CPI do Cachoeira Deu no jornal Folha de São Paulo Notí­cias Polí­tica

CPI adia outra vez ação contra governadores

ANDREZA MATAIS E RUBENS VALENTE

Integrantes da CPI do Cachoeira ampliaram ontem a a quebra dos sigilos fiscal, financeiro e bancário da empreiteira Delta, mas voltaram a adiar a investigação de governadores que teriam relações com o grupo do empresário Carlos Augusto Ramos.

A convocação dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO), Agnelo Queiroz (PT-DF) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ) pode entrar na pauta da CPI hoje, mas a tendência é de que seja derrubada.

O relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), irá encaminhar voto contrário.

O PT não irá insistir na convocação de Perillo, suspeito de ter recebido dinheiro do grupo de Cachoeira pela venda de uma casa em Goiânia.

O tucano nega relação financeira com o empresário. O PT e demais aliados não veem razão em investigar, por ora, os demais governadores, que são de partidos da base.

Cabral é amigo pessoal do presidente licenciado da Delta, Fernando Cavendish, e contratou a empresa sem licitação. Já Agnelo, segundo a Polícia Federal, teria nomeado em seu governo pessoas que mantinham contatos com o grupo. Ambos também negam irregularidades.

Para adiar o pedido de convocação, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), presidente da CPI, disse que consultaria a assessoria jurídica da CPI para saber se governadores podem ser investigados ou mesmo convocados. Segundo o PMDB, haveria risco ao “princípio federativo”.

DIVISÃO

Inicialmente contrário a ampliar a investigação sobre a empreiteira Delta, o PT, que tem três integrantes na comissão, votou rachado.

O deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) foi contra a aprovação do requerimento da oposição que irá permitir à CPI ter acesso a dados nacionais sigilosos da Delta de janeiro de 2003 até agora. Odair Cunha votou a favor.

A CPI já havia quebrado os sigilos da empreiteira no Centro Oeste. Os dados, porém, podem não ser usados. O relator já afirmou que sua investigação será focada em pessoas que foram corrompidas por Cachoeira.

O PMDB, que preside a CPI, tentou limitar a quebra do sigilo da Delta às contas relacionadas ao esquema Cachoeira, mas não conseguiu.

Para a Polícia Federal, a Delta foi um dos braços financeiros de um esquema ilegal comandado por Cachoeira. A empresa repassou ao menos R$ 40 milhões para firmas fantasmas que podem ter abastecido campanhas.

A assessoria de imprensa da Delta informou que a nova gestão “assumiu a empresa no dia 14 de maio e já iniciou um rígido processo de auditoria.”

De acordo com a assessoria, “qualquer investigação externa, realizada pelos órgãos públicos competentes, irá colaborar com esse processo de forma a deixar claro procedimentos adotados na antiga gestão da empresa.”

Ontem, a CPI aprovou também a convocação de Heraldo Puccini, diretor da Delta na região Sudeste. O pedido partiu do PT, que alega haver obras superfaturadas da empresa no governo paulista, comandado pelos tucanos.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Poder – CPI adia outra vez ação contra governadores – 30/05/2012.

Comentários

Related posts

Julgamento do assassinato de Celso Daniel começa nesta 5ª

Fiquem tranquilos. Mundo não acaba antes do natal, diz Marcelo Gleiser

Dados contradizem versão de Perillo para venda de casa em Goiânia

Fábio Pannunzio

Leave a Comment