O Editor

Fábio Pannunzio é jornalista há 30 anos. Formou-se na Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero e é mestrando em Comunicação pela Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Iniciou sua carreira na Rádio Jovem Pan de São Paulo em 1981. Depois, atuou nas principais redes de televisão do País. Atualmente é repórter da Rede Bandeirantes de Televisão e apresentador-substituto dos dois principais telejornais da emissora.

Também é autor do romance-reportagem “A Última Trincheira”, livro sobre o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) publicado pela editora Record do Rio de Janeiro em 2001.

Para fazer contato com o editor, clique na guia “Contato” na barra de navegação do blog.

Comentários

41 thoughts on “O Editor

  1. Oi Fábio, cheguei no seu Blog procurando o Jânio de Freitas que gosto demais! E que surpresa agradável, encontrei dois ótimos jornalistas!!!
    Obrigada e agora vou vir mais aqui, ando cansada de ler a mesma coisa em todo lugar..simplesmente não temos muito pra onde correr…jornais, revistas, internet…como está difícil… Mas agora fiquei freguesa..rsrsrs… Abraços.

  2. Gosto muito de ler seus artigos. Parabéns e continue assim, o Brasil precisa da verdade.

    Roberta

  3. Caro Fábio.

    Não faço muitos comentários, mas leio regularmente suas postagens, por isso fico meio constrangido de fazer o meu primeiro justamente no seu perfil, mas não pude resistir.
    .
    Em 31/05/2012 o comentarista Jadiel Souza volta a levantar questionamento sobre seu parentesco com políticos, coisa totalmente irrelevante, mas que parece ter alguma importância para o distinto.

    Com elegância você o encaminhou para os links de esclarecimentos e deu por encerrado o assunto, eu sinceramente não consigo, essa tentativa, algo cretina, de tentar desqualifica-lo sabemos todos de onde parte e quem as patrocina.

    O Jadiel replica o comentário do Sr. César de 05/05/2012:

    (cesar on 01/05/2012 at 22:12 said:
    vc poderia nos informar qual o seu parentesco com o tucano pannunzio, por favor?
    Assim poderemos saber se vc é ou não imparcial. Responde aí.)
    Entendo que esse iluminado não goste de você, mas acho que deveria gostar um pouco mais dele mesmo, afinal expor a própria ignorância assim em publico e para que todos leiam é bastante constrangedor.

    É como se falasse em alto e bom som, …..não entendo o que leio, não sei julgar se um texto é ou não imparcial, a única forma de livrar-me dessa treva intelectual é conhecendo a sua arvore genealógica e o que fazem……….

    Que gente é essa que não exercita o senso de ridículo mais corriqueiro. Para julgar se um texto é parcial ou não sobre determinado assunto não é preciso nem mesmo conhecer o autor, basta entender o que lê.

    No nazismo um alemão para poder desposar uma legitima fräulein precisava provar que não possuía sangue judeu, isso remontando a três gerações de antepassados, parece que agora para ter opinião a exigência foi reformulada.

    Como disse lá em cima, sabemos que esses tipos são os “enviados da BESTA”, não sei se irá publicar esse comentário, nem mesmo se os dois citados irão ler o que estou escrevendo, pode ser que leiam e neguem, mesmo nesse caso nada os redime, mesmo não pertencendo à BESTA, já derem provas suficientes de serem ao menos daquelas quadradas.

    Parece-me que quem paga esse tipo de patrulheiro virtual está pagando muito pouco, pois não consegue contratar pessoas minimamente preparadas, nem mesmo para denegrir ou lançar suspeita.

    Continue com o blog, pois está fazendo um bom trabalho, sinceramente não sabia desse seu lado mais combativo e de opinião.

    Parabéns.
    Abraços.
    Hugo.

    • Muito obrigado, Hugo. Fico honrado com o seu comentário. Fique à vontade para manifestar suas opiniões aqui. Um abraço e obrigado.

    • “Assim poderemos saber se vc é ou não imparcial.”

      Não, o Pannunzio não é imparcial, amigo. Na verdade, sua colocaçao é uma ingenuidade

      Não existe jornalista imparcial. Existe jornalismo isento, o que é outra coisa. Todo jornalista tem, como eu e vc, suas convicções, sua ideologia, sua preferência politica e social. Afinal, é gente como eu e vc.

      A diferença está ente o jornalista decente e o jornalista indecente.

