Corrupção Justiça Notí­cias Polí­tica

A gênese de uma velha farsa: como a PF transformou um deputado extorsionário em vítima de um contrabandista

O video acima deve ser visto com reserva. Foi produzido pelos advogados do empresário Law Kin Chong, apresentado ao País como o maior contrabandista brasileiro há oito anos. Ele é dono de vários “shoppings populares” em São Paulo — inclusive do maior deles, a Galeria Pajé. Os imóveis que Law aluga ou subloca são utilizados para a venda de muamba eletrônica no varejo. Law diz que apenas administra os imóveis, que não tem nada a ver com a distribuição do contrabando. Mas já foi condenado e preso por descaminho e evasão de divisas.

A importância dessas imagens é dada justamente pelo fato de que elas jamais foram reveladas integralmente. Elas fazem parte do inquérito instaurado pela Polícia Federal para apurar os crimes imputados ao comerciante sino-brasileiro e deram causa à prisão de Law Kin Chong por supostamente tentar subornar Luiz Antônio Medeiros em 2007. Naquele ano a Câmara Federal havia criado e instalado a CPI da Pirataria, presidida por Medeiros.

As cenas agora publicadas ampliam o que já se sabia do caso — e mostram como o delegado que conduzia a investigação, o agora deputado Protógenes Queiroz, se utilizou de provas que poderiam ter colocado Medeiros na cadeia para prender a vítima de extorsão praticada pelo parlamentar.

Assim que o contrabandista caiu nas malhas da Comissão Parlamentar de inquérito, três emissários do deputado começaram a assediá-lo com ofertas pornográficas para que ele saísse impune do processo. Um dos assessores de Medeiros chegou a criticar o chefe, que estaria pedindo pouco dinheiro para livrar a cara de Law — 500 ou 600 mil reais apenas, contra uma estimativa do restante da quadrilha de assessores de que a armação poderia render pelo menos R$ 3 milhões.

Esses assessores provocaram uma reunião entre Medeiros e Law num hotel em Araraquara, no interior de São Paulo. O vídeo que publico agora revela o que ocorreu na conversa. Dele, a única parte conhecida pela opinião pública  (por meio de vazamentos seletivos para uma rede de televisão chamada a participar da coleta da prova) era o trecho em que Law pede a Medeiros que divida o suborno em quatro ou cinco prestações.

O material foi gravado por uma equipe da Polícia Federal, que o utilizou como prova de que o contrabandista havia tentando atrapalhar os trabalhos da CPI e livrar-se de ser citado no relatório final. Mas o que se vê é um afoito Medeiros regateando o valor e as condições do pagamento do suborno de R$ 1,5 milhão. Pelo que se pode depreender da cena,  é o deputado quem pede dinheiro ao contrabandista, e não o contrário.

O Blog teve acesso à íntegra das gravações e vai publicá-las assim que for possível fazer a transcodificação do material, que é extenso e demandaria dias de upload para serviços como o Youtube. Ela não têm outro valor a não ser repor elementos de uma verdade histórica que ficou sepultada pelo lixo processual produzido ao final da CPI da Pirataria, transformada em instrumento de chantagem contra os que pretendeu investigar.

Luiz Antônio  Medeiros já viveu seu ocaso político. A esperteza do parlamentar, no passado celebrado como o criador do neopeleguismo conhecido como “sindicalismo de resultado”, lhe valeu o banimento da vida pública pela vontade do eleitor.

Faltava ainda discutir o papel que coube ao delegado. Até hoje não está claro por que Protógenes Queiroz preferiu transformar uma vítima de extorsão em corruptor ativo sem molestar o verdadeiro criminoso — o deputado que o extorquia.

Related posts

Delegados diz em depoimento que relação entre Cachoeira e Veja é “de fonte”

Fábio Pannunzio

CEF anuncia segunda redução de juros em uma semana; Amir Khair acha que concorrência vai fazer PIB crescer

Fábio Pannunzio

Sindicato dos Delegados de Polícia de SP repudia abusos da Corregedoria. Policiais programam manifestação

Fábio Pannunzio

20 comments

MARCELO GIL 01/08/2012 at 15:11

É impressionante a que ponto chegou o então Deputado Medeiros. O mesmo inclusive nunca mais ganhou nenhuma eleição. Gostaria de convida-lo para ler a participação do ex-Deputado no programa Debates da Rádio Guarujá AM – Afiliada a Rede Jovem Pan Sat, onde o mesmo se explica do caso.

