Blog do Pannunzio

Crise no Senado é tema do Grito dos Excluídos

O Grito dos Excluídos, convocado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e outros movimentos sociais, chega hoje à 15ª edição com críticas à crise que atinge o Senado. Com a promessa de realizar manifestações em praticamente todo o País, o movimento parece colocar em segundo plano temas tradicionais, como a questão agrária, para protestar contra as irregularidades que cercam o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

“Essa questão da corrupção, que nós acabamos de assistir no Senado, na pessoa de José Sarney, nos atos secretos, e mesmo anos atrás no mensalão, são coisas que a sociedade não pode aceitar de braços cruzados. Fica parecendo para nós da sociedade civil que aquilo ali é um balcão de negócios”, diz o membro da coordenação nacional do Grito, Ari Alberti. 
Este ano, diz ele, haverá manifestações do Grito em praticamente todo o território nacional. O

Acre é o único Estado em que não há previsão de nenhum ato organizado. Nas demais regiões, por outro lado, são esperados eventos nas capitais e também em municípios do interior. Em São Paulo, por exemplo, a maior parte das atenções estarão voltadas ao santuário nacional de Nossa Senhora Aparecida. Mas municípios como Salto e São Gabriel da Cachoeira vão sediar atividades pela primeira vez.

Além da Pastoral Social da CNBB e de outras pastorais, compõem a coordenação nacional do Grito entidades como Cáritas, Movimento dos Sem-Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo, entre outros.

Comentários

Related posts

Oposição pode abandonar de vez CPI da Petrobras

Alvaro Dias nega que Agaciel Maia tenha chantageado senadores

Fábio Pannunzio

Destaques dos jornais de hoje – Jornal do Brasil

Leave a Comment