      O jornalista decente é aquele que, apesar de sua parcialidade ideologica pu politica, de costumes ou cultural, escreve, cobre, comenta os fatos com isenção reconhecendo os méritos, quando os há, no oponente, da mesma maneira que reconhece os méritos daqueles com quem acredita que lhe representa. Da mesma maneira que, como cobra os “maus-feitos” daqueles de quem diverge, também cobra, com a mesma intensidade, os maus-feitos daqueles com quem concorda. Ou seja, basicamente, ele , profissionalmente, se coloca numa posição de isenção diante dos fatos, dando a eles o mesmo tratamento seja no caso do bem-feito quanto no do mal-feito, venha de onde vier. O que não o torna imparcial.

      Já o jornalista indecente, vc encontra na Veja e no Conversa Afiada., entre muitos outros.

  4. Gostaria de saber se voce tem algum parente na politica, e qual partido politico se identifica mais com voce.

  5. Oi Pannuzio!
    Como é ser um conservador de mentirinha todo dia? Aqui no interior somos muito conservadores de verdade. É um bom sentimento, apesar da contínua loucura liberal-modernista atual. O bom conservador é pragmático. Sabe o quer é isso? Nunca deixa nenhuma espécie de ideologia interferir com seus julgamentos. Há pessoas -incluindo você- que pensam ser conservadoras. Sinto muito dizer que estão enganadas. Defendem na verdade um facho de idéias bem estranho. Estão bem representadas por uma parte importante da elite brasileira e especialmente a paulistana. Gente liberal, modernosa, sem noção do conceito de honra ou respeito a princípios. Pouco letrada apesar de, alguns serem leitores. É que só lêem o que o espelho de narciso recomenda! Enfim, participantes uma pseudo-vanguarda ignorante e quase semi-analfabeta. Mas, para mal maior nosso, dos nativos da terra de piratininga e da terra brasilis, é o profundo espírito antinacional desta elite. O profundo desrespeito à leis e principios morais absolutos. Tudo é relativo. O profundo desrespeito as raízes e tradições genuinamente nacionais e o deslumbramento primitivo pelo que é estrangeiro e alienígena.

    • Bem, eu sou mineiro, ateu, fui militante do PT nos anos 80 e 90, sou a favor da descriminalizaçao das drogas. Se isso é ser conservador, então eu sou conservador.

  6. Fábio, parabéns pelo seu brilhante trabalho e pela sua seriedade. Havia lido várias vezes suas matérias, mas nunca liguei o nome à pessoa. Até que a ficha caiu. Gosto muito do seu trabalho na Band, tanto no Jornal da Band quanto no Canal Livre (que assisto sempre). Gostaria de saber o que você acha da “vigilância da rede”, onde somos diariamente constrangidos e bombardeados por pessoas desconhecidas quando emitimos opinião contrária ao que eles pregam. No Tweeter, por exemplo, já fui achincalhado diversas vezes por pessoas com um currículo escolar rico, mas de idéias totalitárias, autoritárias e cegas. Escorados nesses currículos de doutorados e mestrados, a primeira e corriqueira expressão utilizada por essas pessoas é “BURRO”! Acham que “cultura” que possuem é suficiente, dispensando a educação, num show de baixarias. Tudo para defender um governo que faz questão de “agraciar” os que, intransigentemente, defendem suas ações. Sei que você escreveu algo a respeito dos blogueiros progressistas, mas gostaria muito de sua opinião a respeito desse “monitoramento” das redes sociais. Um grande abraço e continue com sua linha de jornalismo investigativo, denunciativo e sério.

    • Muito obrigado, Lúcio. Eu acho essas iniciativas de criar exércitos virtuais para fazer o patrulhamento ideológico simplesmente abomináveis. O constrangimento é indutor de algo que Noelle-Neumann chama de Espiral do Silêncio. A internet não nasceu para calar ninguém , e sim para democratizar os espaços de informação.
      Essa praga existe no Brasil, na Argtentina (chama-se Los K, de Kirshner) e pelo mundo afora. Estou aprendendo a lidar ocm isso, mas confesso que não é fácil. Ler as ofensas imotivadas e os palavrões que escrevem por aí é uma experiência terrível.

    • Obrigado, Fábio! Concordo com tudo que você disse. Parabéns pelo trabalho.

  7. Olá Fábio, sou um fã incondicional seu, e torço que apareça mais vezes na bancada do Jornal da Band, apesar que eu sou fã do Boechat também.