Confira :

http://marcelogil2000i.blogspot.com.br/2010/05/corretor-marcelo-gil-e-convidado-do.html

Aproveito a oportunidade para lhe parabenizar pelo excelente blog.

Sucesso sempre !!!

MARCELO GIL.
01.08.2012

Reply
Silvestre 24/05/2012 at 16:26

Parabéns, Pannunzio! Nesse vídeo, nenhum dos atores é santo, nem mesmo o sonoplasta. Al Capone, também, só foi preso por sonegar tributos. Por que motivo a imprensa brasileira ainda insiste em chamar Carlos Cahoeira de “contraventor”, se ele já possui condenação criminal por vários tipos de delitos?

Reply
Raquel 24/05/2012 at 13:30

Panuzio, ué, mas você chama o chinês de empresário?
Você acredita que empresário vai preso à toa?

Reply
Fábio Pannunzio 24/05/2012 at 13:39

Raquel, eu o chamei de contrabandista. Ele foi condenado por isso. Aí não sou em quem afirma, é a justiça brasileira. Mas ele tem empresas, daí qualificá-lo como tal. Carlinhos Cachoeira, por exemplo, é também empresário. Empresário do jogo do bicho, mas é empresário.

Reply
HELENIO DA COSTA 23/05/2012 at 12:04

Evidente que toda a prisão relacionada ao Law Kin Chong está acobertada por uma série de interesses “obscuros” de muitas pessoas, seja o próprio ex-deputado Medeiros e as demais pessoas que prestavam assessoria. Percebe-se que ao final do vídeo o ex-deputado Medeiros cita de forma taxativa o nome de Fernando, que na verdade trata-se do Policial Rodoviário Federal “Antonio Fernando de Miranda”. É certo que a pizza certamente já está planejada regada com ótimos vinhos. Afinal, estamos no País do faz de conta…….

Atenção Ministério Público e Polícia Federal: Trilhem o caminho da verdade e da JUSTIÇA investigando referido policial rodoviário federal e demais assessores, pois não suportarão 15 (quinze) dias de investigação SÉRIA!

No caso do Law existem muitas coisas que ainda estão acobertadas – por interesse de pessoas altamente influentes.

Reply
HELENIO DA COSTA 23/05/2012 at 11:56

Se gritar pega ladrão…… não fica um meu irmão…… Vergonha nacional!!!!!!!!!!!!!!!!!

Reply
QUE PAÍS É ESSE ? 22/05/2012 at 21:39

O FERNANDO COMENTADO POR MEDEIROS NO VIDEO NÃO SERIA O VIGILANTE RATOVIÁRIO FEDERAL, “FERNANDO AMBIÇÃO”.
BRAÇO DIREITO DE MEDEIROS, EM SUAS EMPREITADAS CRIMINOSAS, EM ACORDO DO ENTÃO DELEGADO PROTÓGENES QUEIROZ, AGORA DEPUTADO FEDERAL DO PCdoB, ELEITO PELO COEFICIENTE ELEITORAL DE OUTRO DEPUTADO (TIRIRICA).
ESSA É UMA VERDADEIRA ********* TRAVESTIDA DE PALADINOS DA JUSTIÇA.
SÓ FALTA O POVO DESAVISADO DO GUARUJÁ VOTAR NO “CAMALEÃO” FEDERAL PROTÓGENES QUEIROZ, PARA PREFEITO AI A CIDADE SERÁ O PÓLO DO CRIME ORGANIZADO DA BAIXADA SANTISTA.

Reply
Jose Almeida 22/05/2012 at 20:36

Alexandre Bueno de Paiva on 22/05/2012 at 10:48

Alexandre, fiquei com a mesma impressão. O texto, tanto daqui quanto do reiinho não esclarecem esse detalhezinho. O Medeiros sabia ou não que estava sendo filmado. Isso não é nada, nada, é tudo

Reply
constantino 22/05/2012 at 19:20

Protógenes é um picareta parido por outro picareta.

