BESTA CPI do Cachoeira Notí­cias Polí­tica

Ganha um doce quem acertar a autoria desse texto

Transcrevo abaixo trechos encontrados por um amigo numa publicação importante para certo time de formadores de opinião. Darei um doce para quem me disser quem é o autor e com que propósito foi escrito.

Ele demonstra com muita assertividade que os arapongas de Cachoeira eram, na verdade, mercenários a serviço de quem os contratasse, sem coloração política nem compromisso ideológico. Inclusive de jornalistas, que definitivamente os pautavam para conseguir as informações do submundo que alimentam ainda hoje certo noticiário.

O texto foi escrito bem antes desse rolo todo da CPI do Cachoeira. Não está nos autos das operações Las Vegas e Monte Carlo. Introduz uma história dentro de outra.

Vamos a ele:

“Com a ajuda do amigo Idalberto Matias de Araújo, o Agente Dadá, do Serviço de Inteligência da Aeronáutica (CISA), consegui respaldo dos policiais para aprofundar ainda mais as investigações. E chegou às minhas mãos um relatório da P2, o Serviço Secreto da Polícia Militar de Goiás(…)”

Ao receber a pauta, logo entrei em contato com Dadá. Queria que ele apurasse dentro da comunidade de informações quem eram os agentes engajados e atuando (…). Dadá levantou que o trabalho de campo era liderado pelo funcionário da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) Luiz Fernando Barcellos (…). 

Dadá recebeu a informação do delegado aposentado da Polícia Federal Onésimo das Graças Sousa, outra figura que, por vias transversas, também desfrutaria dos seus 15 minutos de glória no embate eleitoral de 2010.

Ainda de acordo com Dadá, a informação, confirmada posteriormente por outros agentes enviados pessoalmente para falar com Barcellos, era quentíssima. Sousa sabia das coisas. O delegado teria trabalhado cm Barcellos no núcleo de inteligência montado [em um ministério da Esplanada].

Mais adiante:

Pintado esse quadro, fui à Brasília procurar o ex‑sargento da Aeronáutica Idalberto Matias de Araújo, o “Dadá”. Levei‑
o ao “bunker” da QI‑05. (…)

Dadá descreveu um cenário assustador, mostrando todos os furos na segurança. Aquilo que O Globo chamava de bunker” só tinha de “bunker” o apelido.

Dadá não poderia fazer o serviço, mas tinha uma indicação a dar: a empresa de um ex‑delegado da Polícia Federal, com estágio no FBI, especialista em contraespionagem, e que teria entre os seus clientes duas prefeituras do PT. Seu nome era Onézimo das Graças Sousa.

(…)

No início de maio de 2010 retornei à Brasília para retomar as negociações com o pessoal da comunidade de informações. O ponto de encontro agora é a confeitaria Suíça Praline, local preferido de Dadá “por só ter velhinhos, o que não gera suspeitas”. No encontro, só estamos eu, Dadá e Sousa. Com o risco de fogo amigo, seria muito arriscado colocá‑los dentro da casa.

De quem você acha que é essa pena ? Do Policarpo ? Minha ? Do Reinaldo Azevedo ? Augusto Nunes ? Do Chico Câmpera ? do Mino Pedrosa ? Do Sombra ? Do Barão de Itararé ?

Deixe seu palpite aí na área de comentários.

Comentários

Related posts

Cala a boca, Zé de Abreu!

Fábio Pannunzio

Relator aponta peculato em contrato do BB com DNA

Bruna Pannunzio

Polícia paulista matou quase 200 desde janeiro. Violência fardada será discutida pelo CNMP

Fábio Pannunzio

37 comments

Marcelo G 04/05/2012 at 00:34

A verdade é que trata-se de um livreco! Tão pobre nos argumentos e “provas” que nem o PT e seu poder quase hegemônico na república conseguiram fazer nada com as informações nele contidas. Obra de ficção de quinta.