    Vejo que há uma campanha de baixaria em blogs de menor expressão como o de PHA, da Rede Recópia, Carta Capital, entre outros veículos de gosto duvidoso…. tudo financiado com verbas públicas. Veja que o site do PHA só tem propaganda de empresas públicas.

    Mas queria sua opinião se existe a possibilidade real de chamarem o Policarpo para a CPI, como esta este movimento pelos Petistas e outros usurpadores de dinheiro público?

    • Eduardo, eu não tenho nada contra a convocação de quem quer que seja. Mas colocar um jornalista diante de feras irascíveis como o Collor não vai servir para nada. Acho que, se as suspeitas de crime forem evidenciadas — e até agora não foram — não faz mal nenhum convocar o jornalista para depor. Sabe por que isso não aconteceu até agora ? Porque não há nenhum elemento ou indício de qualquer problema legal ou ético nas relações entre Policarpo e suas fontes. E olhe que a BESTA está prospectando tudo, tudinho mesmo.

  8. Fábio

    como explicar essas questões PIG x BESTA?
    de um lado Reinaldo, Augusto, Demétrio, Mirian, do outro Mino, Paulo Henrique, etc
    O fato não se resume a chapa – Branca ou Preta.
    e aí?

    • Marcus, o problema não se reduz a dois lados. É complexo porque contém uma série de comprometimentos éticos, morais e até de interesse da administração pública. São duas formas antagônicas de entender e fazer o jornalismo. Tudo isso se expressa nos diversos artigos produzidos pelos dois lados. Se me fosse pedido um palpite, eu diria que faz bem à saúde democrática ler os dois lados. E julgar pelos seus próprios conceitos e valores de qe lado está a verdade.

  9. Caro Pannunzio,

    Bati aqui agora nesta seção quando lia o seu perfil.

    Realmente, diz muitas verdades. Nosso povo está – ou é – doente, com sua carga exorbitante de racismo, homofobia explícita, sectarismo religioso, preconceito extremo contra tudo e todos, etc. Uma doença, atiçada ainda mais pela Internet, onde ninguém precisa mostra a cara e onde todos gatos são pardos. E por isso mesmo, por não terem que mostrar a cara, mostram a alma.

    Na verdade, não se lê isso apenas de brasileiros, mas é comum no mundo todo. A agressividade racial e belicista dos americanos então é de pasmar. Os insultos raciais trocados pelo Youtube entre latino-americanos, não brasileiros, é de cair o queixo, me surpreendeu.

    A Internet é cheia de valente. A impossibilidade legal de colocarem seus demônios para fora na vida real, faz com que este veículo seja o caudatário anônimo do que o ser humano tem de pior dentro de si.

    No caso particular da política e da vida brasileira, me choca o que leio sobre tudo e todos, o que chega a ser quase animalesco. O que leio de defesa da ditadura militar, os termos usados contra aqueles que contra ela combateram – com quem politicamente não simpatizo também – me parece que só podem sair da mente de verdadeiros psicopatas.

    A completa e total falta de respeito, até humano, contra Lula e Dilma ( e dependendo do caso até contra FHC) – nunca votei em nenhum dos dois primeiros, o único politico que tive alguma admiração na vida foi Mário Covas, hoje me tornei um não-votante – chega a dar nojo. E, detalhe, isso parte também de gente que mostra a cara e não tem vergonha do que escreve, como jornalistas conhecidos. A coisa toda está escandalosa com uma falta de respeito ao próximo estarrecedora. Com Lula, a coisa é preconceito puro e simples por ele ser o que é. E olha que não tenho grande simpatias pelo cidadão, mas a amoralidade, o racismo intelectual e social, e a profunda falta de respeito ao ser humano, reinam.

    O fato de você ser primo de politico não muda nada e não quer dizer coisa nenhuma. Alguns dos jornalistas mais venais que esse país tem ou já viu, não tinham o mais longínquo parentesco com político algum. Acompanho você há algum tempo na Band e sempre gostei. Continue a ser o que é.

    Acho a mesma coisa que você de Dilma Roussef, espero que resista às ratazanas, mas pra quem resistiu a pau de arara, prisão, sevícias, choques e pelo temperamento que possui, acho que vai tirar de letra. Se não fizer alguma grande cagada, só passa a faixa em janeiro de 2019.