Reply
Cesar 22/05/2012 at 18:56

Cara, quase não tive estomago para ver o vídeo até o fim.
.
Um misto de nojo e raiva desses achacadores e cúmplices da polícia.

Reply
MarceloPaccola 22/05/2012 at 11:34

Gente vamos deixar de ser inocente e burros….depois do ocorrido o companheiro supremo afastou Madeiros de todas suas funçoes ou seja foi punido, chamou a globo, e a PF recebeu seus 8 anos de salários atrazados em duas partes 40% na mesma semana + outro aumento em 30 dias…………. e o china pagou a conta!!!!! e o Pt como sempre saiu impune…………..

Reply
Alexandre Bueno de Paiva 22/05/2012 at 10:48

Precisamos analisar isso com muito cuidado, vejamos:

1- O Deputado sabía ou não que estava sendo filmado?
Se sabía, não vejo qualquer conduta criminosa por parte do Parlamentar, alías, no trecho do vídeo divulgado, também não vejo conduta ilícita por parte do contraventor uma vez que, como bem relatado no vídeo na parte final, o contraventor foi induzido a corromper. Trata-se do flagrante “preparado”, largamente utilizado pelas polícias estaduais e federais no trato com traficantes, contudo, amplamente repelido pelas autoridades judiciárias do País.

2- Caso o Parlamentar não sabia que estava sendo filmado, o que é inimaginável… a conversa já seria bem diferente.

Reply
katia Azevedo 21/05/2012 at 22:10

O Medeiros sabia sim que estava sendo gravado,, mas agia em conluio com amigos, com a certeza de que só o que interessava a ele e aos demais envolvidos (Protógenes Queiroz e Globo) vazaria na imprensa e assim aconteceu. A confiança na impunidade foi tanta que sequer se preoucuparam em editar o vídeo ou a transcrição das gravações anexadas ao processo. Uma verdadeira confraria de criminosos unidos para engabelar a opinião pública se fazendo passar por heróis.. Nessa história toda o Law foi só mais uma vítima, a mais vistosa entre dezenas de outras extorquidas pelo masmo bando que comandou a CPI da Pirataria… Uma tremenda farsa!

Reply
Cesar 22/05/2012 at 18:59

Com certeza Lao não é santo, mas a postura do Estado e seus representantes é com certeza mais deplorável e nojento.

Reply
Junior 21/05/2012 at 19:40

Eu não acho que o Law seja santo, mas o Medeiros também não é!!!!

Reply
ALVESI 21/05/2012 at 18:51

… Não conheço nenhum Sindicalista Honesto e que goste do trabalho, e quando um sindicalista VAGAL vira político (ganha poder) ele vira um verdadeiro BANDIDO……….

Reply
Flavio F Farias 21/05/2012 at 16:00

Pannunzio, o seu texto pode ficar mais claro.
Você primeiro informa que “o vídeo foi produzido pelos advogados do empresário Law Kin Chong”, depois diz que “o material foi gravado por uma equipe da Polícia Federal”.
Olhe, Pannunzio, está evidente que o deputado sabia que estava sendo filmado e que atuava para que Law Kin Chong não desconfiasse.

Reply
Airton 21/05/2012 at 17:31

E é o Policarpo Jr. é que está errado .

Reply
André 22/05/2012 at 20:37

O vídeo que está PUBLICADO no Youtube (com legendinhas e telas pretas de explicação) foi EDITADO E POSTADO pelos advogados de Law – já a gravação completa, o vídeo todo, a câmera escondida, foi feito pela PF. Ficou claro amigo?

Reply
Airton 22/05/2012 at 23:23

Se aparecer um vídeo do Policarpo obrigando com o o Cachoeira a lhe pagar algo para que ele divulgue o que o Cachoeira quer , você pode vir com essa explicação.
Um deputado pode pedir propina e isso se tornaria prova de suborno ? Se ele não pede , o Law ofereceria ?
Então porque o Demóstenes está sendo denunciado ?

Reply

Leave a Comment