Mensalão Notí­cias Palavra do Leitor Polí­tica

Dois Engovs

Comentário do leitor do blog que assina como Big Head

Após engolir dois engov’s, resolvi assistir à apresentação (não há palavra melhor) dos nobres causídicos. Duas vontades se apossaram de mim: assistir novamente a “Sindicato dos Ladrões” e reler Swift, que, em 1726!, no seu Viagens de Gulliver, falava através do protagonista:

“Eu disse existir entre nós uma sociedade de homens educados desde a juventude na arte de provar, por meio de palavras multiplicadas para esse fim, que o branco é preto e que o preto é branco, segundo eram pagos para dizer uma coisa ou outra.Todo o resto do povo é escravo dessa sociedade”;
“Ao defender uma causa, evitam cuidadosamente entrar no mérito da questão; mas são estrondosos, violentos e enfadonhos no discorrer sobre todas as circunstâncias que não vêm ao caso.”

“Importa observar também que essa sociedade tem uma algaravia ou geringonça especial que os outros mortais não entendem, e na qual são escritas todas suas leis, que eles tomam o especial cuidado de multiplicar, por onde conseguiram confundir de todo o ponto a própria essência da verdade e da falsidade, da razão e da sem razão;”

“No julgamento das pessoas acusadas de crimes contra o Estado, é muito mais curto e louvável o processo; sonda o juiz, primeiro, a disposição dos que se encontram no poder; depois, não lhe é difícil enforcar ou salvar o criminoso, preservando rigorosamente as devidas formas da lei.”

“A essa altura, interrompendo-me, disse meu amo ser lástima que criaturas dotadas de tão prodigiosas habilidades de espírito, como haviam de ser, forçosamente, esses advogados pela descrição que eu fizera, não fossem antes estimulados a instruir os outros na discrição e no saber. Respondendo a isso, afiancei a Sua Excelência que em todos os pontos alheios ao seu ministério eram, de regra, entre a casta mais ignorante e mais estúpida; a mais desprezível na conversação ordinária, inimigas declarada de todo o saber e de todos os conhecimentos, e igualmente disposta a perverter a razão geral dos homens assim em outros assuntos como nos de sua profissão.”

I rest my case.

Comentários

Related posts

Hoje não quero falar de política. Vou ensinar uma receita italiana

Fábio Pannunzio

Opinião pública vai julgar Supremo no mensalão, diz corregedora do CNJ

A merca de Merdadante

15 comments

Doutor Silvana 07/08/2012 at 21:39

Big Head.

Simplesmente excelente. E essa de Sindicato do Crime … PERFEITO.

Reply
Big Head 07/08/2012 at 16:59

Valeu, Marcelão. Nada a acrescentar a seu comentário. De fato, por aqui parece que o acessório (Direito Adjetivo/Processual) parece ter mais relevância que o principal (Direito Substantivo/Material). Pra não falar na na chatice que é ver uma linguagem críptica sendo usada pelos nobres causídicos para tentar provar que “o branco é preto e o preto é branco”. Haja engov!

Abraços

Reply
Big Head 07/08/2012 at 16:48

Cartola:

Ingredientes

•Queijo tipo Queijo do norte ou Manteiga
•Banana
•Manteiga
•Açúcar
•Canela em pó

Modo de Preparo

1.Corte a banana ao meio no sentido longitudinal , frite-as em manteiga e reserve

2.Corte o queijo em fatias generosa 1,5 cm de espessura, e frite até ficar quase todo derretido

3.Em um pote, misture o açucar e a canela a seu gosto (amarronzado)

4.Coloque as duas bandas de banana fria num prato, o queijo quase derretido por cima da banana, depois cubra tudo com o açúcar e canela

5.O prato deve ser montado com a banana e o queijo ainda quentes

6.Consumir de preferencia na hora

Reply
Soninha Francine 07/08/2012 at 16:31

Off-tópic: vcs repararam na combinação curiosa formada pelas Tags de Lula a STF?