    Quanto ao Boris Casoy, não tenho a menor simpatia pelo cidadão, mas estou entre a esmagadora minoria que concorda com o que escreveu dele. E nem tinha a menor ideia de que tivesse alguma deficiência.

    Pelo perfil que mostrou de si mesmo, qto à crenças e posições politicas, creio que nos parecemos em visão de vida, daí o fato da minha simpatia por você ao vê-lo na telinha, apesar de até então não saber absolutamente nada sobre você.

    No mais, como diria Ibrahim Sued, os cães ladram e a caravana passa.

    Abraço do colega de diploma que escolheu outra profissão para seguir na vida.

    PS Sinto que você tem grande bronca do PHA. Como cheguei por aqui agora, acho que perdi algo.. o que houve afinal? Sua bronca com relação à ele parece ser bem maior do que com relação a outros do que chama de BESTA.

    • Alex, muito obrigado por suas palavras. Este espaço foi criado por mim três anos atrás para estimular o debate dos temas que julgo importantes. Felizmente há algumas pessoas que concordam com os pontos-de-vista que coloco nestas páginas, mas há também muitos que discordam. Não me desagrada ser confrontado, pelo contrário. O que me causa repulsa são justamente essas manifestações de intolerância.
      Não tenho nada pessoal quanto ao PHA. Nunca trabalhei com ele, que por duas vezes chegou a me convidar para a Band quando eu estava na Globo de Brasília. Felizmente não deu certo. O problema todo se resume às manifestações injuriosas que ele perpetrou contra um grande amigo meu, o Heraldo Pereira. Ele não se importou em recorrer ao jargão racista quando se viu sem argumentos para atacar o Heraldo, a quem chamou de negro de alma branca.
      Se vocÊ quiser ir à origem dessa pendenga, sugiro que leia dois posts antigos: http://www.pannunzio.com.br/archives/112 e http://www.pannunzio.com.br/archives/137.
      Obrigado uma vez mais.

  10. Prezado Fábio,

    venho por meio desta msg lhe parabenizar pelo belo trabalho e, principalmente, pela sua conduta e postura enquanto jornalista.
    Vivemos tempos sobrios, onde a inversão de valores é a tônica de nossos dias.
    São poucas as vozes com independência, e coragem, que ainda insistem em se levantar contra essa maré nefasta, e entre elas se encontra vc.
    Tenho a certeza que isso lhe rende mais detratores do que admiradores, porém ser ético, independente, e possuir a “retidão de caráter”, é algo que acima de tudo dignifica um homem e um profissional.
    Conheci a sua página recentemente. Tenha a certeza que passarei a frequentá-la com mais frequência.
    Parabéns !

    Ps.: brilhante o seu texto sobre a liberdade de imprensa.

  11. Bom dia.

    Prezado Fábio,

    venho por meio desta msg lhe parabenizar pelo belo trabalho e, principalmente, pela sua conduta e postura enquanto jornalista.
    Vivemos tempos sobrios, onde a inversão de valores é a tônica de nossos dias.
    São poucas as vozes com independência, e coragem, que ainda insistem em se levantar contra essa maré nefasta, e entre elas se encontra vc.
    Tenho a certeza que isso lhe rende mais detratores do que admiradores, porém ser ético, independente, e possuir a “retidão de caráter”, é algo que acima de tudo dignifica um homem e um profissional.
    Conheci a sua página recentemente. Tenha a certeza que passarei a frequentá-la com mais frequência.
    Parabéns !

    Ps.: brilhante o seu texto sobre a liberdade de imprensa.

  12. Cachoeira não gastaria dinheiro com arapongas para passar tudo à Veja de graça. Qual terá sido a vantagem que Cachoeira teve? Quais são os termos do mutualismo havido entre a Veja e Cachoeira? Afirmar que a resposta a essa pergunta seja A ou B antes da devida investigação é agir precipitadamente acerca de fatos que possuem fundamental importância para nossa democracia. Sem essa investigação jamais se saberá ao certo se Veja buscava o interesse público ou atuava em conluio com grupos criminosos. É por isso que não faz sentido blindar nem a Veja nem qualquer ente sob suspeita de interação criminosa com Cachoeira. Portanto, o que cabe é fomentar a investigação profunda das suspeitas, sem exclusão de nenhuma delas. Ninguém pode, afinal, estar acima da Lei; nem a Veja.