Reply
Robson de Oliveira 03/05/2012 at 21:26

Pôxa vida! Ainda não cheguei no fim do livro, tinha que ser desse pedaço? Pensei que a pergunta também era de múltipla escolha com aqueles nomes no final, faltou então, “nenhuma das anteriores”! Mas também, relembrando a raposa, não gosto de doces… Ainda se fosse uma vodka!!!!

Primeiro a oferta parece fácil…”ganha um doce quem disser”… depois, começa a complicar…”com que intenção”… por fim a aparente múltipla escolha!!! Eita!!!!

…ao menos não terei diabetes tão cedo!!!

Abraços!

Foi divertido!!!

Reply
Francisco Câmpera 03/05/2012 at 20:19

Fábio sacana, fui eu quem te passei a dica do livro. Me inclua fora dessa!!!! kkkk

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 20:20

Chico do Céu! Um jornalista jamais entrega suas fontes! Depois, a BESTA vai pensar que eu não li ainda a Privataria Tucana. 😉

Reply
Antonio Benedito Moles 03/05/2012 at 20:14

Achio que é do Sombra

Reply
Ary Nunes 03/05/2012 at 20:10

A palavra-chave está em “sem coloração política nem compromisso ideológico.”

Sem medo de errar isso faz menção ao livro “A privataria tucana” de Amaury R. junior.

Nesse momento da história, salvo engano, o jornalista trabalhava à serviço de Aécio Neves, num fogo de barragem contra o presidenciável José serra.

Portanto não misturamos alhos com bugalhos.

Uma coisa é a briga da VEJA contra o PT. Outra muito diferente é briga interna dentro do próprio PSDB.

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 20:13

Há dois momentos nessa relação. No primeiro, Dadá foi recrutado para “investigar” a suposta briga no PSDB. Em seguida, o próprio Amaury o leva para o núcleo de inteligência da campanha da Dilma. Leia o último capítulo do livro que você vai entender tudinho. É o que conta o Amaury na Privataria.

Reply
Ary Nunes 03/05/2012 at 20:34

Sim, mas mesmo estando dentro do PT fica claro que era uma intenção do jornalista em dinamitar o Serra, tendo em vista que quase tudo que é narrado no livro ocorreu quando ele ainda trabalhava para o Aécio.

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 21:20

Nanina. Leia o posto que acabei de publicar.

Reply
Ary Nunes 03/05/2012 at 21:52

O final do livro é uma paulada no próprio PT o que mostra que o jornalista não é tão petista assim.

Elio Brugugnoli 03/05/2012 at 20:08

Esse enrosco está mais para o quadrilheiro (segundo a PGR), e, o doce nós vamos repartir.

Reply
Flavio F Farias 03/05/2012 at 19:51

Você agora está lendo A Privataria Tucana. Esperamos seus comentários sobre offshores e outros temas levantados no livro… que não fique só neste joguinho.

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 20:06

Comente aí, professor. Você é tão copioso nas críticas… Poderia explicar o que pensa a respeito ?

Reply
Big Head 03/05/2012 at 22:52

Pannunzio, você deveria dar o doce ao “professor” assim que ele resolver fazer seu primeiro comentário defiando algum argumento… ; )

Reply
Flavio F Farias 04/05/2012 at 00:55

Pannunzio, minha opinião é a mesma do restante da blogprog (vulgo BESTA). E eu confesso e concordo que minhas críticas são realmente ácidas. Mas não as gasto à tôa.
Aguardo a sua análise, afinal a meses que o livro foi lançado, e agora que leu, então, sua opinião é aguardada…
Não se zangue comigo. Faço o meu papel. E de certa forma até aprecio parte de seu trabalho. Você está realizando o seu papel.
E não seremos nós, críticos uns dos outros, PIG e BESTAS (você prefere Imprensa livre – algo assim – e eu prefiro BlogProg)… bem não seremos nós os juízes, mas outros.

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 20:11

Aliás, é engraçada a contradição de vocês, da BESTA. Crucificam o Amaury da Veja por se utilizar dessas fontes, mas ficam bravinhos quando digo que o Amaury da Privataria fez a mesma coisa ? Estranho, muito estranho!

Reply
Ary Nunes 03/05/2012 at 20:14

E o que vc acha???

