O líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), esperava que a reunião da bancada no começo desta tarde resultasse num consenso para...

O líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), esperava que a reunião da bancada no começo desta tarde resultasse num consenso para o pedido de renúncia do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP).

Mas o parlamentar saiu derrotado. O partido dele resolveu manter a posição de solicitar o afastamento do político que enfrenta 11 reclamações no Conselho de Ética.

Mas segundo Agripino, a legenda está pronta e com posição declarada: vai continuar insistindo pelo afastamento de Sarney no colegiado, que tem o primeiro encontro marcado para as dez horas de amanhã. “A nossa postura no Conselho de Ética está tomada e anunciada. A coisa mais importante é garantir que os três votos do colegiado sejam uniformes”, afirmou.

Agripino também anunciou que pretende ser enérgico caso as investigações contra o peemedebista não sejam realizadas. “Se o presidente do Conselho [Paulo Duque] arquivar as denúncias e representações, vamos recorrer imediatamente”. Para isso, o partido já colheu a assinatura de cinco parlamentares (três democratas e dois tucanos) e pode levar o documento ao plenário da Casa. O colega de partido Demóstenes Torres (GO) foi o escolhido para fazer uma análise jurídica do caso para ver o que pode ser feito numa eventualidade.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *