CPI do Cachoeira Deu no jornal Folha de São Paulo Notí­cias Polí­tica

Cachoeira deu dinheiro a assessor de senador, diz PF

FERNANDO MELLO, LEANDRO COLON e BRENO COSTA

Seis dias antes de sua prisão pela Polícia Federal, o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, entregou R$ 100 mil em dinheiro vivo a um assessor do senador Demóstenes Torres (ex-DEM), indicam relatórios da PF obtidos pela Folha.

Quem recebeu o montante foi o policial militar Hrillner Ananias, cedido pelo governo de Goiás para assessorar Demóstenes, a pedido do parlamentar -o que é permitido por lei. O policial deixou a função de assessor logo após a prisão de Cachoeira.

Os relatórios da PF e as escutas telefônicas em que são baseados oferecem os primeiros indícios de que Demóstenes recebeu dinheiro de Cachoeira, cujas relações com políticos e empresários são objeto de uma CPI instalada nesta semana no Congresso.

Por causa de sua ligação com Cachoeira, Demóstenes é alvo de uma investigação conduzida pela Procuradoria-Geral da República no Supremo Tribunal Federal e de um processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética do Senado, que pode levar à sua cassação.

A PF gravou quatro diálogos em que a entrega do dinheiro foi discutida, no dia 23 de fevereiro, das 12h39 às 13h18. As escutas, feitas com autorização judicial, indicam que Ananias foi à casa de Cachoeira buscar o dinheiro, entregue pela mulher do empresário, Andressa Mendonça.

“O Hrillner vai aí, dá 100, tá? Pra ele”, diz Cachoeira à mulher. Ao analisar o diálogo, o relatório da PF concluiu que “100” são “R$ 100 mil”. Logo depois, Cachoeira fala com o assessor de Demóstenes: “Doutor Hrillner, vai lá com a Andressa lá, em casa, você vai lá? Fala com ela lá”.

O policial responde que estava resolvendo “um negócio pro chefe”, mas que depois pegaria o dinheiro.

Segundo resumo feito pela PF de outro diálogo ocorrido 15 minutos depois, “Cachoeira pede para Andressa contar o dinheiro na frente de Hillner” e “Andressa diz que vai dar a ele o dinheiro em notas de 50 que está embalado em plástico”. Na gravação, Cachoeira fala para a mulher contar as notas a serem entregues ao policial.

Logo depois, o policial liga para Cachoeira para dizer que estava a caminho. “Professor, só para informar, já estou a caminho tá?” O empresário responde a ele que “a Andressa já disponibilizou lá”.

O policial recebeu uma homenagem pública do ex-chefe em 2009, quando Demóstenes deu uma palestra a maçons de Goiânia num evento chamado “A Favor da Moralidade – contra a Corrupção”.

O site da loja maçônica onde ocorreu a palestra diz que Ananias, que é maçon, foi “muito bem referenciado” por Demóstenes no evento, em que o senador discursou sobre corrupção. “Temos que analisar a corrupção não só como o ato, que merece a pena, mas como aquele também que frusta o desejo de muitos.”

via Folha de S.Paulo – Poder – Cachoeira deu dinheiro a assessor de senador, diz PF – 27/04/2012.

Comentários

Related posts

Justiça de São Paulo arquiva investigação sobre Palocci

Membros de Comissão da Verdade pregam investigação sem revanchismo

Sevícias contra escrivã foram constatadas em perícia. Prova não foi usada em inquérito que inocentou delegados

Fábio Pannunzio

Leave a Comment