O Amaury cometeu crimes ou não???

Não vale dizer que sou da “BESTA” ou sei lá qual rótulo for!

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 20:16

Vou meditar a respeito. Até porque imputar crime a alguém constitui crime de calúnia.

Reply
Ary Nunes 03/05/2012 at 20:21

De tanto tempo que o livro foi publicado ainda vais meditar???

Mas tudo bem, vamos respeitar o tempo de cada um.

Pra ser bem sincero, acho que o Amaury deveria ser requisitado(desculpe não sei se essa é a palavra certa), pra falar na CPI, assim como Policarpo. E isso,claro não é imputar crime em ninguém.

O que você acha???

Big Head 03/05/2012 at 23:04

Pannunzio, se o tal Amaury cometeu crimes de espionagem ou não é coisa a se discutir, no entanto o que é indiscutível é o conjunto de ilações estapafúrdias presentes em sua obra. Seria mesmo bom ler seus comentários sobre a obra (sentido figurado, por favor). Outra coisa, salvo engano, até mesmo porque li o “livro”apressadamente rapidamente, pois logo senti logo um cheiro desagradável, muitas denúncias do tal Amaury vem embasadas num exemplar de Veja que tinha na capa o Sr. Ricardo Sérgio, não? Salvo engano é o exemplar de n.º 1750. Quer dizer que quando o semanário denuncia gente próxima ao tucanato, torna-se fonte confiável e quando denuncia coisas como o mensalão, passa imediatamente a ser golpista para a Besta e seus cordeiros? O seletiviso moral dessa gente é coisa digna de pesquisa científica…

Reply
Marcelo G 04/05/2012 at 00:30

Isso que vc está falando, Big Head, é facílimo de ser verificado no blog do líder da Besta. O serviçal do “bispo” adora falar mal da Folha, da Veja e da Globo. Aí, quando qualquer um desses veículos publica algo a favor do PT ou contra seus adversários, imediatamente, vira referência bibliográfica.

Reply
Big Head 04/05/2012 at 08:08

Valeu, Marcelão. Ainda bem que a gente pode saber disso sem ter que entrar “naquilo”, né?

Abraço

José Discola 03/05/2012 at 19:44

Amaury Ribeiro Jr. seria meu melhor palpite

Reply
Marcelo Bemerguy 03/05/2012 at 19:33

Trata-se de trecho de “A Privataria Tucana”, de Amury R. Jr.

Reply
lenoir santos 03/05/2012 at 19:29

Amaury Ribeiro Junior, trecho extraido do livro A Privataria Tucana

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 19:31

Daqui a pouco eu digo quem ganhou.

Reply
lenoir santos 03/05/2012 at 20:47

Quem ganhou mesmo. Ansioso pra saber.
Boa noite.

Reply
Felipe 03/05/2012 at 19:26

Da PôHA?

Reply
Passaro 03/05/2012 at 19:24

Policarpo.

Reply
Passaro 03/05/2012 at 19:23

Vou arriscar no Policarpo.

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 19:25

Tá frio.

Reply
Giovani 03/05/2012 at 19:10

Fácil… Fácil… É do (…)!!!!
Abraços!!!

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 19:21

Você acertou, mas não posso postar com a menção que você fez. Reescreva dando o nome que você ganha o doce.

Reply
Giovani 03/05/2012 at 19:45

Sorry, Pannunzio… O nome é Amaury Ribeiro Jr… Aguardo o doce…rs

P.S.: Apesar da censura correta, não fui impreciso, fui?

Abraços…

Reply
Fábio Pannunzio 03/05/2012 at 20:07

Não foi impreciso, não. Você acertou na mosca. Depois precisamos combinar uma forma de você pegar esse doce. Vou postar agora o resultado. Obrigado e parabéns.

Reply
Renê 03/05/2012 at 19:05

Estou muito curioso mas não faço idéia.

Reply
Vinícius Jadyr 03/05/2012 at 18:58

Não sei. Mas acho que não é da pena de nenhum dos sugeridos por você.

Reply

Leave a Comment