Reply
Soninha Francine 07/08/2012 at 16:29

Excelente

Reply
Soninha Francine 07/08/2012 at 16:27

… … … Vou dizer mais nada nao. No more questiona, Your Honor

Reply
Vivi 07/08/2012 at 13:13

BH: pedante, como sempre…

Reply
Chico Terra 07/08/2012 at 16:37

O BH é culto mesmo e escreve muito bem.

Alguém que tente ser um pouco erudito em um país subdesenvolvido como este é mesmo chamado de pedente.

Inclusive acho que você está comentando no site errado. Tente CaF CC BlogdaCidadaniaVermelho.org etc, etc, etc, etc.

Reply
Big Head 07/08/2012 at 19:18

Valeu, Chico.

Reply
Vivi 07/08/2012 at 21:24

Chico Terra:

Você tem a sua opinião a respeito do B.H., e eu tenho a minha, que não é pelo motivo que você IMAGINA ser. Aliás, é muita arrogância sua querer por palavras na minha boca.

Reply
Chico Terra 08/08/2012 at 13:39

Não estou colocando palavras na sua boca. Estou arrogantemente falando que você está no site errado.

Reply
Big Head 07/08/2012 at 19:15

Cartola:

Ingredientes

•Queijo tipo Queijo do norte ou Manteiga
•Banana
•Manteiga
•Açúcar
•Canela em pó

Modo de Preparo

1.Corte a banana ao meio no sentido longitudinal , frite-as em manteiga e reserve

2.Corte o queijo em fatias generosa 1,5 cm de espessura, e frite até ficar quase todo derretido

3.Em um pote, misture o açucar e a canela a seu gosto (amarronzado)

4.Coloque as duas bandas de banana fria num prato, o queijo quase derretido por cima da banana, depois cubra tudo com o açúcar e canela

5.O prato deve ser montado com a banana e o queijo ainda quentes

6.Consumir de preferencia na hora

Reply
SideShow Bob 07/08/2012 at 12:22

Parabéns Gran Tête pela transcrição.

Duas visões sobre advogados:

Sabe como se chama 200 advogados acorrentados no fundo do oceano?
Um bom começo.

Todos adoram odiar advogados.
Até o dia em que precisam de um.

Reply
tião medonho 07/08/2012 at 17:15

as pessoas só precisam de advogados pq eles criaram um sistema em que todos precisam de advogados (todos são advogados, inclusive o que fazem as leis que não são feita pelo legislativo como se pensa, mas por uma tal “comissão de juristas” na qual nunca de viu um padeiro, um ferreiro ou uma fonoaudióloga)

Reply
MarceloF 07/08/2012 at 12:15

Cabeção, parabéns pelo belíssimo comentário!
Lamentavelmente, nosso sistema jurídico nasceu das ordenações manuelinas e filipinas. E delas não se livrou, embora tenham se passado trezentos anos. As questões judiciais ficam restritas a filigranas, detalhes sórdidos e superficialiades, enquanto os fatos são relegados ao esquecimento.
Eu sou formado em Direito e, como uma boa parte dos colegas, já desanimei há muito tempo dessa atividade.
Perdi alguns minutos vendo os trechos das falas dos nobres colegas que atuam na defesa desses réus mensaleiros. Com a exceção de Arnaldo Malheiros, os demais deram um show de erros de concordância verbal e nominal, sem falar na retórica primária e chocha (e desdenharam do procurador Gurgel…). A argumentação em si, pura balela: falta de provas. E alguém dá recibo, certidão ou confessa esse tipo de crime?
Lembro-me do caso do casal Renascer, preso nos EUA por entrar lá com dinheiro não declarado e omitir o fato das autoridades. Quando informada pela corte de que miria para a casa, porém usando uma tornozeleira eletrônica, a bispa disse à juíza: “mas assim vou me sentir constrangida!”. E a juíza respondeu: “A ideia é essa, minha senhora.” Fosse no Brasil, a primeira audiência seria agendada para 2025…
Mandou bem, Big Head!
Sds.,
de MarceloF.

Reply

Leave a Comment