Deu no jornal Estadão Notí­cias Polí­tica

Fotos comprovam que morte de guerrilheiro foi omitida por 20 anos

Corpo de Ruy Berbert em cadeia de Natividade, no interior de Tocantins - Divulgação

Imagens até agora inéditas do corpo do guerrilheiro Ruy Carlos Vieira Berbert, desaparecido em janeiro de 1972, aos 24 anos, revelam que, por duas décadas, três governos militares e dois civis sabiam de sua morte numa cadeia de Natividade, hoje município do interior do Tocantins, e nunca informaram o fato a seus parentes.

Por meio da Lei de Acesso à Informação, que liberou documentos antes mantidos em sigilo, o Estado localizou seis fotografias de Berbert morto. Uma pasta de imagens do Arquivo Nacional mostra que o Centro de Informações do Exército, principal órgão de repressão à luta armada, identificava o guerrilheiro oficialmente e de forma correta já em janeiro de 1972.

Apesar da insistente procura dos parentes, os responsáveis pelos serviços de informações dos governos dos generais Emílio Médici, Ernesto Geisel e João Figueiredo, e os dos presidentes civis José Sarney e Fernando Collor não informaram a existência das fotos nem confirmaram sua morte.

A família conseguiu a primeira informação oficial só em 1992, ao ter acesso a dados disponíveis a partir daquele ano pelo antigo Dops de São Paulo. Os arquivos citavam a prisão de Berbert e a possibilidade de o guerrilheiro ter se suicidado na cadeia. A suspeita, porém, é que ele tenha sido assassinado pelo regime.

À época, os parentes tiveram de confrontar a informação do Dops com o registro da morte de um certo “João Silvino Lopes” em Natividade, dado divulgado em 1979 por um general da reserva.

Beba na fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,fotos-comprovam-que-morte-de-guerrilheiro-foi-omitida-por-20-anos,897052,0.htm

Comentários

Related posts

Peleguismo organizado: Força Sindical se junta à CUT na defesa dos mensaleiros

Fábio Pannunzio

Mostrar o elefante

Kadafi, estrela do clip mais popular do Youtube

Fábio Pannunzio

1 comment

Carlo Germani 07/07/2012 at 16:45

Pannunzio,

Não tem nenhuma foto,que mostre o soldado Mario Kosel Filho,em centenas de pedaços,assassinado pelos comunistas-terroristas da VPR e VAL-PALMARES,em 26/6/1968,no Quartel General do II Exército (atualmente Comando Militar do Sudeste),em São Paulo,com 50 Kg de dinamite?

Mostrar um lado da história,é “alimentar os corvos (esquerdistas-comunistas)que comerão seus olhos.”

PS-A comunista-terrorista e atualmente dublê de presidente da República,Dilma Rousseff,nada sabia desse criminoso ato?

Reply

Leave a Comment