Rodrigo Maia cede a lobby da bancada da bala e aborta CPI da Taurus

Sob o argumento de que não há fato determinado a investigar, o presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia, atuou em favor do lobby congressual conhecido como Bancada da Bala e livrou empresa Forjas Taurus de ter que responder pela má qualidade das armas que fabrica em uma comissão parlamentar de inquérito. O arquivamento, feito sem alarde, foi determinado no dia 26 de outubro de 2016.
No despacho em que empastelou a investigação, Rodrigo Maia argmentou que os 202 deputados que assinaram o requerimento da CPI “citam casos pontuais, sem demonstrar a repercussão do fato, limitando-se a apontar notícias de televisão  e quatro casos supostamente ocorridos no Distrito Federal e um nos Estados Unidos”.

Clique para continuar lendo

Cachoeira está preocupado com ‘publicidade opressiva’, diz novo advogado

O novo advogado do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Nabor Bulhões, diz que seu cliente é alvo de “verdadeira campanha” e que está preocupado com a “ampla publicidade opressiva que se desenvolve no caso”.

Bulhões assumiu o caso após o advogado Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça, deixar a defesa do empresário.

Cachoeira foi preso em fevereiro, durante a Operação Monte Carlos, da Polícia Federal, que investigou a exploração de jogos ilegais em Goiás e no Distrito Federal. As investigações apontaram relação do grupo de Cachoeira com políticos e agentes públicos.

Clique para continuar lendo

Câmara do DF enterra CPI que investigaria governo de Agnelo

ERICH DECAT

Deputados do Distrito Federal enterraram anteontem a CPI local criada para apurar um suposto esquema de investigação ilegal comandado por integrantes do governo de Agnelo Queiroz (PT).

Na sessão para a escolha do presidente e do relator, apenas a deputada de oposição Celina Leão (PSD) apareceu -eram necessários três parlamentares. Sem a escolha, a comissão foi extinta.

Ao ser criada no dia 17 de abril, a CPI da Arapongagem, como ficou conhecida, tinha a assinatura de 11 dos 24 deputados distritais. O objetivo era apurar as suspeitas de que policiais da Casa Militar do DF investigavam ilegalmente políticos e jornalistas.

Clique para continuar lendo

Morre a mãe de Cachoeira. Efeito pode ser devastador

Henrique Morgantin, do Brasil_247

A morte de Maria José de Almeida Ramos aos 79 anos pode ir bem mais além que a perda da matriarca de uma família no interior de Goiás. Isto porque Dona Zezé, que estava há meses lutando pela vida em várias internações hospitalares, é a mãe de Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

As primeiras informações dão conta de que seria uma opção familiar nem mesmo comentar com o contraventor, preso em Mossoró (RN), sobre o ocorrido, com o objetivo de “evitar um sofrimento a mais”. Quem confirma esta tese é um sobrinho de Carlinhos, em entrevista à Rádio CBN.

Clique para continuar lendo

Até onde vai o ânimo da CPI do Cachoeira ?

O Congresso deve formalizar hoje a CPI Mista para investigar as ramificações do crime organizado nos vários níveis de governo a partir do esquema de contravenção do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Até agora, as investigações da Polícia Federal já revelaram a contaminação de praticamente todo o governo tucano de Goiás, apontaram para a antessala do gabinete do petista Agnelo Queiróz e destroçaram a carreira política de Demóstenes Torres, um dos principais pilares da oposição no Senado da República.Também há vínculos de suspeição dentro da Casa Civil da Presidência da República e rastros que levam a outras esferas da administração de outras unidades da federação. Por todos esses fatores, a instalação da comissão que vai promover a investigação parlamentar era um dever ao qual a Câmara e o Senado não poderiam se furtar, pois o absenteísmo congressual beiraria a prevaricação.

Clique para continuar lendo