Com informações da Folha Online. O senador Pedro Simon (PMDB-RS) esclareceu hoje as insinuações levantadas contra ele pelos senadores Fernando Collor (PTB-AL) e Renan...

Com informações da Folha Online.

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) esclareceu hoje as insinuações levantadas contra ele pelos senadores Fernando Collor (PTB-AL) e Renan Calheiros (PMDB-AL) no bate-boca que abriu os trabalhos do Senado na última segunda-feira.

No episódio que se transformou numa verdadeira baixaria, Collor ameaçou relembrar fatos embaraçosos da vida de Simon caso ele voltasse a citar o nome do ex-presidente da República.

Em nota, o peemedebista menciona o acidente nuclear de Chernobil, na Ucrânia, e a ONG Portosol, que abrigou o filho de Simon como assessor. Os dois fatos foram lembrados por Calheiros. Segundo Pedro Simon, ele não era ministro da Agricultura na época em que o governo brasleiro importou carne contaminada da Ucrânia. Sobre as insinuações do vínculo do filho do parlamentar com a ONG, o senador afirmou que as atividades foram exercidas sem remuneração.

Ontem, Simon encaminhou pedido à Corregedoria do Senado para que Fernando Collor explicasse o que de tão importante ele possuía e ameaçava falar sobre o passado do peemedebista.

A atitude de Simon revoltou Collor, que questionado, falou “manda ele ir para…”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *