BESTA Deu no jornal Jornalismo Notí­cias O Globo Polí­tica

Repercutindo o Blog: EBC paga R$ 1 milhão de aluguel por prédio ocioso (O Globo)

Edifício não tem capacidade energética para sistema de comunicação com TV e rádio

ROBERTO MALTCHIK, do jornal O Globo


Entrada da nova sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), antiga Radiobrás, em Brasília
Foto: O Globo / Givaldo Barbosa

Entrada da nova sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), antiga Radiobrás, em BrasíliaO GLOBO / GIVALDO BARBOSA

BRASÍLIA – A Empresa Brasil de Comunicação (EBC), criada em 2007 para substituir a Radiobrás, ainda não conseguiu operar transmissões ao vivo e instalar as principais redações no prédio alugado em 2009 por quase R$ 1 milhão mensais. O prédio foi alugado mesmo sem capacidade energética para suportar o funcionamento continuado e simultâneo de um sistema de comunicação, com TV, rádio e agência de notícias. A AR empreendimentos, responsável pelo contrato de aluguel, já recebeu da União R$ 21,43 milhões, entre 2010 e 2012, de acordo com o Portal da Transparência.

Também houve atrasos provocados pela empresa contratada para adaptar o prédio ao funcionamento do sistema público de comunicação. A EBC admite o atraso, e prevê que as novas instalações só devem operar plenamente no final do ano. A estrutura tem 19,3 mil metros quadrados e, em valores atualizados, custa mensalmente aos cofres federais R$ 935,6 mil. Carro-chefe da EBC, a TV Brasil continua operando na antiga sede, que funciona em condições precárias. A redação da Agência Brasil – agência de notícias na internet -, que não demanda a construção de estúdios, não foi transferida.

A nova sede abriga os funcionários e a estrutura da EBC Serviços, responsável pelo canal NBR, transmissora das atividades do governo. As produções do resumo do noticiário, entregue aos órgãos públicos, e dos programas “Café com o Presidente”e “Bom Dia, ministro” já mudaram de endereço. Dirigentes calculam que 572 funcionários da EBC, de 1.100 em todo o Brasil, já trabalhem na sede nova.

Estúdios novos nunca tiveram transmissão ao vivo

Nenhuma transmissão ao vivo da EBC ocorreu a partir dos estúdios novos, montados no subsolo de um antigo prédio comercial de Brasília, o Venâncio 2000. É que o espaço foi alugado sem capacidade para suportar a carga de energia necessária para operar com segurança os estúdios de rádio e TV, ao mesmo tempo. Somente ao consultar a Companhia Energética de Brasília (CEB), a empresa ficou sabendo que precisaria bancar o suporte para construir uma subestação da CEB. Mas o prédio não estava adequado à obra. Coube à EBC fazer uma licitação para remodelar a estrutura física e, só agora, o prédio deve ficar pronto.

Em nota, a direção da EBC argumenta que “alguns estúdios não puderam ser transferidos por causa de atraso em obras de infraestrutura para a segurança energética necessária, especialmente para programas ao vivo”. Explica ainda que houve atraso nas obras de interligação das redações, novas e antigas, por fibras óticas e da sala-cofre, que abrigará os servidores de armazenagem e processamento do Sistema de Gestão dos Acervos e Gravações Digitais da EBC.

Diz ainda que as redações não foram transferidas por questões operacionais, uma vez que a TV depende do estúdio e a redação da Agência Brasil é multimídia. E que, ao final do contrato, está previsto um período de seis meses de aluguel gratuito porque os pagamentos começaram antes da adequação física.

“A estimativa é de que até o final do primeiro semestre sejam transferidas as rádios Nacional AM e Nacional da Amazônia e até o final de 2012 as áreas de jornalismo e produção da TV Brasil, as Agências Brasil e Radioagência Nacional e a programação ao vivo da NBR”, afirma a empresa.

Para ler a reportagem do Blog do Pannunzio que ensejou a matéria de O Globo, clique aqui.

Para ler a íntegra em O Globo, clique aqui.

Comentários

Related posts

Planalto diz que vetará ‘anistia’ para desmatador

Sindicato dos Delegados de Polícia de SP repudia abusos da Corregedoria. Policiais programam manifestação

Fábio Pannunzio

CPI poupa políticos e empreiteira e decide limitar investigação

4 comments

Kleber Santana 05/04/2012 at 14:36

Caro Pannunzio,

Parabéns pelo Blog!
A TV, em geral, cria uma certa barreira com o público. Toda essa “aura” fica de lado na Internet, e podemos trocar ideias de uma forma mais próxima. Fiquei especialmente impressionado com a leitura das edições da Veja durante o período militar. Seria trágico, não fosse cômico, notar que alguns figurões que hoje gritam “PIG” – onde há jornalismo – foram entusiastas do regime. E tudo o que você fez foi ir lá e checar, comparando discurso e prática…
Abraços,
KS.

Reply
alvaro 05/04/2012 at 09:39

Sorry a todos pelo lamentável equívoco. Eu quis dizer “pressionar”. Engenheiros costumam cometer graves erros de português.

Reply
Fábio Pannunzio 05/04/2012 at 11:28

Jornalista também, Alvaro. Não tem problema, todos entendemos que foi um errinho de digitação. O importante é o que se pretende comunicar. E isso está bem claro.

Reply
alvaro 05/04/2012 at 09:34

Boa Pannunzio! Essa é a verdadeira missão de um jornalista investigativo: investigar. Não importa se quem cometeu as falcatruas seja de esquerda, direita, centro ou goleiro.
Percebo, nitidamente, que seu blog vai ganhando força e começa a incomodar os praticantes de picaretagens e afins.
Outro dia li em algum canto que a sociedade e a imprensa devem se mobilizar para precionar o STF a votar o mensalão ainda neste semestre. Esse foi o maior escândalo da era petista e os crimes cometidos não podem prescrever. Sucesso.

Reply

Leave a Comment