  13. Oi Fábio eu me chamo Junior tenho 20 anos, moro em Curitiba e admiro muito o seu trabalho, gostaria muito de te conhecer ou falar contigo mesmo por telefone. Assisto sempre o Jornal da Band pela TV e pelo rádio. Eu gosto muito do estilo da tua apresentação. Um grande abraço e um beijo. Eu sou deficiente visual e gostaria de saber se existe o teu livro em braille ou audio book. Abração cara.

  14. Grande Fábio,

    Parabéns pelo seu blog… só agora pude dar uma conferida.

    Ele é uma ferramenta maravilhosa na prestação de serviços de informação à população! É uma das formas mais livres de manifestar a democracia de uma forma acessível à todos.

    Abraços meu amigo!

    Rodrigo

  15. Parabéns pelo site,

    cheguei até ele pelo blog do Reinaldo Azevedo. Parabéns ao jornalismo da Band e a vocë por participar dele.

    Gostaria apenas de ver a Band demonstrando com palavras mais claras aquilo que pensa.

  16. Que vc é piguento e pau mandado até o mundo mineral está cansado de saber, o tempo dirá quem é quem na imprensa brasileira, a conferir.

    • Fabio,

      Um pequeno erro de digitação:

      “Também é autor do romance-reportagem “A Última Trincheira”, livro sobre o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colêmbia (FARC) publicado pela editora Record do Rio de Janeiro em 2001.”

      “Colômbia”

    • Obrigado, Jacinto. Isso está aí há anos e eu nunca havia percebido. Confesso que minha digitação é muito deficiente. Sempre que você encontrar errinhos como esse, por favor, me avise. Um abraço e muito obrigado.

    • vc poderia nos informar qual o seu parentesco com o tucano pannunzio, por favor?

      Assim poderemos saber se vc é ou não imparcial. Responde aí.

    • qual o seu parentesco com o ex-deputado pannunzio, do PSDB?

      responda e veremos se vc é digno de confiança.

  17. Venho ao seu blog para denunciar isto aqui http://www.youtube.com/user/pilantragemexposta Este casal Tulla Luana Fontes dos Santos e João Carlos Palma dos Santos estão a cometer muitos crimes pela internet, como incitação ao ódio, perseguição de crianças, homofobia, xenofobia, denegrindo a imagem de empresas e emissoras de TV. Este canal que estou citando é um canal de denúncia que tenta impedir que este casal continue enganando pessoas. E eles são aposentados por invalidez pelo INSS mas exercem atividades economicas. Eles já foram denunciados aos Ministérios Públicos Federal e Estadual.

  18. Fábio,

    Nos dê uma força quanto ao concurso do INSS 2008 Eles fizeram um concurso, alteraram o edital e agora querem fazer um novo concurso sem chamar os classificados do ultimo.

    Concurso virou uma máquina de fazer dinheiro para o governo!

    Aguardo resposta,

  19. fabio essa deise zuqui abriu uma fabrica de botas em salvador com 5 messes fechou e foi para sao pauo agora com a fabrica de botas ela e o marido alex.

  20. Nós temos um amor imenso por esta cidade…

    Olá, sou da assessoria de imprensa da Gazin e gostaria que me ajudasse a homenagear a cidade…

    Tenho também vários vídeos com excelentes imagens que estou disponibilizando abaixo para ti através do link, é um prazer falar contigo, grande abraço e parabéns pelo Blog.

    Material se encontra no:
    http://ikm.tempsite.ws/arquivos/

    (caso não entre direto favor copiar e colar na barra de endereços).

    Usuário: gerentes
    Senha: gerentes

    MEU E-MAIL É ATENDIMENTO@IKM.COM.BR o que precisar pode me procurar. Grande abraço.

    Gazin homenageia Cuiabá em seu aniversário

    No dia 8 de abril Cuiabá completará 292 anos, e a Gazin orgulha-se em fazer parte dessa história desde 1994, respeitando e valorizando a cultura e os costumes do povo cuiabano. A admiração por essa gente tão alegre é demonstrada mais uma vez na campanha publicitária criada especialmente em comemoração ao aniversário da cidade. Personagens marcantes, lugares históricos, as manifestações culturais e a gastronomia local são alguns dos destaques que expressam a essência de ser cuiabano e a paixão que a Gazin tem por Cuiabá, sua gente e suas histórias.

    Parabéns e muito obrigado Cuiabá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *