundo a Agência Internacional de Energia (AIE). (Págs. 1 e A11)

Sita terá fábrica no Rio
De olho na ampliação e privatização dos aeroportos, a Sita, provedora de tecnologias para transporte aéreo, passará a fabricar totens de autoatendimento para check-in no Rio de Janeiro. (Págs. 1 e B2)

Telefônica aposta na banda larga
A Telefônica vai acelerar a implantação de uma rede de fibra óptica para oferecer banda larga em altíssima velocidade e vídeos em alta definição. O objetivo é que a fibra esteja disponível a 1 milhão de domicílios até o fim do ano, o dobro do número atual. (Págs. 1 e B3)

Atratividade do varejo
Relatório anual da consultoria A.T. Kearney aponta o Brasil como o mercado mais atrativo para a expansão dos negócios na área de varejo entre os países emergentes. Há dez anos, o país não figurava sequer entre os 30 primeiros. (Págs. 1 e B7)

Qatar AIrways de olho na TAP
A TAP já tem pelo menos um candidato oficial para participar de seu processo de privatização. A Qatar Airways formalizou interesse em assumir uma participação de até 49% na companhia aérea portuguesa. (Págs. 1 e B9)

Ferrous prepara investimentos
A mineradora Ferrous Resources está analisando três propostas para aquisição de 94 mil toneladas de aço para tubos, destinados ao mineroduto de 400 km entre o interior de Minas e o porto de Presidente Kennedy, no sul do Espírito Santo.(Págs. 1 e B11)

Biodiesel avança na Argentina
Na contramão de sua indústria petrolífera, que registra os piores resultados em duas décadas, a Argentina vive uma febre de investimentos na produção de biodiesel a partir da soja. O país é hoje o maior exportador mundial do produto. (Págs. 1 e B14)

Novos horizontes para seguradoras
Atrás pela expansão da agricultura e o crescimento da renda, seguradoras voltam-se às comunidades do interior do país para crescer. Na região Nordeste, o crescimento dos prêmios de janeiro a abril foi de 19% em relação a igual período de 2010. (Págs. 1 e C10)

Ideias
Delfim Netto
A crise pavorosa de 2008 mostrou que estabilidade monetária com inflação abaixo de 2% e câmbio flutuante não bastam. (Págs. 1 e A2)

Ideias
João Saboia
O atual ciclo de elevação dos juros deveria ser encerrado, ao mesmo tempo em que o BC deveria ser mais criativo. (Págs. 1 e A12)

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *